Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Brasileiros reclamam de preços altos na Argentina

Descubra como os preços altos na Argentina impacta brasileiros, afetando a saúde e o preço de itens essenciais. Saiba mais sobre a situação!

Após uma mudança significativa nos valores dos produtos na Argentina, brasileiros que moram no país sul-americano e turistas têm expressado preocupação. Isso porque, nas últimas semanas, os preços, incluindo de itens essenciais, dispararam, causando impacto substancial no custo de vida.

Os relatos sugerem que o preço da banana, por exemplo, dobrou em pouco tempo. “A banana há um mês estava 1.000 pesos argentinos (cerca de R$ 6) o quilo. Hoje você encontra em mercados por 2.490 pesos (cerca de R$ 15)”, explica Clarissa Alves, uma brasileira residente no país, ao portal UOL.

Preços altos na Argentina e o fim dos projetos subsidiados pelo governo

Cidade de Rosario, na Argentina, com bandeira do país em evidência na imagem
Imagem: Alex Photo Stock / Shutterstock.com

Uma possível explicação para esse aumento súbito seria o fim de certos projetos subsidiados pelo governo argentino.

Um dos brasileiros residentes, Leonardo Guerreiro, disse ao UOL que acredita que os valores começaram a mudar drasticamente após as eleições. Ele citou o fim do programa “Preços Justos”, uma iniciativa do governo para manter os preços de certos produtos essenciais mais acessíveis.

“Houve um aumento de preços sem desvalorização da moeda extraoficial. Dessa forma, qualquer produto ficou mais caro não só em pesos, como também em reais ou dólares”, explicou Leonardo.

Impacto nos planos de saúde

O aumento dos custos também foi sentido na área da saúde. Segundo Guerreiro, a mensalidade do plano de saúde teve um dos maiores aumentos.

A saber, no mês de dezembro, a mensalidade do plano custava 125 mil pesos argentinos (R$ 750). Porém, já em janeiro, a mensalidade familiar do plano passou a ser de 203 mil pesos argentinos (R$ 1.218), ou seja, um aumento de mais de 60%.

Relatos em redes sociais

Em grupos de brasileiros no Facebook que vivem na Argentina, há diversos relatos de alta de preço de diferentes itens em supermercados de dezembro para cá, como macarrão (de 900 pesos argentinos, cerca de R$ 5,40, para 1.400 pesos argentinos, cerca de R$ 8,40), arroz (de 560 pesos argentinos, cerca de R$ 3,40, para 1.500 pesos argentinos, aproximadamente R$ 9).

Além disso, diversos turistas também estão reclamando da alta nos preços do país visitado. Antes, a propaganda era de que o destino estava entre os mais baratos, mas a realidade parece ter mudado.

Veja também:

5 sedans 0km mais baratos do Brasil no início de 2024

Em resumo, ainda é incerto como essa inflação vai impactar o custo de vida a longo prazo para os brasileiros que moram na Argentina e para aqueles que vão passear no país, mas as preocupações são crescentes enquanto eles esperam uma estabilização dos preços.

Imagem: Alex Photo Stock / Shutterstock.com