Tag - SPC Brasil

60% dos brasileiros devem ir às compras no Dia dos Namorados, diz SPC Brasil

60% dos brasileiros devem ir às compras no Dia dos Namorados, diz SPC Brasil

Ainda em meio a um quadro de atividade econômica desaquecida, o apetite de gastos do brasileiro este ano deve ser mais moderado ao ir às compras no Dia dos Namorados. Todavia, um levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em todas as capitais mostra que seis em cada dez consumidores (63%) esperam presentear alguém na data, o que representa aproximadamente 98,7 milhões de pessoas — número que se mantém estável na comparação com o ano passado. Os dados também mostram que em 2018, 57% adquiriram presentes. Contudo, para este ano, a expectativa é de que sejam injetados cerca de 12,53 bilhões de reais na economia.

É provável que você também goste:

Inadimplente brasileiro deve R$ 3,2 mil, revela indicador CNDL/SPC Brasil

Banco Central quer permitir contas em dólar no Brasil.

60% dos brasileiros devem ir às compras no Dia dos Namorados, diz SPC Brasil

Em média, o consumidor planeja desembolsar R$ 126,98 com os presentes do Dia dos Namorados. Uma queda de 27,5% em relação a 2018, já descontada a inflação acumulada do período. Importante notar que 15% ainda não decidiram o valor que será gasto. Para um terço (34%) dos entrevistados, a intenção é gastar a mesma quantia do ano passado, enquanto 28% mais. Outros 17% esperam diminuir o valor gasto, principalmente as mulheres (26%). Quanto à forma de pagamento, 59% disseram que pretendem pagar a compra à vista, especialmente em dinheiro (38%) e 39% preferem parcelar.

Primeiramente, de acordo com o levantamento, seis em cada dez (63%) consumidores garantem que comprarão um único presente, enquanto 27% pretendem adquirir dois ou mais itens.

“O país ainda vive os efeitos de um quadro com altos níveis de desemprego e orçamento apertado. Embora para muitos consumidores o momento seja de conter os gastos, esta é uma data importante, em que o ato de presentear acaba sendo uma demonstração de afeto”, destaca o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior.

Mais da metade dos consumidores tem a percepção de que os produtos estão mais caros este ano; 76% pesquisarão preços antes de comprar

Quase seis em cada dez entrevistados (56%) têm a percepção de que os produtos estão mais caros do que no ano passado. Outros 38% acreditam que os presentes se mantiveram na mesma faixa de preço e apenas 5% acham que os produtos estão mais baratos do que em 2018. De olho no bolso, 76% dos consumidores pretendem fazer pesquisa de preço. Entre os que disseram ir em busca de melhores ofertas, 69% pretendem usar a internet como aliada, 48% pesquisarão em shoppings e 43% em lojas de rua.

O simbolismo em torno desta data comemorativa ajuda a explicar a decisão de presentear. A pesquisa constatou que 47% dos que farão compras no Dia dos Namorados consideram o ato de presentear um gesto importante, ao passo que 46% têm o costume de presentear as pessoas que gostam. Os mais lembrados na ocasião serão os cônjuges (59%) e namorados (35%).

A sondagem revela ainda que 52% pretendem ir às compras na primeira semana de junho. Já 16% deixarão para a véspera do Dia dos Namorados e 14% disseram antecipar para o mês de maio.

Roupas deve ser o principal item das compras no Dia dos Namorados

Roupas são o principal item de quem irá presentear e se preparar para a comemorar a data; 32% planejam fazer compras em shoppings

Este ano, o levantamento revelou que os gastos devem envolver mais do que a compra do presente. Para 63% dos entrevistados, os gastos com a aquisição de um produto ou serviço terão um motivo especial: a preparação para comemorar a data. Portanto, os itens mais mencionados foram as roupas (30%), os perfumes, cosméticos ou maquiagem (19%), a lingerie ou peça íntima (18%), os calçados (11%) e os tratamentos estéticos, como salão de beleza e barbearia, manicure, depilação (9%).

Quanto ao local de compra, os shopping centers despontam como principal destino, com 32% das citações. Em segundo lugar aparecem as lojas online (18%), seguidas das lojas de rua (11%), das lojas de departamento (11%) e dos shoppings populares (9%). Em relação aos fatores que mais influenciam a escolha do local, 55% mencionaram os preços, 48% a qualidade do produto e 41% as promoções.

