Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Selic cai para 10,50%: saiba como fica seus investimentos com a nova taxa

Descubra como os investimentos são afetados pela taxa Selic a 10,50% ao ano e saiba quais são as melhores estratégias!

Na reunião realizada na última quarta-feira (08), o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu a taxa básica de juros, a Selic, para 10,50% ao ano. Essa mudança representa um ajuste de 0,25 ponto percentual, movimento que reflete uma postura mais cautelosa frente às incertezas do cenário macroeconômico atual tanto nacional quanto internacional.

Dessa forma, saiba mais informações sobre como ficarão os investimentos após a implementação dessa nova taxa. Continue a leitura!

Por que o Copom optou por uma redução da Selic mais conservadora?

Palavra Selic em destaque, escrita em branco, acompanhada pelo símbolo da porcentagem e uma moeda de R$ 1.
Imagem: rafastockbr / Shutterstock.com

Historicamente, o Copom mantinha um ritmo de redução mais agressivo. Porém, isso mudou a partir desta última reunião devido a alguns fatores. Entre eles, a alta recente nos índices de inflação dos EUA e a revisão da meta fiscal do governo brasileiro para 2025.

Sendo assim, estas condições adversas afetam diretamente as expectativas de investidores e a dinâmica do mercado de capitais. Logo, essas situações influenciaram a decisão por uma abordagem mais prudente.

Como essa decisão afeta os investimentos em renda fixa?

A recente mudança na Selic criou uma janela de oportunidade interessante para investimentos em títulos prefixados e aqueles indexados à inflação. Com a elevação das taxas de juros de curto prazo, estes ativos se tornaram mais atrativos, prometendo rendimentos potencialmente mais altos em comparação a períodos anteriores, onde a Selic estava em patamares mais baixos.

Aliás, isso ocorre devido ao aumento do prêmio das taxas de juros futuras, um fenômeno observado no mercado neste último mês. Confira abaixo o detalhamento das oportunidades de investimento.

  • Prefixados: Com rates elevadas, eles garantem retorno fixado no momento da aplicação, atraentes para quem busca segurança em renda fixa com horizonte de médio prazo;
  • Indexados à Inflação (IPCA+): Garantem uma correção monetária que protege o capital investido contra a inflação, sendo uma opção viável para quem pensa em investimentos de longo prazo.

Como selecionar os melhores investimentos em um cenário de juros mais baixos?

Invariavelmente, a decisão sobre onde investir deve considerar não só as mudanças na taxa Selic. Deve-se considerar também a análise detalhada do cenário econômico e expectativas futuras.

Veja também:

Selic sofre nova redução e chega a 10,50%

Portanto, consultar um especialista financeiro ou dedicar-se ao estudo das condições de mercado pode ser crucial para fazer escolhas de investimentos mais assertivas e alinhadas com os objetivos financeiros e tolerância ao risco de cada investidor. Por fim, confira abaixo a tabela rendimentos da renda fixa com a taxa Selic a 10,50% ao ano.

InvestimentoRentabilidade Bruta (sem descontos de IR, taxas ou inflação)Rentabilidade Líquida (desconto de IR e taxas)Rentabilidade Real (descontada a inflação)Quanto rende R$ 1 mil*
Poupança7.4%7.4%3.67%R$ 1.074,00
Tesouro Selic 2027 (SELIC + 0.0926%)10.34%8.32%4.56%R$ 1.083,22
CDB 104% do CDI (Liquidez Diária)10.56%8.71%4.93%R$ 1.087,09
CDB/RDB/LC 111% do CDI11.27%9.29%5.5%R$ 1.092,95
LCI/LCA/DEB Incentivada 95% CDI9.64%9.64%5.83%R$ 1.096,43
CDB/RDB/LC IPCA + 6.20% a.a.10.02%8.27%4.51%R$ 1.082,69
CDB/RDB/LC Pré-fixado 11.25% a.a.11.25%9.28%5.48%R$ 1.092,81
Fonte: Rafael Haddad / C6 Bank

*Retorno líquido de um investimento de R$ 1 mil. | Premissas: Taxa CDI 12 meses de 10,15%; Inflação 12 meses de 3,6%; Alíquota de Imposto de Renda em 1 ano de 17,5%.

Imagem: rafastockbr / Shutterstock.com