Quem tem Cartão do Bolsa Família pode ganhar Cartão Material Escolar de até R$ 350?

0

Precisa comprar material escolar em 2020? O governo federal oferece, dentro do programa Bolsa Família, o Bolsa Escola. Nesse período de preparação para a volta às aulas, as famílias cadastradas podem receber o Cartão de Material Escolar, dependendo do estado em que moram. O programa iniciou no Distrito Federal e, aos poucos, está sendo repetido em outros estados do Brasil. Para saber se você tem direito, o mais indicado é procurar o CRAS da sua cidade.

O objetivo é, principalmente, que as crianças e jovens possam ter mais acesso e permanência na sala de aula com esse incentivo. “O projeto é bom e tem uma grande vantagem: baseia-se em uma experiência já testada e aprovada, no caso o Cartão Material Escolar no Distrito Federal. A proposta promove a autonomia cidadã no país”, disse o senador Otto Alencar (PSD) na defesa do projeto.

É provável que você também goste:

Calendário do Bolsa Família 2020 já está disponível. Confira as datas

Banco Inter, Nubank e Creditas estão entre as 50 fintechs mais inovadoras do mundo em 2019

Confira 4 dicas certeiras para ganhar mimos do Nubank em 2020

O Cartão de Material Escolar do Bolsa Família é um cartão magnético que funciona somente no débito. Para receber o benefício, as famílias cadastradas no Bolsa Família precisam ter crianças e adolescentes entre 4 e 17 anos que estejam matriculados em escolas públicas.

Qual é o valor e como pode ser utilizado?

Dependerá da média de cada estado brasileiro o valor a ser depositado no cartão. Em Brasília, os alunos do ensino fundamental terão R$ 320,00 para as compras de materiais escolares. Já quem está no Ensino Médio, receberá nesse estado o valor de R$ 240,00.

O dinheiro que será repassado às famílias por meio do cartão é proveniente de convênios feitos pelo Governo Federal com os governos estadual e municipal. Ele será pago todos os anos no mês de janeiro para que as famílias possam se preparar para o novo ano letivo.

São os pais dos estudantes que recebem o cartão, seja em casa ou na própria escola do filho. Se a família tiver mais de um filho, o cartão é entregue na escola do mais novo.

Uma informação importante é que o cartão não pode ser usado em qualquer lugar. Deve ser utilizado para comprar materiais escolares apenas em lojas credenciadas no programa. A partir do momento que receberem o cartão, as famílias têm um prazo de 45 dias para fazer suas compras.

Quem tem direito ao benefício?

Conforme mencionado acima, todas as famílias beneficiárias do Bolsa Família que tenham crianças e adolescentes entre 4 e 17 anos matriculados em escolas públicas onde o projeto está em funcionamento.

O cartão poderá ser enviado desde que haja garantia de frequência escolar. O mínimo para estudantes de 6 a 15 anos é de 85%. Já para adolescentes de 16 e 17 anos a frequência exigida é de 75%. O estudante deve residir com a família para receber o benefício.

Quem pode receber o Cartão do Bolsa Família, programa que já beneficiou mais de 20 milhões de brasileiros:

  • Famílias com renda mensal de até R$ 89,00 por pessoa;
  • Famílias com renda mensal entre R$ 89,01 e R$178,00 que possuam em sua composição crianças ou adolescentes (entre 0 e 17 anos) e gestantes.

O responsável deve procurar a prefeitura do município para se inscrever no Cadastro Único e solicitar a inserção no Bolsa Família. Esse cadastro é também um pré-requisito, embora não seja um indício de que haverá entrada imediata da família no Programa Bolsa Família, nem do recebimento do benefício.

Você não tem o Cartão do Bolsa Família ou é de outro estado, mas quer economizar?

Comprar materiais pode não ser uma tarefa fácil. Exige pesquisa e escolhas inteligentes para fazer compras que valham a pena e agradem as crianças. Segundo uma pesquisa feita em João Pessoa (PB), os valores dos materiais variavam até 400% no final de 2019.

É fundamental pesquisar preços, seja em lojas físicas ou na internet. Adiantar as compras pode também ser uma boa ideia, afinal quando todos estão em busca de materiais o preço pode ser maior.

Vale ficar atento quando o assunto são as listas feitas pelas escolas. De acordo com o Procon, há itens que não podem ser pedidos pela instituição, por caracterizar abuso. Alguns desses itens são cartuchos para impressora, agenda da instituição, cotonetes, caneta para lousa, entre outros. Outra prática abusiva é quando a instituição obriga a compra de materiais de marcas específicas.

Réguas, tesouras, mochilas e estojos são materiais que podem ser reaproveitados de um ano para o outro, então já podem gerar uma economia. Por isso é importante reforçar com as crianças o cuidado que se deve ter com o material ao longo do ano letivo.

Além disso, pagar à vista também é uma boa dica para conseguir descontos. Economize ao longo do ano, um pouco por mês, para aproveitar essa época e não precisar parcelar. Além de não pagar juros, você pode conseguir bons descontos se souber negociar.

As lojas que vendem os itens a atacado sem dúvida são uma boa alternativa. Compre em conjunto com outros pais para garantir uma maior quantidade e um desconto melhor nas suas compras. O mesmo vale para dividir o frete se for comprar online.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A versão anterior dessa matéria deixava a entender que o benefício é válido para todo o Brasil. No entanto, ressaltamos nessa versão que o Cartão de Material Escolar ainda está em fase implementação. Por enquanto, ele está em vigor somente no Distrito Federal. Sendo assim, pedimos desculpas pelo engano.

Enfim, gostou da matéria?

Então, siga o nosso canal do YouTube, e nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.

Imagem: Tim Gouw, via Unsplash.

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar