Microcrédito: descubra o segredo para fugir da crise e melhorar seus negócios

0

Nem todo mundo se sente confortável adquirindo um empréstimo tradicional, tendo medo especialmente das altas taxas. A preocupação de muita gente é atrasar uma ou outra parcela e se enrolar no valor final, sujando o seu nome. Ainda mais em época de pandemia do coronavírus. Neste momento, muitos empreendedores enfrentam severas dificuldades e precisam de capital de giro ou de crédito em geral para a sua própria sobrevivência. Contudo, é possível fugir desse risco e ainda ter um dinheiro a mais para investir usando o microcrédito.

É provável que você também goste:

Quem é contratado de carteira assinada CLT perde o Auxílio Emergencial?

Receita estende o prazo do Imposto de Renda. Saiba como declarar seu empréstimo!

Coronavírus: Câmara aprova linha de crédito mais barata para micro e pequenas empresas

O que é microcrédito?

Esta é uma linha de crédito oferecida por diferentes bancos e que apresenta juros de até 4%; seu público-alvo são os profissionais liberais ou qualquer um que tenha um pequeno empreendimento.

Escolhendo um microcrédito, as pessoas conseguem melhorar os seus negócios de forma segura, com menos riscos de adquirir dívidas a longo prazo. No entanto, é claro que as instituições bancárias também fazem avaliações criteriosas para concedê-lo.

Onde se pode obter o microcrédito?

Quem se interessou pelo microcrédito e acha que ele pode ser uma boa ajuda para o seu negócio precisa só entrar em contato com seu gerente bancário.

Se não tiver conta em lugar nenhum, é preciso procurar uma cooperativa de crédito ou apenas abrir uma conta simplificada no banco para poder pedir o microcrédito.

Dentre as instituições onde ele é encontrado são:

  • Santander;
  • Bradesco;
  • Sistema de Cooperativas de Créditos no Brasil (SICOOB);
  • Banco do Brasil;
  • Banco do Nordeste;
  • Itaú;
  • Sistema de Crédito Cooperativo (SICREDI);
  • Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES);
  • Caixa Econômica Federal.

A solicitação de microcrédito para os correntistas e clientes pode ser efetuada no site de cada uma das cooperativas e dos bancos. Por isso, as pessoas podem requerer esse serviço sem sair de casa, principalmente no período de COVID-19.

A instituição financeira vai solicitar a digitalização de alguns documentos e fazer uma análise do CPF ou CPNJ para autorizar o microcrédito. Depois da autorização, o valor solicitado será mandado para a conta do indivíduo ou da empresa.

Se o microcrédito solicitado for recusado, então a pessoa física ou a empresa podem refazer o seu pedido. Em alguns casos, a causa pode ser a falta de documentos ou até a digitalização inadequada, impedindo que todos os dados sejam conferidos.

Quando o microcrédito é adequado?

Há vários motivos para os profissionais liberais e os pequenos empreendedores optarem por um microcrédito e eles são:

  • Abertura de uma empresa;
  • Compra de materiais iniciais ou troca de materiais;
  • Pagamento de pequenas dívidas;
  • Realização de campanha publicitária.

Resumindo, sempre que um empreendedor quer iniciar o seu negócio ou fazê-lo crescer de alguma forma, o microcrédito é a solução. No entanto, ele não é recomendado quando se quer fazer uma grande reforma, por exemplo, ou quando se precisa pagar gastos muito elevados.

Quanto se pode pegar de microcrédito?

Os bancos que oferecem microcrédito liberam um valor de até R$ 20.000,00 e a quantidade de parcelas para quitá-lo depende da instituição. Os juros mensais também: como dito, eles só podem ser de até 4%, mas há muitos bancos que trabalham com menos juros por mês.

Suponha-se que um microempreendedor solicite microcrédito de R$ 7.000,00 e que decida paga em 24 vezes, com taxa de juros de 2% ao mês. Sendo assim, as parcelas do microcrédito desse indivíduo ficam abaixo de R$ 300,00 e isso permite que esses empreendedores invistam, mas respeitando a sua pouca condição.

O que fazer quando se precisa de mais de R$ 20.00,00?

Em alguns casos, os empreendedores precisam de uma quantia mais alta para pagar documentações, reformas, comprar equipamento e outras coisas. Nessas situações, o microcrédito pode ser substituído por outras soluções financeiras, incluindo os empréstimos para pessoas jurídicas.

Optando por esses empréstimos tradicionais para empresas, o cliente vai encontrar taxas maiores ao mês. Afinal, essas linhas de crédito são mais recomendadas para empresas de melhor estrutura financeira.

Caso o MEI tenha o seu microcrédito negado ou ele precise de uma quantia maior que os R$ 20.000,00 máximos, ele pode procurar o seu gerente para requisitar soluções financeiras especiais para o seu perfil de correntista.

Requisitos para ter a aprovação do microcrédito

As instituições financeiras têm diferentes critérios para que o microcrédito seja aprovado e todos eles precisam ser devidamente atestados pelo requerente. Os critérios a ser preenchidos são:

  • Estar na condição de microempreendedor informal ou ser MEI;
  • Ter faturamento máximo de R$ 200.000,00 ou menos;
  • Ser maior de idade.

É importante refletir se o microcrédito é necessário!

Mesmo sendo um mecanismo financeiro que aumenta as perspectivas de investimentos para os pequenos empresários, recomenda-se refletir com relação à necessidade do microcrédito. Uma vez que for determinado que são mesmo necessários os novos equipamentos, cursos e outras melhorias, torna-se necessário avaliar a quantia suficiente de microcrédito.

Não é porque essa modalidade permite até R$ 20.000,00 que o empreendedor precisa solicitar a quantia máxima, o que vai comprometer mais as finanças dos meses referentes às suas parcelas. Dessa maneira, o microcrédito só é válido com consciência.

Precisa de um empréstimo? Simule aqui!

Entretanto, se você  precisa de um empréstimo, você pode fazer a simulação aqui. Basta preencher um breve formulário e você será direcionado para a melhor proposta, de acordo com o seu perfil, entre os nossos parceiros de crédito.

Basta clicar no link abaixo, fazer o preenchimento e avaliar as condições.

>> Simule aqui <<

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

imagem: Natee K Jindakum via shutterstock

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar