Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Aproximadamente 25% dos celulares vendidos no Brasil são irregulares

Descubra por que 25% dos celulares vendidos no Brasil são irregulares. Proteja-se, compre com confiança hoje!

Um levantamento recente realizado pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Electrônica (Abinee) revelou um dado preocupante: cerca de 25% dos celulares vendidos no Brasil não são homologados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Isso levanta uma série de questões, não apenas sobre a segurança dos dispositivos, mas também sobre as implicações no mercado de telecomunicações do país.

A homologação por parte da Anatel assegura que os dispositivos móveis atendem a uma série de exigências técnicas essenciais para o bom funcionamento e segurança dos usuários. Sem essa certificação, os consumidores estão expostos a uma série de riscos. Que vão desde falhas de funcionamento até questões mais graves como superaquecimento e emissão de radiação.

Por que os celulares não homologados são problemáticos?

Como comprar celular parcelado com o nome sujo empréstimo
Imagem: Mike_shots / Shutterstock.com

A Anatel não apenas testa a qualidade do produto como garante que ele cumpra com as normativas de segurança e qualidade exigidas pela legislação brasileira. Durante esse processo, são verificados aspectos como desempenho, compatibilidade com as redes locais e segurança elétrica. É uma garantia não apenas de eficiência, mas de segurança para quem utiliza o celular no seu dia a dia.

A compra desses aparelhos não somente expõe o consumidor a perigos, como também promove uma cadeia de ilegalidades que inclui desde a evasão fiscal até a violação de leis de consumidor. Essa prática afeta negativamente a economia formal e coloca em risco a sustentabilidade do setor de telecomunicações.

Riscos do mercado cinza

O chamado “mercado cinza” de celulares, que compreende os dispositivos comercializados de maneira irregular, atrai consumidores principalmente devido ao custo reduzido dos produtos. Kim Rieffel, vice-presidente de Telecomunicações da Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade (Abrac), destaca que essa economia pode sair caro.

Veja também:

Bolsa Família tem novo auxílio de R$ 300 para mães solteiras, confira!

Além disso, recentemente a Anatel iniciou um movimento para facilitar a comparação e escolha de operadoras móveis, incluindo a certificação dos aparelhos recomendados para cada rede. Garantindo assim maior transparência e segurança para os consumidores que desejam mudar de operadora ou adquirir novos planos e serviços.

Imagem: Mike_shots / Shutterstock.com