Que o coronavírus está derrubando as economias mais fortes do mundo, isso não é segredo para ninguém. Diversos países, como a própria maior economia do mundo, EUA, terão grande impacto devido à doença, que obriga a população ficar em casa e desacelera a produção comercial. No Brasil, não é diferente. Sabemos que é muito provável ter um decréscimo na nossa economia. E uma das empresas que pode ser muito afetada por isso é o famoso cartão de crédito roxinho. Mas afinal, o que pode acontecer com o futuro do Nubank? Há riscos para falência? Você deve se preocupar em deixar seu dinheiro na NuConta?

É provável que você também goste:

Conta digital da Caixa para receber os R$ 600 terá serviço de transferência gratuita como o Nubank.

Beneficiários do Bolsa Família serão os primeiros a receber o coronavoucher.

Bolsonaro sanciona o coronavoucher, auxílio de até R$ 1200/mês para trabalhador informal.

Por causa do coronavírus, futuro do Nubank é incerto

Mas afinal, quem é que disse isso? Ninguém menos do que uma das maiores agências de classificação de risco do mundo, a Standard & Poor’s (S&P). Essa agência faz uma perspectiva rating de longo prazo. E advinha? A do Nubank mudou, de estável para negativa. Mas apenas a longo prazo, porque as notas das dívidas de curto e médio prazo permaneceram inalteradas.

Nubank SeP
Imagem: Standard & Poor’s

Confira abaixo a avaliação da S&P sobre o risco do Nubank

Apesar do crescimento exponencial da base de clientes do Nubank, acreditamos que as condições desafiadoras da economia terão impactos na capacidade da entidade em reverter a trajetória de prejuízos apresentada nos últimos anos.

Por outro lado, acreditamos que a empresa possui níveis de liquidez e capital robustos para a gestão de seus negócios em meio à paralização do setor comercial e de serviços por todo o país. Contudo, o Nubank possui uma limitada diversificação de negócios, o que o expõe à queda na transacionalidade de seus cartões e potencial aumento da  inadimplência do sistema. 

Nesse contexto, reafirmamos os ratings de crédito de emissor de longo e curto prazo -/brA2 na Escala Nacional Brasil atribuídos ao Nubank. Além disso, alteramos a perspectiva do
rating de longo prazo de estável para negativa.

A pespectiva negativa reflete nossa visão de que a capacidade da companhia de reportar
resultados financeiros positivos pode ser afetada diante de uma deterioração prolongada da
economia local e uma consequente queda nas receitas. 

Futuro do Nubank: Poucos produtos financeiros mas boa liquidez

Em resumo, a agência avalia que o futuro do Nubank é garantido por uma grande liquidez, ou seja, dinheiro. Mas o roxinho possui poucos produtos. Isso acaba limitando o Nubank nas formas de ganhar dinheiro durante esta crise. Além disso, o risco de inadimplência é grande, pois com a crise, muitos clientes podem não conseguir pagar as faturas de cartão de crédito, por exemplo.

Outro fator que conta aqui é o prejuízo financeiro que o Nubank vem tendo. Para quem não lembra, a fintech registrou um prejuízo de R$ 313 milhões em 2019, mesmo com o aumento no número de clientes. Em 2018 eram 5 milhões, e em 2019 foram 20 milhões de clientes do Nubank.

Como ponto favorável, o Nubank tem a seu favor os US$ 400 milhões levantados em investimentos. Desses, US$ 110 milhões estão entre empréstimos e injeções em operação no Brasil. Os outros US$ 290 milhões são uma importante ferramenta para que o Nubank tenha confiança no mercado de capitais internacional enquanto.

Faltam medidas para a crise do Coronavírus

Muitos clientes e parceiros do Nubank estranharam o silêncio da fintech quanto à crise do coronavírus, ainda mais com vários concorrentes se pronunciando e criando medidas de amenização do problema para seus clientes. Até comentamos sobre isso aqui no site.

Mas a empresa finalmente se pronunciou, anunciando um pacote de R$ R$ 20 milhões para ajudar os clientes com dificuldades financeiras durante a crise, oferecendo vouchers em vários serviços, como auxílio para farmácia, hospital e diversão para as crianças.

Dentre os parceiros estão o iFood, Rappi, Sírio-Libanês, Zenklub e Zee.now. Mas infelizmente a fintech não anunciou nenhum prazo maior na quitação de dívidas, diferente de outras empresas do ramo, como o Banco Inter, Itaú e Caixa. Mas, para além do futuro do Nubank, uma grande preocupação dos clientes é que a fintech não apresenta alguma forma de alívio no pagamento da fatura. E isso não foi comentado pela empresa.

O Portal do Bitcoin conseguiu fazer contato com a assessoria de imprensa do Nubank, que comentou a avaliação da anência S&P. Segundo a fintech, é normal a avaliação devido ao momento em que vivemos, de grande risco. O Nubank ainda disse que a solidez financeira foi ressaltada, e que esse dinheiro faz com que a empresa esteja muito preparada para enfrentar a crise do Coronavírus.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: Jo Galvao / Shutterstock