Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Governo federal venderá arroz com rótulo próprio; saiba mais

Lula importa 1 milhão de toneladas de arroz para combater alta de preços e escassez após inundações. Confira detalhes!

Em uma manobra sem precedentes, o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) decidiu importar uma grande quantidade de arroz nesta temporada. Assim, a medida, que envolve a compra de 1 milhão de toneladas do grão, tem como principal objetivo estabilizar os preços e garantir o abastecimento na rede varejista após as recentes inundações no Rio Grande do Sul.

O estado gaúcho é conhecido por ser o maior produtor de arroz do país, fornecendo cerca de 70% do consumo nacional. Dessa forma, a estratégia adotada inclui a venda direta em grandes redes de supermercados e atacadistas, com o arroz sendo vendido sob o selo do governo, a um preço tabelado consideravelmente mais baixo que o usual. 

No entanto, esse movimento gerou debate entre empresários e especialistas, que veem esse passo como uma intervenção direta no livre mercado.

Por que o governo decidiu importar arroz?

A decisão do governo surge em um momento crítico, quando o estado do Rio Grande do Sul enfrentou severas inundações que prejudicaram a produção local de arroz. Assim, o objetivo é aliviar a pressão sobre os preços que dispararam devido à escassez temporária.

Além disso, o governo também tem o intuito de combater a especulação, que teve um aumento devido à onda de desinformação nas redes sociais sobre a disponibilidade do grão.

Portanto, o projeto piloto representa um novo papel para a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que tradicionalmente se concentra na regulação de estoques e preços mínimos através de leilões para a indústria. Agora, a Conab administrará todo o processo de importação à distribuição no varejo. A ideia é que o arroz importado seja embalado ainda no país de origem, com um rótulo específico indicando “Arroz adquirido pelo governo federal”.

arroz
imagem: Suwan Wanawattanawong / shutterstock.com

Impactos da medida

Contudo, a implementação dessa política não é livre de controvérsias. Ao Estadão, José Carlos Hausknecht, sócio da MB Agro, criticou a iniciativa por ocorrer durante o pico da colheita e entende que o governo está entrando em um território desconhecido que pode desincentivar a produção futura. 

Veja também:

Detran amplia a emissão da nova carteira de identidade; saiba mais

Por outro lado, os defensores argumentam que essa ação é necessária para estabilizar os preços e proteger os consumidores de flutuações extremas, garantindo acesso ao arroz a preços justos, sendo que o governo deve vender o arroz importado a R$ 8 por pacote de dois quilos.

imagem: Suwan Wanawattanawong / shutterstock.com