Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Criminosos usam Uber para roubos e sequestros; saiba mais

Aplicativo da Uber se tornou mais um dos mecanismos utilizados pelos criminosos para praticar roubos e sequestros. Saiba mais!

O aplicativo Uber se tornou mais um dos mecanismos utilizados por criminosos para praticar roubos e sequestros. Nas últimas semanas, vieram a público casos de usuários da plataforma que viveram momentos de terror. Por exemplo, em Salvador, o motorista Jonatas dos Reis Oliveira foi preso após sequestrar e extorquir mulheres. 

Em síntese, os roubos e sequestros por meio da Uber ocorrem da seguinte maneira: o criminoso aceita a corrida, cancela a viagem logo após o embarque do cliente, apresenta uma arma e anuncia o sequestro ou assalto. A vítima, por sua vez, é forçada a realizar transferências bancárias sob ameaça de morte ou de estupro.

Como criminosos conseguem utilizar aplicativo Uber para roubos e sequestros?

O que mais chama atenção em relação aos crimes de roubo e sequestro através da Uber é o fato de que esses criminosos se arriscam a serem identificados. Isso porque seus dados pessoais, como nome, endereço e documentos, ficam registrados no aplicativo. Contudo, “truques” são adotados para dificultar a identificação.

Veja também:

Qual será a idade mínima para se aposentar em 2024 pelo INSS?

Nesse sentido, para a coluna UOL Carros, Eduardo Lima de Souza, presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativo (Ama-SP), explicou que a resposta está nas contas fraudulentas. De acordo com ele, há duas situações: quando o criminoso rouba o celular do motorista e se passa por ele e, a mais comum, o uso de contas falsas.

uber pune seus funcionários
Imagem: Proxima Studio / Shutterstock.com

O presidente da Ama-SP disse que os criminosos têm acesso a contas falsas a partir de anúncios feitos em plataformas, sendo fácil comprar no Facebook, por exemplo. Esse tipo de conta não registra seus dados reais.

Crescimento no número de casos

Ainda ao UOL Carros, Cássio Thyone, conselheiro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, explicou por qual razão roubos e sequestros se tornaram comuns. Segundo ele, isso se dá devido à quantidade expressiva de motoristas de aplicativos existentes, que ultrapassa, inclusive, o número de taxistas no auge do serviço. 

Dessa forma, de acordo com Thyone, para se proteger, é importante:

  • Conhecer bem a plataforma que está usando;
  • Orientar usuários mais vulneráveis, como idosos e adolescentes;
  • Escolher motoristas mais bem avaliados;
  • Verificar se a pessoa que se apresenta é a da foto;
  • Usar todas as ferramentas disponíveis (compartilhamento da corrida, registro do áudio da corrida e o botão do pânico).

Nota oficial da Uber sobre o assunto

Por fim, a assessoria de comunicação da Uber entrou em contato com o Seu Crédito Digital para enviar um posicionamento oficial sobre o tema. Sendo assim, confira a seguir a nota enviada pela empresa.

A Uber considera inaceitável e repudia qualquer ato de violência e defende que as mulheres têm o direito de ir e vir da maneira que quiserem e têm o direito de fazer isso em um ambiente seguro. A empresa acredita na importância de combater, coibir e denunciar casos dessa natureza e encoraja que as mulheres denunciem qualquer incidente tanto pelo aplicativo quanto às autoridades competentes. A Uber permanece sempre à disposição para colaborar com as investigações, na forma da lei.

Segurança é uma prioridade para a Uber e inúmeras ferramentas atuam antes, durante e depois das viagens para torná-las mais tranquilas, como, por exemplo, o recurso U-Elas, que permite que mulheres motoristas parceiras tenham a opção de receber somente chamadas de usuárias mulheres.

No entanto, a Uber entende que a violência de gênero é um problema social complexo e sistêmico que demanda ação conjunta de toda a sociedade. Por isso, a empresa possui, desde 2018, um compromisso público de enfrentamento à violência contra a mulher, que se materializa em uma série de parcerias com especialistas e autoridades no assunto para colaborar na construção de projetos e iniciativas para enfrentar essa realidade no aplicativo e na sociedade como um todo.

Como parte desse compromisso, a Uber também realizou ao longo dos anos diversas iniciativas voltadas à produção e distribuição de conteúdo para conscientização de motoristas parceiros, como por exemplo uma campanha educativa em parceria com o MeToo Brasil e que também contou com a consultoria da Sandra Vale da Potência Diversa, com vídeos para motoristas e usuários da plataforma. Antes disso, também pensando no público masculino, a empresa já tinha desenvolvido o Podcast de Respeito em parceria com o Instituto Promundo. Além disso, também em parceria com o MeToo, a Uber possui um canal de suporte psicológico voltado para usuárias(os) e motoristas parceiras(os). 

Imagem: Lutsenko_Oleksandr / Shutterstock.com