Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Restituição do IRPF pode ser paga para declarantes não obrigatórios; confira!

Restituição do IRPF pode ser paga para declarantes não obrigatórios. Saiba mais sobre quem tem direito e como proceder para receber.

À medida que o prazo final de 31 de maio para a entrega da declaração do Imposto de Renda (IRPF) se aproxima, muitos contribuintes se apressam em organizar seus documentos. No entanto, mesmo para aqueles que não estão na lista de obrigatoriedade, declarar pode ser vantajoso. Janine Goulart, sócia da área de impostos da KPMG, explica que mesmo aqueles que não atingem o limite de renda podem se beneficiar ao entregar a declaração.

Imagine que você teve rendimentos por apenas alguns meses do ano, sujeitos à tributação, mas que no total não ultrapassaram R$ 30.639,90. Nesse caso, fazer a declaração pode significar a possibilidade de restituição do imposto de renda retido na fonte, explica Goulart.

Por que considerar declarar o IRPF mesmo não sendo obrigado?

Além da restituição, existem outros benefícios em declarar seu IR. O ato de declarar pode servir como uma prova de rendimentos, fundamental para acessar créditos ou alugar imóveis com maior facilidade. “A declaração do imposto de renda se transforma em um documento de comprovação de renda bastante respeitado no mercado”, menciona Florence Haret, do NHM Advogados.

Calculadore sobre um leque de notas de $50 e $100 com a sigla IRPF na tela
Imagem: rafastockbr/shutterstock.com

Em termos práticos, ao fazer sua declaração, o programa da Receita Federal automaticamente informa sobre a necessidade de pagamento ou restituição do imposto, facilitando o controle financeiro pessoal ao longo do ano.

Como saber se tenho imposto a restituir?

Para descobrir se você tem imposto a restituir, é necessário fazer a declaração e permitir que o sistema faça os cálculos com base nos seus rendimentos e deduções possíveis, como gastos com saúde e educação. O saldo de imposto retido na fonte maior que o devido pode render uma agradável surpresa: dinheiro de volta no seu bolso.

Veja também:

Saque de R$ 749 pelo Caixa Tem é confirmado aos CPFs da lista!

Para quem decide declarar, é essencial prestar muita atenção ao preencher os campos da declaração. Erros comuns como a digitação incorreta de dados ou a omissão de informações podem levar a problemas futuros com a Receita Federal. Para evitar tais complicações, é recomendável revisar todos os dados antes do envio final.

  • Revise suas deduções: Assegure-se de que todas as despesas dedutíveis estão corretamente registradas.
  • Confira os rendimentos: Todos os rendimentos, inclusive os de aluguel ou de dependentes, devem estar declarados.
  • Use ferramentas de apoio: Planilhas e softwares podem ajudar a organizar suas finanças e evitar erros comuns.

Com organização e atenção, é possível tirar proveito até mesmo das obrigações fiscais. Vale lembrar, entretanto, que cada caso possui peculiaridades, e, em situações mais complexas, pode ser prudente buscar a ajuda de um especialista.

Imagem: rafastockbr / Shutterstock