Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Novo Plano Nacional de Direitos Humanos beneficia Agentes de Segurança Pública

Governo brasileiro implementa plano para garantir direitos e bem-estar dos agentes de segurança pública. Saiba mais!

Com foco em valorizar e reconhecer o árduo trabalho dos profissionais de segurança pública, o governo brasileiro está atualmente desenvolvendo um Plano Nacional de Direitos Humanos especificamente para esse grupo.

Este movimento estratégico não apenas reconhece as necessidades únicas desses profissionais, mas também busca aprimorar significativamente suas condições de trabalho e bem-estar pessoal.

O desenvolvimento deste plano é resultado de uma colaboração entre o Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania e o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Ele destina-se a abranger cerca de 800 mil profissionais, estendendo-se por várias facções, incluindo policiais, bombeiros e outros agentes de segurança que desempenham papéis cruciais na manutenção da ordem e da segurança pública.

O que consiste o Plano Nacional de Direitos Humanos para agentes de segurança?

Dois policiais militares
Imagem: André Borges / Agência Brasília

O Plano Nacional de Direitos Humanos propõe uma série de estratégias e políticas que visam, principalmente, garantir o direito à saúde física e mental dos agentes de segurança pública.

Isso significa que haverá um enfoque considerável em melhorar as condições de trabalho desses profissionais, muitas vezes expostos a situações de stress extremo e risco constante.

Por que é crucial implementar este plano agora?

As estatísticas revelam realidades sombrias dentro da comunidade de segurança pública, com altos índices de mortalidade e problemas de saúde mental.

Uma pesquisa do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, realizada em 2022, relata que 161 policiais foram assassinados e outros 98 cometeram suicídio no mesmo ano.

Veja também: Presidente Lula volta a criticar Campos Neto: “não demonstra nenhuma capacidade de autonomia”

Aproximadamente 67,3% desses agentes eram negros, refletindo também questões raciais que precisam ser abordadas dentro da força de trabalho.

Impacto esperado do plano nos direitos dos agentes de segurança

  • Melhoria das condições de saúde mental: Programas específicos focados na prevenção contra transtornos mentais e assistência psicológica;
  • Garantia de direitos trabalhistas: Clarificação e fortalecimento dos direitos já existentes, além da implementação de novas políticas que resguardem esses profissionais;
  • Reconhecimento e valorização: Iniciativas para elevar o reconhecimento público e institucional da importância dos agentes de segurança pública na sociedade.

Com este plano, o Brasil poderá não só melhorar as condições de trabalho desses profissionais essenciais, mas também fortalecer a própria democracia, assegurando que aqueles que protegem a sociedade também tenham seus direitos protegidos e valorizados.

Imagem: André Borges / Agência Brasília