Caixa está sendo investigada por cobrança abusiva no cartão de crédito. A ação teria sido motivada por uma série de queixas de consumidores entre 2014 e 2015. Eles alegam problemas na fatura do cartão de crédito e, por isso, várias denúncias foram feitas por consumidores. Eles relatam cobranças indevidas e abusivas na fatura do cartão de crédito. Com isso, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão do Ministério da Justiça e Segurança Pública instaurou um processo administrativo contra a instituição pública.

É provável que você também goste:

‘Conta um’ dá acesso a conta digital e cartão VISA sem consulta ao SPC e Serasa.

Nubank lançará empréstimo pessoal com taxas mais baixas do mercado.

Cartão de crédito Méliuz Banco PAN: sem anuidade e com cashback.

Caixa Econômica Federal está sendo investigada por cobrança abusiva no cartão de crédito

As queixas que foram registradas no Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec), segundo a Senacon, apontam para indícios de que os consumidores foram cobrados por valores que não teriam gasto no cartão de crédito.

Na última quinta-feira (7), começou a apuração e a abertura do processo foi publicada nesta segunda-feira no Diário Oficial da União (DOU). Sendo assim, a Caixa será intimada a apresentar defesa e, em seguida, será aberto o prazo para as alegações finais.

Se os indícios de prática abusiva se confirmarem, a Caixa poderá ser multada em até R$ 9,7 milhões.

Em nota, a Caixa disse que não recebeu a notificação da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) e, por isso, não tem ainda conhecimento do teor do processo para se manifestar oficialmente sobre o caso. “O banco reforça que segue criteriosamente a legislação vigente e preza pelos melhores padrões de qualidade e atendimento a seus clientes.”

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter, Instagram. Assim, acompanhe notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.