Local

Já em relação ao local onde será comemorado o Dia dos Namorados, os consumidores se dividem. Eles variam entre a própria casa (37%) e os restaurantes (27%). Na escolha do presente, os fatores mais levados em conta são: a qualidade do produto (23%) e o perfil do presenteado (20%). Ainda segundo apontou a pesquisa, 70% acreditam que também vão receber presentes na data.
33% pretendem comprar presentes mesmo com contas em atraso, entre esses a maioria está com nome sujo

Para impressionar o parceiro, muitos consumidores não veem limites e até ignoram os compromissos financeiros já assumidos. A pesquisa mostra que três em cada dez (33%) entrevistados que pretendem comprar presentes irão às compras mesmo com contas em atraso. Entre esses, 69% estão com CPFs negativados em serviços de proteção ao crédito. Ademais, 7% deixarão de pagar alguma conta para comprar o presente da pessoa amada.

Enfim, os dados revelam ainda que 30% reconhecem gastar mais do que podem na compra de presentes para o parceiro. As justificativas para ultrapassar os limites do orçamento passam pelo desejo:

  1. de agradar o cônjuge ou namorado (37%);
  2. por achar que o parceiro merece (34%);
  3. e pelo desejo de impressionar (10%).

“Para os que têm contas em atraso ou estão negativados, existem outras formas de surpreender o parceiro. Fazer um esforço além da própria capacidade de pagamento pode comprometer ainda mais o orçamento. É preciso, acima de tudo, ter disciplina para conter os gastos e usar a criatividade”, orienta o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli.

Metodologia

A pesquisa foi realizada por meio de entrevistas com 894 casos em um primeiro levantamento para identificar o percentual de pessoas com intenção de comprar presentes no Dia dos Namorados. Por fim, continuaram a responder o questionário 605 casos de consumidores que tinham a intenção de comprar presente no Dia dos Namorados este ano. As margens de erro, respectivamente, são de 3,3 pontos percentuais e 4,0 p.p. para um intervalo de confiança a 95%. Baixe a íntegra da pesquisa aqui neste link.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter, Instagram. Assim, acompanhe notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Começa hoje a divulgação oficial do Cadastro Positivo, alerta SPC Brasil

Começa hoje a divulgação oficial do Cadastro Positivo, alerta SPC Brasil

A partir de hoje, dia 10, TVs e rádios começam a veicular campanha obrigatória de esclarecimento sobre o novo banco de dados. A divulgação oficial do Cadastro Positivo, que tem o SPC Brasil como um dos seus gestores. Lei entra em vigor em julho. Saiba mais.

É provável que você também goste:

2 melhores cartões de crédito mastercard black com zero anuidade.

Presidente da Caixa diz que já está tudo pronto para liberar o saque do FGTS.

Concurso 2.159: Mega-Sena sorteará prêmio acumulado de R$ 80 milhões.

Começa hoje a divulgação oficial do Cadastro Positivo, alerta SPC Brasil

Divulgação oficial do Cadastro Positivo

A corrida para a implantação definitiva do Cadastro Positivo dá mais um salto nesta segunda-feira, dia 10. Portanto, a partir de hoje, emissoras de rádio e TV de todo o país começam a veicular uma campanha institucional e obrigatória por lei, promovida pela Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC), com o intuito de esclarecer a população sobre como será o funcionamento do novo banco de dados, que tem o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) como um dos seus gestores. A campanha, que ficará um mês no ar, informará a todos os consumidores sobre a inclusão automática no cadastro a partir de 9 de julho e da possibilidade de cancelamento em qualquer gestor.

Contudo, o pedido de exclusão do cadastrado pode ser feito a qualquer tempo e de forma gratuita. O retorno ao Cadastro Positivo é permitido mediante solicitação aos gestores dos bancos de dados. Ademais, também pode ser feito a qualquer momento e sem custo algum. Todavia, as informações do histórico de pagamentos dos consumidores não poderão ser utilizadas para outras finalidades que não seja a concessão de crédito.

Cadastro Positivo deve democratizar acesso ao crédito no Brasil

Sancionada em abril, a lei do novo Cadastro Positivo determina que todos os consumidores brasileiros que possuem CPF ativo e empresas inscritas no CNPJ passem a fazer parte automaticamente do banco de dados. Diferentemente da tradicional lista de inadimplentes, o Cadastro Positivo irá trazer todo o histórico de crédito de forma consolidada. Ou seja, inclusive as contas que são pagas em dia, abrindo possibilidade para uma avaliação mais justa e para a redução do custo do crédito no país. Tendo o SPC Brasil como uma das instituições pioneiras na defesa do novo modelo, foram quase 16 anos de discussão no Congresso Nacional até que a lei fosse aprovada e sancionada pelo Poder Executivo.

