Concursos públicos serão suspensos no Brasil por excesso de servidores. Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, os governos anteriores contrataram servidores públicos em excesso e concederam reajustes salariais “ferozmente”. Guedes participou hoje (4), de audiência sobre a reforma da Previdência na Comissão de Finanças e tributação da Câmara dos Deputados.

É provável que você também goste:

Cuidado: renda comprometida com cartões impede financiamento do Minha Casa Minha Vida da Caixa

O Boticário está dando Kit de perfumes Dia dos Namorados grátis pelo WhatsApp?

Nubank Rewards lança promoção com várias ofertas de pontos extras de seus parceiros.

Concursos públicos serão suspensos no Brasil

O governo vai optar por não realizar concursos públicos nos próximos anos porque, segundo ele, há um inchaço da máquina pública. Entretanto, ele não disse por quanto temo os processos seletivos deverão ficar suspensos.

“Nas nossas contas, 40% dos funcionários públicos devem se aposentar nos próximos cinco anos. Não precisa demitir. Basta desacelerar as entradas”, disse.

O ministro também afirmou que o governo vai investir na digitalização de processos e na redução da burocracia para tornar os serviços públicos mais eficientes.

O processo de abertura de empresas no Brasil foi simplificado, segundo Guedes, sendo que essa metodologia será ampliada para outros serviços. Contudo, ele não deu mais detalhes sobre quais os serviços serão alterados.

Não haverá concurso público em 2020

O governo de Jair Bolsonado enviou, em abril, ao Congresso Nacional, o projeto de LDO (lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2020, sem a previsão de realização de concurso público.

Guedes, um pouco antes, ainda afirmou que o governo estava cortando concursos e reduzindo o número de funcionários drasticamente. “Acabou o empreguismo, não tem mais isso”, afirmou.

A votação do projeto da LDO poderá ser alterado pelo Legislativo. Por fim, ele será votado pelo Congresso até o dia 17 de julho, ou os parlamentas não poderão entrar em recesso.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.