Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Caixa dispensa decisão judicial e libera FGTS por demissão por força maior para todos

0

Empregados que forem demitidos por motivo de força maior ou por culpa recíproca podem pedir o saque do saldo do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) sem apresentar decisão judicial que reconheça o motivo da demissão. Essa nova orientação foi publicada pela Caixa Econômica Federal no dia 29 de março.

É provável que você também goste:

Descubra o segredo para Ganhar Dinheiro ao usar o Auxílio Emergencial

A maioria das mães não possuem investimentos para os filhos

Entenda a diferença de Auxílio Emergencial e Benefício Emergencial (BEm)

Caixa dispensa decisão judicial e libera FGTS por demissão por força maior

A modalidade de demissão por força maior está prevista na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) para acontecimentos inevitáveis que levam ao fechamento da empresa. Especialistas afirmam que é o caso das empresas que eventualmente vão à falência em virtude da crise econômica causada pela pandemia.

Todavia, a culpa recíproca ocorre quando empregado e empregador cometem ao mesmo tempo uma falta grave que poderia justificar o fim do contrato de trabalho. É o caso, por exemplo, de uma troca de agressões físicas entre o patrão e o empregado.

Antes dessa nova orientação, o empregado demitido por um desses dois motivos não conseguia sacar o FGTS logo após a dispensa. Ele precisaria aguardar até que a Justiça reconhecesse o motivo da demissão e somente então, apresentasse a decisão judicial à Caixa.

Contudo, mesmo que o trabalhador não precise mais correr atrás da Justiça para sacar o FGTS, a empresa que demitiu segue precisando da Justiça para o aval à demissão por força maior ou por culpa recíproca. A decisão judicial pode ser cobrada do empregador durante fiscalização trabalhista.

O que pode ser sacado pelo trabalhador

O empregado demitido por força maior ou culpa recíproca tem o direito de sacar todo o saldo do FGTS acumulado durante o seu período na empresa, mais a multa rescisória a que ele tem direito.

A lei permite que, por causa do motivo de força maior, a empresa pague somente metade da multa do FGTS à qual o empregado demitido sem justa causa teria direito. Ou seja, 20% do saldo, ao invés dos 40%. Para alguns especialistas, outras verbas rescisórias também poderiam ser reduzidas pela metade, como férias e adicional de férias. Mas há divergências quanto a isso.

O trabalhador que optou pelo saque-aniversário do FGTS, que permite saques anuais do fundo, e foi demitido a partir de 1º de janeiro 2020, poderá sacar apenas o valor da multa rescisória.

Como solicitar o saque do FGTS

A Caixa orienta que o trabalhador faça o pedido do saque pelo aplicativo FGTS (Android ou iOS), de forma digital e gratuita. O trabalhador pode indicar uma conta bancária de qualquer instituição financeira para receber os valores em até cindo dias, sem custo.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: RHJPhtotoandilustration via shutterstock

Comentários
Carregando...