Cadastro Positivo deve democratizar o acesso ao crédito

Primeiramente, na avaliação do SPC Brasil, as alterações no Cadastro Positivo devem democratizar o acesso ao crédito. Ademais, devem estimular a competição entre as empresas desse mercado. Especialmente as instituições financeiras, cooperativas de crédito, fintechs e varejo. O cadastro consolida o histórico de crédito de pessoas físicas e jurídicas. Através de bancos de dados com informações do cumprimento de obrigações financeiras, dos pagamentos de dívidas e contas de consumo, como água, luz, gás e telecomunicações. Os bancos de dados são operados por instituições autorizadas pelo Banco Central. Entre as quais o SPC Brasil, braço de serviços e inovação do Sistema CNDL.

“As principais vantagens do cadastro positivo são proporcionar aos consumidores uma análise de crédito mais abrangente e assertiva, possibilitar que eles negociem melhores prazos e taxas de juros, de acordo com a análise de cada empresa, e facilitar a aprovação de empréstimos e financiamentos”, avalia Roque Pellizzaro Junior, presidente do SPC Brasil.

A proteção de dados sensíveis e o sigilo bancário permanecem preservados. Enfim, bem como todas as demais exigências previstas no Código de Defesa do Consumidor. Portanto, garantindo que as informações dos cadastrados sejam utilizadas única e exclusivamente para fins de análise de crédito. Com anos de experiência na gestão do banco de dados de inadimplentes, o SPC Brasil possui uma estrutura tecnológica certificada para operar com o Cadastro Positivo, atendendo a todos os requisitos previstos nas normativas e com o objetivo de garantir a segurança dessas informações e preservar a integridade dos dados dos consumidores cadastrados.

Consumidor receberá pontuação de crédito no novo Cadastro Positivo

Com o novo Cadastro Positivo, as informações dos pagamentos das pessoas físicas e jurídicas serão utilizadas para compor um score de crédito. Ou seja, uma nota determinada a partir da análise estatística dos hábitos de pagamento, do relacionamento com o mercado e dos dados cadastrais. Ademais, para quem concede crédito, apenas o score de crédito estará visível. Enfim. o histórico de hábitos de pagamentos do cadastrado só será disponibilizado mediante prévia autorização do consumidor.

Todavia, no histórico de pagamentos ou na composição do score não serão incluídos elementos relacionados à origem social, etnia, saúde, informações genéticas, sexo e convicções políticas, religiosas e filosóficas. O consumidor pode acessar seu histórico de pagamentos gratuitamente pela internet em sua área logada no site do SPC Brasil ou por telefone, por meio do SAC 0800 887 9105. Por fim, assim que disponível, a consulta de score se dará pelos mesmos canais.

SPC Brasil

Há 60 anos no mercado, o SPC Brasil possui um dos mais completos bancos de dados da América Latina. E possui informações de crédito de pessoas físicas e jurídicas. É a plataforma de inovação do Sistema CNDL para apoiar empresas em conhecimento e inteligência para crédito, identidade digital e soluções de negócios. Oferece serviços que geram benefícios compartilhados para sociedade, ao auxiliar na tomada de decisão e fomentar o acesso ao crédito. É também referência em pesquisas, análises e indicadores que mapeiam o comportamento do mercado, de consumidores e empresários brasileiros, contribuindo para o desenvolvimento da economia do país.

CNDL

Criada em 1960, a CNDL é formada por Federações de Câmaras de Dirigentes Lojistas nos estados (FCDLs), Câmaras de Dirigentes Lojistas nos municípios (CDLs), SPC Brasil e CDL Jovem. Estas entidades em conjunto, compõem o Sistema CNDL. É a principal rede representativa do varejo no país. Ela tem como missão a defesa e o fortalecimento da livre iniciativa. Atua institucionalmente em nome de 500 mil empresas. Juntas representam mais de 5% do PIB brasileiro, geram 4,6 milhões de empregos e movimentam R$ 340 bilhões por ano.

Enfim, gostou da notícia?

Então nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Acompanhe nossos artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao mundo das fintechs.

