Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Criminosos utilizam adesivo na placa do carro para não tomarem multas

Previna-se: criminosos usam adesivos nas placas dos carros para evitar multas. Leia, proteja-se e denuncie atividades suspeitas.

Uma velha tática de evasão fiscal volta a assustar motoristas e autoridades em 2024. Desta vez, o truque envolve o uso de adesivos sobre placas de carro para enganar sistemas de radar e burlar o rodízio municipal. Essa trapaça não só viola as regras de trânsito, mas também configura crime segundo o Código Penal Brasileiro.

Este método ilícito é uma continuação criativa, mas ilegal, de outras artimanhas como o gel antirradar e a placa camaleão. O perfil @tenentebahia revelou, por meio de um vídeo no Instagram, como se dá essa fraude praticada deliberadamente por alguns condutores, causando grande preocupação às autoridades responsáveis.

Como funciona o golpe do adesivo na placa?

Homem agachado ao lado de um carro que mostra na placa do veículo a palavra golpe.
Imagem: Zephyr_p / shutterstock – Edição: Seu Crédito Digital

Os infratores aplicam um adesivo plástico sobre os caracteres da placa, para alterá-los e dificultar a identificação real do veículo pelos sistemas de monitoramento eletrônico. Esse adesivo é cuidadosamente moldado para se confundir com a identificação original da placa, mas ao ser devidamente inspecionado, fica evidente a adulteração.

Conforme o Artigo 230 do Código de Trânsito Brasileiro, o uso de qualquer recurso que dificulte ou altere a leitura dos caracteres de uma placa é considerado infração gravíssima. Além disso, a alteração nas placas pode levar o responsável a enfrentar processos no âmbito criminal, conforme estipula o Artigo 311 do Código Penal, com penas consideráveis.

O que os motoristas devem fazer se suspeitarem do golpe?

  • Reportar à Polícia: caso note algum veículo com a placa visivelmente adulterada, é fundamental comunicar as autoridades.
  • Educação no trânsito: conscientização sobre as graves consequências de tais atos, tanto para o infrator quanto para os demais motoristas.
  • Inspeções regulares: participar de ações oferecidas pelas autoridades para aferição e regularização das identificações veiculares.

Este golpe não só representa risco às finanças do infrator, que pode ser pesadamente multado e até mesmo perder sua liberdade, mas também coloca em risco a segurança nas vias, ao permitir que motoristas irresponsáveis permaneçam nas estradas. Manter-se informado e reportar qualquer suspeita são ações-chave para auxiliar na luta contra essa forma de crime.

Imagem: Zephyr_p / shutterstock – Edição: Seu Crédito Digital