Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Desesperado por dinheiro? Homem amputa as próprias pernas por seguro de R$ 6,5 milhões

Descubra a fraude de seguro em Taiwan, onde um homem amputou suas próprias pernas por R$ 6,5 milhões. Uma história surpreendente!

No coração de Taiwan, um caso de fraude desperta atenção não só pelo valor envolvido, mas pela audácia e gravidade das ações tomadas para enganar as seguradoras e conquistar um grande seguro.

O protagonista dessa história, um taiwanês de apenas 24 anos, identificado como Chang, teve suas pernas amputadas e, em seguida, reivindicou uma indenização de seguro que somava o impressionante valor de R$ 6,5 milhões. Mas como Chang chegou a esse extremo? E quais as consequências de seu ato ousado?

Como Chang conseguiu enganar as seguradoras para receber o seguro?

Mãos de uma pessoa entregando dinheiro para outra.
Imagem: create jobs 51 / shutterstock.com

O plano macabro envolvia Chang e um cúmplice, Liao, um amigo desde os tempos de faculdade. Juntos, executaram um plano que parece saído de um roteiro de cinema, mas com consequências terrivelmente reais.

Chang foi amarrado em uma cadeira por Liao, que em seguida imergiu suas pernas em um balde cheio de gelo seco por várias horas. Esse procedimento extremo resultou em congelamento de quarto grau, necrose óssea e sepse — condições que levaram à amputação das pernas de Chang.

Fraude do seguro

Após o suposto acidente, Chang solicitou indenização às seguradoras. Uma delas chegou a pagar R$ 35 mil antes que as desconfianças começassem a surgir. As investigações revelaram que, no dia alegado para o acidente de scooter, as temperaturas não estavam baixas o suficiente para causar tais ferimentos.

Além disso, fotos do hospital mostraram que as lesões de Chang eram simétricas, algo raro em casos de congelamento natural. A descoberta de um balde usado com gelo seco foi a peça que faltava para desvendar a fraude.

Desfecho do caso

Com a farsa descoberta, Chang e Liao foram indiciados por fraude. Apesar de agora Chang ter que viver com próteses, ele e seu cúmplice enfrentam as consequências legais de seus atos. O caso ressalta, portanto, não apenas o extremo que alguns estão dispostos a chegar por ganância, mas também a importância de investigações aprofundadas em reivindicações de seguros.

Veja também:

Gov.br: Reconhecimento facial agora é mais fácil e rápido a partir desta segunda-feira (18)

Esse evento é um lembrete sombrio de que, embora a maioria das reivindicações de seguro sejam legítimas, existem aqueles que tentam explorar o sistema para ganho pessoal. A história de Chang é um aviso sobre os limites que algumas pessoas podem ultrapassar, e o preço final que essas decisões acarretam.

Imagem: create jobs 51 / shutterstock.com