Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Mães solteiras podem receber adicional de R$ 1.200; saiba mais sobre o pagamento

Mães solteiras podem receber R$ 1.200 até 31/05. Saiba mais sobre os pagamentos e como se cadastrar.

O Bolsa Família, um dos principais programas de transferência de renda do Governo Federal, foi relançado em 2023 com atualizações significativas. Este relançamento busca reforçar o apoio a mais de 20 milhões de famílias brasileiras que se encontram em situação de vulnerabilidade econômica.

O programa garante um valor mínimo de R$ 600 por família, com o objetivo de fornecer maior estabilidade financeira e acesso às necessidades básicas. No entanto, foi estabelecido um novo valor para mães solteiras. Descubra qual é.

Como funciona o pagamento do Bolsa Família para Mães solteiras?

Mão segurando celular com tela mostrando nome do programa Bolsa Família
Imagem: rafapress / shutterstock.com

Uma das novidades mais importantes deste ano, em um projeto ainda em tramitação, é o aumento do valor destinado às mães solteiras. Agora, o governo propõe um pagamento de R$ 1.200 para esse grupo específico, buscando fornecer um suporte financeiro mais substancial para aquelas que criam seus filhos sozinhas.

Esse aumento está sujeito à aprovação e é direcionado a mães solteiras com o Cadastro Único atualizado e que utilizam o aplicativo Caixa Tem para realizar suas movimentações financeiras.

Benefícios adicionais do programa

Além do benefício base, o programa fornece uma série de benefícios adicionais.

A saber, os pagamentos são calculados com base na idade das crianças e na composição da unidade familiar.

Conheça os benefícios adicionais já disponíveis:

  • Benefício de Renda de Cidadania: adiciona R$ 142 por membro da unidade familiar;
  • Benefício Complementar: complementa o pagamento para famílias cujo total não atinja o mínimo de R$ 600;
  • Benefício Primeira Infância: oferece R$ 150 mensais para cada criança de zero a sete anos;
  • Benefício Variável Familiar: paga uma parcela extra de R$ 50 para gestantes e jovens de 7 a 18 anos;
  • Benefício Variável Familiar Nutriz: adiciona um extra de R$ 50 para cada criança com até sete meses de idade;
  • Benefício Extraordinário de Transição: assegura que nenhum beneficiário receba menos do que o previsto no Auxílio Brasil, até maio de 2025.

A importância do Bolsa Família para a sociedade brasileira

O Bolsa Família tem se mostrado uma ferramenta essencial para a redução da desigualdade social no Brasil, através do suporte financeiro direto às famílias que mais precisam.

Veja também:

Alemanha está em crise de moradores de rua

Com as atualizações e ampliações em discussão, espera-se que o programa continue a evoluir e a atender as necessidades emergentes da população brasileira.

Imagem: Ground Picture / Shutterstock.com