Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Desconto na conta de luz pode custar caro; entenda o porquê

Ao que tudo indica, o valor do desconto nas contas de luz será repassado a todos os consumidores.

0

O Governo Federal lançou um programa que dá desconto na conta de luz para as famílias e empresas que conseguirem economizar energia até o fim de 2021. Essa medida ocorre diante do risco de racionamento e até de apagão durante a maior crise hídrica no Brasil em cerca de 90 anos.

O desconto na conta de luz deve vir de uma vez só, na primeira conta recebida após o cálculo do consumo, referente ao mês de dezembro de 2021. Ou seja, em janeiro ou em fevereiro de 2022. Contudo, o dinheiro para bancar esse desconto vai vir do bolso do próprio consumidor de energia, inclusive daqueles que devem ganhar desconto com o abatimento.

Veja como conseguir desconto na conta de luz reduzindo o consumo

Desconto na conta de luz pode custar caro; entenda o porquê

O dinheiro para pagar o desconto na conta de luz vai vir do próprio consumidor. Isso porque o que vai pagar o rombo acarretado pelo desconto é uma taxa cobrada indiretamente na conta de luz de todos. Até o momento, ainda não se sabe qual vai ser o tamanho desse rombo – ele vai depender da adesão ao programa.

De acordo com Ana Carla Petti, presidente da consultoria MegaWhat, “se por um lado o consumidor está recebendo, por outro, ele vai pagar. Certamente haverá um aumento de custo, uma despesa que não estava prevista e será repassada via ESS”. Procurado, o Ministério de Minas e Energia não quis comentar o assunto.

Segundo a resolução que criou o programa de descontos, os valores devem vir dos Encargos de Serviços de Sistema (ESS). Ou seja, de uma taxa variável que já incide na conta de luz, que visa compensar os custos extras do sistema de energia.

Em suma, o consumidor não vai encontrar qualquer menção a esse encargo na conta de luz. É dito isso, pois ele não vem detalhado como uma taxa à parte. Entretanto, o ESS é levado em conta quando a Aneel permite que as distribuidoras elevem as suas tarifas todos os anos. E assim, quanto maior o ESS, maior o reajuste de tarifas.

Diante disso, quanto mais desconto os consumidores receberem ao poupar energia, maior vai ser o rombo cobrado a partir de janeiro de 2022. Por fim, a data do reajuste das tarifas varia conforme a distribuidora.

Enfim, gostou da matéria?

Então nos siga no canal  do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Twitch e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: TanitJuno / Shutterstock.com

Comentários do Facebook

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.