O Banco Central definiu as novas regras sobre a divulgação das taxas de conversão de gastos em moeda estrangeira em cartão de crédito de uso internacional. Ou seja, agora a taxa de câmbio do cartão de crédito terá que ser cobrada do dia da compra.

É provável que você também goste:

Stone lança conta digital, com abertura em minutos e com ZERO tarifas mensais

Caixa estende horário das agências hoje para saque dos R$ 500 do FGTS.

Super Limite do cartão de crédito Submarino dá muito mais poder de compra.

BC define regras de divulgação da taxa de câmbio do cartão de crédito em dia da compra

Em circular publicada na edição do dia 23 do Diário Oficial da União, o Banco Central determina que a taxa de conversão do dólar deverá ficar disponível nos canais remotos de atendimento ao cliente, o que inclui meios eletrônicos, com acesso direto ao público no menu relato a cartões de uso internacional.

A circular ainda informa que a divulgação das taxas de conversão deve ser realizada indepentemente de identificação ou autenticação do usuário.

A taxa de conversão foi definida que deverá ter quatro casas decimais. Além disso, deve ser divulgada em formato de dados abertos (acesso livre para modificação e compartilhamento), e também em fornato final para utilização direta pelo público.

Histórico

A circular ainda determina que a informação sobre o histórico deve abranger as taxas de conversão praticaas, no mínimo, a partir de 1° de março de 2020 até 30 de agosto de 2020.

Já a partir de 1° de setembro de 2020, o histórico deverá abranger as taxas de conversão praticadas, no mínimo, nos últimos 180 dias. Ademais, o Banco Central também determina que o histórico deve conter a opção para a consulta da última taxa de conversão disponível.

Taxa de câmbio com valor fixado em dia da compra

Por fim, a circular também detalha norma definida no final do ano passado. Quando o BC determinou que os gastos feitos em moeda estrangeira nos cartões de crédito internacionais terão o seu valor fixado em reais pela taxa de conversão vigente no dia de cada gasto realizado.

Assim, o cliente já saberá no dia seguinte quanto irá desembolsar em reais, o que elimina a necessidade de eventual ajuste na fatura subsequente. A partir do dia 1° de março de 2020, a medida já começa a valer.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.