Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Investir na poupança ainda é um bom negócio? Confira os prós e contras!

0

A poupança sem dúvida é um dos investimentos mais populares no Brasil. Afinal, trata-se de um investimento muito simples e fácil de administrar. No entanto, muitos especialistas em finanças não recomendam investir na poupança devido à sua baixa rentabilidade.

Mas será mesmo que a poupança é um investimento tão ruim assim? Veja nesse artigo tudo o que você precisa saber sobre a poupança e se ela ainda é um bom negócio.

É provável que você também goste:

Poupança teve pior rendimento em 18 anos e perde até para a inflação

Descubra como verificar o seu score de crédito na ProScore, concorrente da Serasa e do SPC

Nubank: Aumento de limite atrelado ao investimento, como funciona?

Breve história da poupança no Brasil

Criada por decreto em 1861, a poupança tinha como objetivo ser uma opção para as famílias de baixa renda poderem guardar dinheiro. Naquela época, seu rendimento podia chegar a 6% ao ano e poderia ser sacada a qualquer momento. A propósito, desde a criação da poupança, apenas no começo dos anos 1990 é que ela perdeu essa característica. Na época, houve o famoso confisco da poupança, durante o governo Collor, e quem tinha valores superiores a 50 mil cruzados novos não poderia movimentar esse dinheiro. Contudo, cerca de 1 ano e meio depois, a poupança voltou a poder ser sacada a qualquer dia e essa característica permanece até os dias de hoje.

Nos anos 1980, uma lei determinou que a poupança só renderia no aniversário da aplicação. A ideia dessa lei era conter o número de saques, que crescia sempre que havia uma significativa alta de preços devido à inflação.

Mas como funciona a poupança?

A poupança é um investimento de renda fixa que não possui aporte mínimo e, conforme dito anteriormente, pode ser sacada a qualquer momento.

Para investir, basta escolher uma instituição financeira de sua preferência e apresentar os documentos exigidos. Em geral, esses documentos são os comprovantes de residência e cédulas de identificação. Vale destacar que você não precisa ser maior de 18 anos para investir na poupança.

De todo o dinheiro aplicado na poupança, cerca de 65% é usado para dar crédito imobiliário. Dessa forma, é com os juros desse crédito que a instituição financeira paga o investidor.

Vantagens de se investir na poupança

Além de ser um investimento simples, investir na poupança tem muitas outras vantagens. A principais são:

Segurança: o dinheiro da poupança tem a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Créditos); ou seja, caso a instituição financeira vá à falência, você recebe o valor que tinha na poupança de volta, limitado a R$ 250 mil. E vale lembrar que esse valor é limitado a um mesmo CPF em uma mesma instituição financeira. Isso quer dizer que, se você investir na poupança em dois bancos diferentes, por exemplo, você será ressarcido em ambos os bancos.

Isenção de taxas e custos: essa sem dúvida é outra grande vantagem de se investir na poupança, afinal que não quer se livrar de pagar tarifas de manutenção e administração, não é mesmo? Essa isenção significa que o valor que você aplicou vai ser resgatado sem perdas e com o rendimento proporcional ao tempo de depósito. No entanto, esse tempo não pode ser menor do que 1 mês. Além disso, vale alertar que, embora a quantia seja a mesmo, o seu poder de compra pode ser menor por causa da inflação.

Isenção do Imposto de Renda (IR): além de não ter que pagar taxas de manutenção, você também está livre de pagar IR, caso o valor na poupança seja menos do que R$ 50 mil. Mas isso não significa que você não deve declarar o investimento na poupança em sua declaração de IR. De acordo com a lei, você tem que declarar qualquer valor acima de R$ 140,00 que você possua em banco ou instituição financeira.

Liquidez diária: na poupança, em geral, você pode fazer o resgate do dinheiro sempre que quiser. Em alguns casos, no entanto, pode ser que haja um prazo mínimo para o resgate.

Desvantagens da poupança

Porém, a poupança também tem as suas desvantagens em relação a outros investimentos, como, por exemplo:

Baixa rentabilidade: a rentabilidade nada mais é do que o porcentagem de rendimento que você ganha com o dinheiro que investiu. Ao investir na poupança, você recebe uma porcentagem da Taxa Selic + uma variação da Taxa Referencial. Contudo, por vários anos esse rendimento está sendo inferior à inflação; ou seja, quem investe na poupança acaba perdendo um pouco de dinheiro, pois a desvalorização do dinheiro é maior do que o rendimento da poupança.

Rentabilidade só ocorre no aniversário do investimento: o cliente só ganha o rendimento do valor investido quando ele completa 1 mês. Por exemplo, se você colocou dinheiro na poupança no dia 30 e decidir sacar o valor no dia 25 do mês seguinte, você não vai ganhar o valor proporcional ao rendimento.

Afinal, investir na poupança ainda é um bom negócio?

A resposta para essa pergunta depende muito do que você procura em um investimento. Se você quer um investimento seguro e cujo valor possa ser retirado a qualquer momento, então investir na poupança é sim uma boa opção. No entanto, vale sempre alertar que a poupança cada vez rende menos, em muitas vezes ela pode representar um pequeno prejuízo.

A nossa dica é sempre tentar diversificar ao máximo sua carteira de investimentos, mesclando investimentos seguros (como a poupança) com outros de maior rentabilidade (como CDB, LCI, Tesouro Direto etc). Assim, você terá uma quantia disponível para casos de emergência e outra quantia que vai ficar rendendo mais dinheiro para você.

Fonte: blog do Banco Inter.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então é só seguir o Seu Crédito Digital no YouTube, Facebook, Twitter, Instagram, e Twitch. Assim você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos etc. Siga a gente para saber mais!

Imagem: eamesBot / Shutterstock.com

Comentários
Carregando...