Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Preço do condomínio vai ficar mais caro com a Reforma Tributária?

Reforma tributária preocupa população que teme que preço do condomínio fique mais caro. Siga na leitura para entender a situação!

Na última quarta-feira (8), a reforma tributária foi aprovada no Senado, e a situação tem gerado preocupação em diferentes setores; um deles é o de serviços. Isso ocorre devido ao receio de que a alteração na cobrança de impostos torne o preço do condomínio mais elevado.

É válido destacar que o texto aprovado ainda deve voltar para análise na Câmara dos Deputados, devido às alterações feitas no Senado. Portanto, continue lendo para obter mais informações sobre a situação e entender a relação da reforma tributária com o preço do condomínio.

Reforma tributária pode tornar preço do condomínio mais caro?

A possibilidade de um condomínio mais caro como consequência da reforma tributária acontece devido ao impacto das alterações nos tributos sobre os serviços. Em uma reportagem do G1, especialistas afirmaram que estima-se que a taxa condominial possa subir de 2,10% a 6,50%.

Serviços como segurança, limpeza e vigilância devem sofrer com o aumento de impostos; consequentemente, a cobrança deve chegar ao consumidor final que paga o condomínio.

Saiba mais sobre a situação

Outros serviços poderão sentir as alta nos preços poderá, além dos condomínios mais caros, devido à reforma tributária. Assim, os tributos poderão impactar também o consumidor de serviços como aplicativos de transporte, táxis e salões de beleza.

Conforme previsto no texto da reforma tributária, a implementação dos tributos unificados deve ocorrer durante um período de transição, que vai de 2026 a 2032.

Há ainda uma expectativa no setor de serviços de que ocorra a desoneração da folha de pagamentos com a reforma tributária. Porém, até o momento, o tema não entrou em discussão. Com a diminuição dos tributos em relação à folha, acredita-se que exista a possibilidade de evitar o aumento dos preços para o consumidor, e consequentemente, o preço do condomínio mais caro não se torne uma realidade.

*Contém informações do g1.

Imagem: rafastockbr / Shutterstock.com