Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Às pressas, Anvisa manda retirar lotes de azeite das prateleiras de supermercado

Anvisa retira lotes de azeite de supermercados! Confira se o seu foi afetado e proteja sua saúde hoje mesmo.

A ANVISA proibiu recentemente a venda do azeite de oliva da marca Valle Viejo em todo o Brasil devido a descobertas de irregularidades graves na composição e rotulagem do produto. Essa medida levantou debates sobre a confiabilidade dos produtos alimentícios importados e a qualidade do azeite de oliva disponível no mercado brasileiro.

No último comunicado, datado de 30 de março de 2021, a ANVISA detalhou as falhas encontradas nos lotes do azeite Valle Viejo, incluindo a presença de óleos não declarados nos rótulos, como soja e girassol, e a falsa indicação de origem. Essas violações não apenas enganam os consumidores, mas também colocam em risco a saúde de quem consome esses produtos.

Por que a qualidade do azeite de oliva é crucial?

Azeite
Imagem: DUSAN ZIDAR/ Shutterstock.com

O azeite de oliva é valorizado não só por seu sabor único mas também por seus benefícios à saúde. Como a redução do risco de doenças cardíacas. No entanto, quando adulterado, esse óleo pode perder suas propriedades benéficas, transformando-se, inclusive, em substância prejudicial à saúde. Por isso, o controle de qualidade deste produto é uma questão de saúde pública.

Veja também:

Auxílio Reconstrução: número de famílias que irão receber R$ 5.100 é ampliado

Em operações coordenadas pela Polícia Federal e Receita Federal, foram descobertas consideráveis quantidades de azeite contrabandeado nas fronteiras com a Argentina, destacando-se o ocorrido em 15 de junho de 2023. A operação Lampante, expôs também que azeites comercializados como “extra virgem” continham misturas de óleos vegetais com níveis de acidez significativamente acima dos limites.

Quais são os riscos do consumo de produto adulterado?

Segundo especialistas, o azeite adulterado pode trazer diversos prejuízos à saúde. O doutor Rodrigo Scherer e a doutora Marina Rocha alertaram sobre os perigos de consumir azeite contaminado com óleos de baixa qualidade e solventes. Assim, essas substâncias podem causar desde reações alérgicas até problemas mais graves de saúde, como disfunções hepáticas e cardiovasculares.

  • Verificar a origem: sempre confira o rótulo para certificar-se de que o azeite é realmente de uma região produtora respeitável.
  • Preferir marcas reconhecidas: opte por marcas com boa reputação e que possuam certificações de qualidade.
  • Estar atento às notícias: acompanhar as publicações da ANVISA e outras entidades reguladoras podem ajudar a evitar produtos que estejam sob suspeita de falsificação ou adulteração.

Em resposta aos riscos apresentados, a ANVISA está intensificando esforços para garantir que o azeite disponível no mercado brasileiro seja de alta qualidade e seguro para consumo. Enquanto isso, a conscientização e educação dos consumidores são essenciais para evitar que mais pessoas sejam prejudicadas por produtos adulterados.

Imagem: DUSAN ZIDAR/ Shutterstock.com