Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Inadimplência de março encosta em recorde da pandemia, segundo a Serasa

Antes disso, o maior número de inadimplência havia acontecido em abril de 2020.

0

De acordo com o Mapa da Inadimplência e Renegociação de Dívidas, elaborado pelo Serasa, a inadimplência do mês de março quase bateu o recorde da pandemia. Assim, o número de brasileiros com alguma dívida chegou a 65,6 milhões em março. Antes disso, o maior número de inadimplência havia acontecido em abril de 2020. Na época, eram cerca de 65,9 milhões de pessoas devendo. Então, para saber mais, confira a seguir.

É provável que você também goste:

Saque emergencial do FGTS: Serasa oferece condições especiais de negociação de dívidas

Inadimplência no Nubank é menor que em outros bancos; entenda os motivos

Inadimplência de março encosta em recorde da pandemia, segundo a Serasa

Com isso, de acordo com a Serasa, um dos motivos para o aumento do endividamento é a alta da inflação. Além, é claro, de um crédito mais caro devido ao aumento de juros. Em março, por conta disso, o número de endividados subiu 0,81% na comparação mensal. A gerente da plataforma Serasa Limpa Nome, Aline Maciel, afirmou que a inadimplência está em alta desde dezembro.

Desse modo, entre os principais motivos da adimplência estão as dívidas com bancos e cartão de crédito. Nesse sentido, são 28,17% das dívidas tomadas desta forma. Em seguida, vêm as contas básicas, como água, luz e gás, com um total de 23,21%. Segundo outra pesquisa, feita pela CNC, o endividamento brasileiro encerrou o primeiro trimestre na maior proporção em 12 anos.

Por fim, a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) de março também mostrou dados parecidos com o Serasa. Nela, o percentual de famílias com dívidas a vencer alcançou 77,5% em março. Esse é o maior valor já apurado. Já outros 10,8% dos entrevistados informaram que não terão condições de pagar esses débitos.

Para o IBGE, a taxa de desemprego elevada, de 11,2%, nos meses de dezembro de 2021 e janeiro e fevereiro deste ano, também contribuiu para o aumento da inadimplência.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o FacebookTwitterTwitchInstagram. Assim, você acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de créditoempréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: Perfect Angle Images / Shutterstock.com

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar

Fechar