Parceria entre Visa e Ripio facilitará negociação de criptomoedas, usando apenas cartão de crédito e débito

- Publicidade -

A Visa iniciará em 2020 uma parceria com a Ripio que possibilitará a compra, venda e uso de criptomoedas, incluindo o bitcoin, usando cartões de crédito e débito. Por enquanto, a negociação de criptomoedas é demorada e necessita de várias transações bancárias complexas. Ou então só pode ser feita usando uma wallet e o blockchain, o que dificulta bastante a transição da moeda fiduciária (aquela que usamos normalmente) para o mundo virtual. A parceria entre Visa e Ripio, portanto, busca facilitar a comercialização de criptomoedas no Brasil.

É provável que você também goste:

Novo valor do salário mínimo para 2020 não deve sofrer alteração e já começa a valer no dia 1° de janeiro.

Mudanças no FIES 2020: processo passa a ser mais rigoroso e exige nota mínima na redação

Bradesco e Sicredi oferecem cashback no débito pela bandeira Visa

Sobre a Ripio

- Publicidade -

A Ripio é uma carteira bitcoin e um serviço de corretagem fundado em 2013 pelos argentinos Luciana Gruszeczka e Sebastián Serrano. Com mais de 350.000 usuários em três países (Brasil, Argentina e México), hoje a Ripio é uma das mais populares carteiras bitcoin na América Latina. Conforme matéria publicada recentemente pela Forbes dos EUA, a receita anual da companhia está na casa dos US$ 15 milhões.

A Ripio permite que seus clientes comprem e vendam bitcoins usando real ou peso argentino. Os usuários podem depositar recursos em suas carteiras (em dinheiro ou por meio de transferência bancária) e utilizá-lo para comprar bitcoins, fazer pagamentos online, colocar créditos no celular ou pagar contas de luz ou água a partir do aplicativo, por exemplo.

Parceria pretende facilitar acesso a criptomoedas

Depois de ter sido escolhida para o programa de aceleração da Visa no Brasil, a primeiro objetivo da Ripio é lançar seu cartão de débito. Esse cartão possui a opção de moeda fiduciária ou bitcoins, tornando a criptomoeda mais acessível aos brasileiros.

Segundo Ricardo da Ros, country manager da Ripio no Brasil, “ao invés de vender o bitcoin, pedir um saque para sua conta bancária e depois ter seu dinheiro, o usuário pode usar o cartão direto e consegue gastar esses bitcoins no mundo real, inclusive em máquinas de saque automático. Quando você precisa vender seus bitcoins, ter um cartão corta bastante a dor de cabeça. Com isso, você vai em um restaurante e paga com o cartão. Eles recebem em reais, mas você pagou com bitcoins.”

Além dessa facilidade, em 2020, a compra das criptomoedas também poderá ser realizada com cartões de crédito e débito, além dos tradicionais depósitos e transferências. Em razão disso, a Ripio e a Visa também pretendem oferecer compra e venda de criptomoedas 24 horas por dia – algo que antes não era possível porque as transações bancárias que não permitiam essa agilidade e disponibilidade.

Esses lançamento ainda não têm data para ocorrer, entretanto devem ser lançados ainda no primeiro trimestre de 2020.

Objetivos da Ripio no Brasil

Conforme da Ros, a Ripio escolheu o Brasil não apenas por possuir uma das maiores movimentações financeiras da América Latina, mas também pela enorme população. Após vários testes e pesquisas localizadas, a Ripio se considera pronta para se consolidar no país em 2020.

“A intenção é ajudar a criar e expandir esse mercado”, disse da Ros em entrevista à Forbes Brasil. “Um dos objetivos da nossa plataforma é a educação. Muita gente ouviu falar sobre bitcoin mas tem receio, queremos trazer conhecimento e mostrar que isso não é um bicho de sete cabeças. Cripto ainda está em uma fase embrionária em termos de visibilidade.”

O objetivo da empresa é mostrar que as criptomoedas podem ser uma ótima forma de diferenciar um portfólio de investimentos, e não oferece grandes riscos se tal investimento for feito com conhecimento e responsabilidade.

Atualmente, a Ripio oferece serviços de wallet (no qual o cliente pode guardar suas moedas e trocar cripto por cripto em um sistema de blockchain chamado “peer-to-peer”) e sua exchange que lida com moedas digitais e fiduciárias. Por enquanto, as criptomoedas presentes na wallet da Ripio são o bitcoin, o ethereum e a dai, uma stablecoin.

A empresa também tem parceria com o Mercado Pago (empresa ligada ao Mercado Livre) onde todo o dinheiro que alguém ganha com vendas dentro do site pode ser transferido para uma wallet na Ripio e usado para comprar criptomoedas.

No Brasil, a Ripio pretende alcançar 500 mil usuários até o fim de 2020. Hoje, 30% do total de usuários são brasileiros.

Enfim, gostou da matéria?

Então, siga o nosso canal do YouTube, e nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.

Imagem: Michael Wuensch, via Pixabay.

- Publicidade -
Jadre Marques Duarte Juniorhttps://seucreditodigital.com.br/author/jadre/
Graduado em Administração de Empresas pela UFRGS. Apaixonado por marketing, comunicação e finanças, possuo mais de 8 anos de experiência na área de T.I. aplicada a serviços financeiros.
- Publicidade -

Mais Populares

Caixa abre 770 agências neste sábado para saque do auxílio emergencial

Caixa abre 770 agências neste sábado: A Caixa vai abrir 770 agências hoje (8), das 8h às 12h, para atendimento aos beneficiários do auxílio...

C6 Bank dá RappiPrime GRÁTIS para clientes de cartão de crédito premium

O C6 Bank acaba de disponibilizar um novo benefício para clientes do seu cartão premium, o C6 Carbon (correspondente à versão black da Mastercard)....

Caixa faz nova rodada de pagamentos do Auxílio Emergencial nesta quarta-feira (05)

Nesta quarta-feira (05), a Caixa fará uma nova rodada de pagamentos do Auxílio Emergencial. Dessa vez, estão incluídos os beneficiários nascidos em maio, que...

Projeto prevê uso de vale-transporte para pagar aplicativos durante pandemia

Trabalhadores em breve poderão ter mais uma opção de transporte durante a pandemia de Covid-19. Conforme Projeto de Lei (PL) da senadora Rose de...
- Publicidade -