Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

INSS: 38% dos afastamentos se deve à saúde mental

Saúde mental em foco: transtornos mentais já representam 38% dos afastamentos do INSS. Descubra as causas e consequências

Nos últimos anos, o número de casos de afastamento por problemas relacionados à saúde mental nas organizações brasileiras têm registrado um aumento preocupante. De acordo com a pesquisa “Panorama da Saúde Mental nas Organizações Brasileiras” realizada em 2023, houve um crescimento de 30% entre 2020 e 2022. 

Assim, estes dados destacam um cenário alarmante que necessita de atenção imediata tanto de empregadores quanto de políticas públicas. No entanto, apesar da crescente necessidade, apenas uma pequena fração das empresas brasileiras possui programas efetivos de saúde mental. 

Conforme mencionado por Tatiana Pimenta, CEO da Vittude, à Carta Capital, somente 4% das organizações têm maturidade desenvolvida em estratégias voltadas para este fim. Essa carência aponta para uma lacuna significativa na gestão de recursos humanos no país.

Saúde mental nas empresas

Portanto, o ambiente de trabalho é frequentemente citado como uma fonte de estresse e ansiedade, que são amplificados pela pressão por desempenho e pelo equilíbrio precário entre a vida profissional e pessoal. Além disso, eventos globais recentes como a pandemia de COVID-19 exacerbaram o isolamento social e a incerteza, piorando a situação de saúde mental de muitos trabalhadores.

Adicionalmente, a falta de maturidade das empresas frente às necessidades de saúde mental não apenas eleva o número de afastamentos, mas também diminui a produtividade e a satisfação no trabalho. Investir na saúde mental é, portanto, vital para a sustentabilidade das organizações.

Mulher sentada no chão recebe ajuda
Imagem: Africa Studio/ Shutterstock.com

Cuidado com o bem-estar dos funcionários

Dessa forma, o investimento em saúde mental no ambiente corporativo não contribui somente para a redução de licenças médicas, mas também para o incremento da produtividade e melhoria do clima organizacional. Empresas que demonstram cuidado com o bem-estar de seus funcionários tendem a ter equipes mais engajadas e leais.

Veja também:

CEOs ganham até R$ 68 milhões por ano; confira a lista

Portanto, é essencial que as organizações vejam os programas de apoio à saúde mental não como um custo, mas como um investimento estratégico que pode conduzir a resultados significativamente positivos tanto para os indivíduos quanto para a integridade da empresa.

Imagem: Africa Studio/ Shutterstock.com