Bolsonaro vai ampliar o Auxílio Emergencial para mais pessoas

0

O Governo Federal já havia liberado o Auxílio Emergencial de R$ 600 para todos os trabalhadores autônomos, para os informais e também para os desempregados. Agora, o presidente Jair Bolsonaro vai ampliar o Auxílio Emergencial para mais pessoas que também necessitam do benefício. Por exemplo, mães menores de idade e também os chefes de família monoparentais, também terão direito ao benefício.

É provável que você também goste:

Quais beneficiários do INSS terão salários prorrogados automaticamente durante a quarentena?

Nova atualização do Caixa Tem libera transferência de até R$ 1.200 do auxílio emergencial

Desempregada “Presidente da República” tem Auxílio Emergencial negado

Bolsonaro vai ampliar o Auxílio Emergencial

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, já informou à Comissão Mista do Congresso Nacional, que é destinada a acompanhar as medidas de enfrentamento do do coronavírus, o parecer favorável do Palácio do Planalto sobre este assunto. Agora, a expectativa do ministro é que Bolsonaro sancione a proposta aprovada pelo Congresso o mais rápido possível, sem qualquer tipo de veto. Assim, esses dois novos grupos de beneficiários poderão receber seus auxílios.

Onyx ainda disse aos parlamentares que o Ministério da Cidadania já cogita prorrogar o Auxílio Emergencial, mesmo que ”no horizonte”. Por enquanto, a previsão é de que o auxílio termine em junho.

Filas para retirar o auxílio nas agências da Caixa

Uma das cobranças que Onyx recebeu dos deputados e senadores foi em relação às filas enormes nas agências da Caixa em todo o Brasil, causando aglomerações que poderiam espalhar ainda mais o coronavírus. Quanto a isso, o ministro se referiu às filas como ”residuais”, pois já foi concluído o pagamento dos R$ 50,5 bilhões da primeira parcela aos beneficiários aptos a receber o crédito.

Segue abaixo o que disse o ministro Onyx Lorenzoni:

“Raríssimos lugares no Brasil estão com filas. Eles [Caixa] estão melhorando o serviço na parceria com os municípios. Na segunda parcela a esteira de trabalho já é mais fácil, a metodologia é melhor, as pessoas estão mais tranquilas. Acho que teremos um período de mais tranquilidade, se Deus quiser.”

Ainda segundo o ministro, uma nova parceria com os Correios vem aí e deverá diminuir as aglomerações nas agências da Caixa Econômica Federal.

Onyx também voltou a lembrar que a Caixa é apenas a distribuidora do benefício e o banco possui um acordo operacional com 50 bancos. Assim, quem não tem conta na Caixa receberá o dinheiro na conta que foi cadastrada na hora da solicitação do Auxílio Emergencial:

“Quando ela não tem conta em lugar nenhum, como é o caso dos invisíveis, ela
faz uma conta digital da Caixa e, por meio dela, pode mandar o dinheiro para
qualquer banco em qualquer cidade do Brasil.”

Projeções sobre os ”invisíveis” estavam erradas

Por fim, o ministro lembrou que quando foram feitas as primeiras projeções para saber quantos brasileiros teriam direito ao Auxílio Emergencial, os estudos realizados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pela Fundação Getulio Vargas, mostravam algo em torno de 8 milhões de invisíveis no nosso país:

“Nós encontramos mais de 21 milhões de invisíveis. É muito maior do que a gente imaginava, e essa foi também uma das razões para que a gente buscasse a suplementação orçamentária que o governo fez na semana passada, para que a gente pudesse completar a primeira parcela.”

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: Shutterstock/claudio santisteban

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar