Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Dedução de Imposto de Renda de gastos com INSS de empregado doméstico pode voltar a valer

0

De acordo com duas propostas em análise na Câmara dos Deputados, a dedução de Imposto de Renda de gastos com INSS de empregado doméstico poderá voltar a valer em breve. Essa dedução foi permitida de 2006 a 2019 conforme a Lei 11.324/06. No entanto, não é possível fazer essa dedução de IR de gastos com INSS de empregado doméstico em 2020. Confira mais detalhes sobre os dois PLs (Projetos de Lei) nessa matéria.

É provável que você também goste:

De cada 10 ataques na internet, 9 têm motivação financeira, aponta relatório

Méliuz promove Dia do Cashback e devolve até 40% do valor gasto

Mercado Pago ou PicPay: qual o melhor aplicativo para depositar o Auxílio Emergencial?

Dedução de Imposto de Renda de gastos com INSS de empregado doméstico pode voltar a valer

Primeiramente, temos o Projeto de Lei 2422/20, de autoria do deputado federal Wladimir Garotinho (PSD – RJ). De acordo com esse PL, a essa dedução de IR de gastos com INSS de empregado doméstico será válida até 2022, como medida excepcional, devido ao estado de calamidade pública decorrente do coronavírus.

Conforme o deputado, “neste momento de incertezas e de forte abalo socioeconômico, todas as ações devem estar voltadas à preservação do trabalho doméstico, pois são grupos de profissionais muito afetados”. Para ele, a medida pode ajudar a garantir a manutenção do emprego desses profissionais.

Já o Projeto de Lei 2746/20 prorroga por mais cinco anos (ou seja, até 2025) a possibilidade de dedução do IR da contribuição patronal à Previdência Social. Esse projeto também foi criado em virtude da pandemia de Covid-19.

Segundo o deputado Aureo Ribeiro (Solidariedade-RJ), autor da proposta, “este projeto busca, acima de tudo, a manutenção de milhares de postos de trabalho, principalmente no momento em que o País convive com uma pandemia sem precedentes, cujos efeitos na economia vêm elevando cada vez mais o já alto número de desempregados.

Ambos os textos alteram a legislação do Imposto de Renda (Lei 9.250/95). Em 2019, o Senado aprovou uma proposta prorrogando o benefício até 2024 (PL 1766/19), mas o texto não chegou a ser votado pela Câmara.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o Facebook, Twitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Imagem destacada: VGstockstudio, via Shutterstock.

Comentários
Carregando...