Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Gravar vídeos para a empresa é desvio de função?

Entenda sobre a obrigatoriedade de participar e gravar vídeos para as redes sociais da empresa e o que você deve fazer sobre o assunto.

Os casos de colaboradores gravam vídeos para suas empresas no TikTok ou participam de tendências da plataforma junto com colegas são cada vez mais comuns. Embora muitas vezes isso seja visto como um momento de descontração no local de trabalho, o colaborador não é obrigado a desviar de suas tarefas para produzir tal conteúdo.

Segundo especialistas, em certos casos o profissional pode até solicitar indenização da empresa. Isso porque, caso ele não queira desviar de sua função para gravar um vídeo para a rede social, ele não pode ser obrigado a participar.

Entenda como funciona a relação de gravar vídeos para empresa

Mulher sentada em mesa segurando papéis enquanto grava vídeo para empresa.
Imagem: fizkes / Shutterstock

Se a empresa requisita o trabalhador para produzir vídeos para o TikTok ou outra rede social do patrão, sem haja a contratação para isso, pode haver desvio de função. Nestes casos, o colaborador tem direito a um valor adicional.

Veja também: Quanto custa ter conta no Nubank?

Principalmente porque, é preciso ter a autorização expressa para o uso da imagem do trabalhador para que ele participe. Caso isso não aconteça, é mais um motivo para um possível processo trabalhista no empregador. Assim, caso você seja trabalhador e se recuse a gravar um vídeo da sua empresa, você deve ficar ciente de algumas situações:

Ausência de punições para recusa

O profissional está autorizado a recusar a gravação destes materiais e não deve sofrer nenhum tipo de retaliação por isso. Isso porque o aceite ou a recusa da gravação do vídeo parte de um princípio pessoal de cada um, e não é possível sofrer nenhuma sanção por causa da escolha.

Quando é possível solicitar indenização?

Caso o trabalhador se sinta pressionado, forçado ou coagido de alguma maneira a produzir os vídeos, o mesmo pode processar a empresa e solicitar indenização. Qualquer ameaça de demissão ou advertência ao colaborador por recusa também pode acarretar um processo.

Como realizar a gravação do vídeo para a empresa corretamente?

Quando um empregador quer que um funcionário grave vídeos para a empresa no TikTok, o primeiro passo é requerer que o colaborador assine um termo de autorização para utilização de sua imagem. Independentemente de se a criação de conteúdos para redes sociais já está prevista no contrato de trabalho, recomenda-se, juridicamente, uma solicitação de autorização do colaborador a cada campanha publicitária.

Além disso, no contrato deve constar o valor que o colaborador receberá pelo uso de sua imagem e o tempo que ele terá que dedicar para a produção do conteúdo. Isso pode ser apenas um ajuste no contrato já vigente, desde que as novas funções estejam regulares.

Imagem: fizkes / Shutterstock