Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Economia: em seis anos, indústria brasileira perdeu 28 mil empresas, diz IBGE

Mesmo período teve redução de 1,4 milhão de postos de trabalho.

0

Em seis anos, a indústria brasileira perdeu 28 mil empresas e 1,4 milhão de postos de trabalho. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na última quarta-feira (21). O período analisado foi de dezembro de 2013 a dezembro de 2019. Além disso, das indústrias que se mantêm ativas, muitas reduziram seu porte e passaram a remunerar menos seus empregados. As informações fazem parte da Pesquisa Industrial Anual feita pelo instituto em 2019. Então, para saber mais, continue a leitura!

Economia: em seis anos, indústria brasileira perdeu 28 mil empresas, diz IBGE

Assim, de acordo com o IBGE, em 2019, a indústria brasileira tinha cerca de 306,3 mil empresas, que empregavam aproximadamente 7,6 milhões de trabalhadores. Na comparação com 2013, 8,5% das empresas encerraram atividade e 15,6% das vagas existentes foram fechadas. O setor que mais perdeu empresas, nesse período, foi referente à preparação de couros e fabricação de artefatos de couro, artigos para viagem e calçados. Nesse caso, a queda foi de 32%.

Já o maior número de desempregados veio da atividade de fabricação de equipamentos de transporte, com exceção dos veículos automotores. Ao todo, o setor perdeu 43% dos cargos. Em contrapartida, a atividade de extração de petróleo e gás natural, por exemplo, aumentou em 56,3% seu número de empresas. Já a indústria de fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis aumentou em 38,1% o número de pessoas empregadas.

Indústria da transformação perdeu mais de 780 mil vagas nos últimos 10 anos

Por fim, de acordo com o IBGE, houve outros segmentos bastante prejudicados. O setor de indústria de transformação, por exemplo, perdeu 786,2 mil vagas na última década, enquanto o da indústria extrativa criou cerca de 16,8 mil novos empregos. Já a extração de carvão mineral foi a atividade que mais perdeu vagas entre 2010 e 2019, ao passo que o setor de extração de petróleo e gás natural foi o que mais abriu postos de trabalho.

“Tivemos um grande avanço na atividade de petróleo e gás natural com a exploração das reservas do pré-sal. Em uma década, o segmento aumentou sua parcela em 3,4 p.p. e registrou 7,2% do valor de transformação de toda a indústria”, afirmou a gerente da pesquisa, Synthia Santana, em entrevista ao G1.

O IBGE também destacou que a redução da mão de obra refletiu no porte médio das empresas em relação ao número de pessoas ocupadas, passando de 28 pessoas em 2010 para 25 em 2019.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o FacebookTwitterTwitchInstagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimosfintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: Alf Ribeiro / Shutterstock.com

- Publicidade -

Comentários
Carregando...