Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Renda média do trabalho é a menor desde 2017

A renda média do trabalho ficou em R$ 2.433 no 2º trimestre de 2021.

0

Apesar do avanço da vacinação e do retorno de trabalhadores informais e por conta própria ao mercado de trabalho, a recuperação da economia ainda está muito lenta. Paralelo a isso, a renda média dos brasileiros com algum tipo de ocupação também reduziu e atingiu o valor mais baixo desde 2017.

IOF mais alto encarece crédito e prejudica economia; veja como

Renda média do trabalho é a menor desde 2017

A renda média do trabalho ficou em R$ 2.433 no 2º trimestre de 2021, o que representa uma queda de quase 7% na comparação com o mesmo período de 2020 (R$ 2.613). O Brasil não tem uma renda média tão baixa de 2017, quando estava em R$ 2399. Já em 2019, a média era de R$ 2437.

Embora a renda média esteja em nível semelhante ao do valor pré-pandemia, tem ocorrido uma diminuição no valor ao longo dos últimos meses. Isso se deve por conta do grande número de desempregados em busca de uma oportunidade. Além disso, há a retomada dos setores que têm as menores remunerações.

De acordo com Bruno Ottoni, pesquisador do IDados:

“Ainda são mais de 14 milhões de desempregados e a tendência é que as pessoas voltem subocupadas, ou seja, trabalhando menos horas do que gostariam e em empregos informais. Com mais gente nesses empregos que pagam menos, o rendimento médio vai cair mais. E as perspectivas de aumento da inflação só prejudicam ainda mais o quadro”.

Ademais, o pesquisador explica que o aumento da renda real média em 2020 foi uma melhora artificial. É dito isso, pois naquele período houve uma maior redução do número de ocupados nas atividades com a menor remuneração, em especial entre os trabalhadores informais e por conta própria do setor de serviços. Enquanto isso, os trabalhadores com ensino superior e com renda alta foram menos atingidos.

Remuneração cada vez menor

De acordo com o IBGE, o aumento do número de ocupados no Brasil tem sido puxado pelo trabalho por conta própria. Ou seja, pelo bico – quando a pessoa não atua como microempreendedor individual (MEI) formalizado.

Ao final do 2º trimestre de 2021, o Brasil tinha menos de 6,7 milhões de pessoas com algum trabalho, na comparação com o período pré-covid. Em dezembro de 2019, eram 94,5 milhões de pessoas trabalhando, enquanto agora há 87,8 milhões.

De acordo com Ottoni, “quando as pessoas começarem a conseguir novamente empregos nesses serviços tradicionais, como a renda desse setor é mais baixa, isso provavelmente também vai puxar o rendimento médio para baixo”.

Por fim, segundo os números do Caged do Ministério da Economia, o salário médio de admissão em julho no Brasil, foi de R$ 1.802. Isso corresponde a uma redução real de -R$ 22,72 na comparação com junho.

Enfim, quer saber mais sobre tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal  do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Twitch e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: Bricolage / Shutterstock.com

Comentários do Facebook

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.