Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Pequenas empresas são alvos da receita por uso irregular do Pix

Conheça as preocupações relacionadas a possíveis riscos fiscais para os pequenos negócios que utilizam o Pix! Saiba como a Receita está atuando.

O lançamento do PIX pelo Banco Central em 2020 trouxe uma revolução nas transações financeiras no Brasil, com um impacto significativo especialmente para as pequenas empresas. Essa ferramenta de pagamento instantâneo, disponível 24 horas por dia, sete dias por semana, permite transferências e pagamentos em questão de segundos, proporcionando uma grande comodidade para os empresários.

Com a adoção do PIX, as pequenas empresas conseguiram reduzir seus custos operacionais, eliminando a necessidade de intermediários e agilizando o fluxo de caixa.

No entanto, essa modalidade de pagamento também trouxe à tona preocupações relacionadas a riscos fiscais adicionais para os pequenos negócios.

Quais são os desafios fiscais associados ao uso do PIX?

Pix de R$ 102: Conheça o guia completo para ganhar o novo auxílio projeto de lei
Imagem: Alexandre Tavares Silva / shutterstock.com

Apesar das vantagens, o crescimento exponencial do PIX trouxe preocupações significantes relacionadas à fiscalização. A capacidade da Receita Federal de cruzar dados das transações PIX aumentou, o que implica um potencial risco fiscal para pequenas empresas.

Esta capacidade é amparada pela Lei Complementar 105/2001, permitindo acessos detalhados às movimentações financeiras para combate à evasão fiscal.

Como a Receita Federal usa o PIX para fiscalização?

A Receita Federal utiliza os dados do PIX para cruzar informações com outras fontes, como notas fiscais e declarações do imposto de renda.

Este processo permite identificar discrepâncias e possíveis irregularidades fiscais com uma precisão nunca antes vista.

O que as pequenas empresas podem fazer para mitigar riscos fiscais?

Para evitar surpresas e complicações fiscais, é crucial que as pequenas empresas estejam vigilantes e proativas.

Veja também:

INSS: 13º começa a ser pago nesta sexta (24); confira quem recebe

A adoção de boas práticas de gestão financeira não só ajuda a prevenir fiscalizações indesejadas, mas também contribui para um negócio mais sólido e confiável:

  • Mantenha registros financeiros detalhados e transparentes;
  • Invista em softwares de gestão financeira;
  • Busque orientação com profissionais qualificados em contabilidade;
  • Fique atento às mudanças na legislação tributária.

Imagem: SERGIO V S RANGEL / shutterstock.com