Dia das Mães deve movimentar R$ 24 bilhões no varejo, mostra pesquisa CNDL/SPC Brasil

Dia das Mães deve movimentar R$ 24 bilhões no varejo, mostra pesquisa CNDL/SPC Brasil

Considerada pelos varejistas como a principal data comemorativa do primeiro semestre e a segunda melhor do ano em termos de faturamento, perdendo apenas para o Natal, o Dia das Mães deve aquecer as vendas pelos próximos dias. Levantamento feito em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que 78% dos consumidores devem realizar pelo menos uma compra no período. O dado fica bastante próximo dos 74% observados em 2018. Em números absolutos, a expectativa é de que aproximadamente 122,1 milhões de brasileiros presenteiem alguém este ano. Isso deve movimentar uma cifra próxima de R$ 24,3 bilhões nos segmentos do comércio e serviços.

Roupas, calçados e acessórios devem ser os campeões de venda neste ano; cresce de 19% para 26% o percentual de consumidores dispostos a desembolsar mais com os presentes.

É provável que você também goste:

Saiba como negociar dívidas online e limpar o nome no SPC

Dia das Mães deve movimentar R$ 24 bilhões no varejo, mostra pesquisa CNDL/SPC Brasil

Primeiramente, ainda que a economia esteja longe de engatar uma recuperação mais consistente e o desemprego siga elevado, a pesquisa deste ano detectou um aumento de sete pontos percentuais na parcela de consumidores que pretendem desembolsar uma quantia maior na data. Em 2018, apenas 19% dos consumidores acreditavam que iriam gastar mais com os presentes. Todavia, neste ano, o dado passou para 26% dos entrevistados. Outros 41% devem gastar a mesma quantia que em 2018, ao passo que 24% planejam gastar menos.

Dentre os que vão gastar mais, a maior parte (56%) alega que comprará um presente melhor para a mãe. Já 22% justificam com o aumento dos preços dos produtos. Ademais, 18% vão comprar mais presentes, o que acabam resultando em um gasto maior.

Por outro lado, considerando os que vão colocar o pé no freio na hora dos gastos, 32% culpam o orçamento apertado no atual momento. 24% das pessoas têm como objetivo economizar e 13% atribuem o gasto menor à economia instável do país. Há ainda 11% que afirmam estarem desempregados.

“A despeito de todas as dificuldades econômicas que o pais atravessa, o brasileiro deverá ampliar os gastos no Dia das Mães, ainda que de forma tímida na comparação com o ano passado. As intenções de compra da data servirão de termômetro para o desempenho do comércio pelos próximos meses, principalmente, em um momento que o poder de compra das famílias continua sendo afetado pelo desemprego elevado e a renda achatada”, afirma o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior.

Dia das Mães 2019: roupas e calçados devem liderar as vendas

Roupas, calçados e acessórios devem ser os líderes de venda neste ano; consumidor vai desembolsar quase R$ 200 com presentes

A pesquisa ainda revela que no Dia das Mães deste ano, os produtos campeões de venda devem ser as roupas, calçados e acessórios (42%), perfumes (36%), cosméticos (23%) e chocolates (19%). O ranking ainda é formado por flores (15%), maquiagem (13%), ida a restaurantes (12%) e utensílios de cozinha (12%). Já os itens de tíquete médio mais elevado e, que pesam mais no orçamento, aparecem com menos força. Como por exemplo  os celulares (10%), eletrônicos (10%) e eletrodomésticos (8%).

Em média, cada cliente deve adquirir entre um e dois presentes. Além disso, apenas 37% dos entrevistados vão consultar a presenteada para descobrir o que ela deseja ganhar. Em cada dez compradores, quatro (38%) devem gastar na faixa de R$ 75 a R$ 150 com os presentes. Já considerando a média total de gastos, o brasileiro deve desembolsar R$ 198,79, cifra superior à média constatada no ano passado, que era de R$ 152,98, o que representa uma alta de 24%, já descontada a inflação acumulada no período.

Os shopping centers, que reúnem diversas lojas e se destacam pela variedade de opções, despontam como o principal centro de compra do Dia das Mães deste ano: mais de um terço (34%) dos consumidores devem realizar a maior parte das compras nesse tipo de estabelecimento. A internet aparece na segunda colocação com 30%, seguida dos shoppings populares (18%) e das lojas de departamento (18%). Para os entrevistados, os fatores que mais pesam na escolha do local de compra são a atratividade do preço (52%), as promoções (40%) e a qualidade dos produtos (39%).

De acordo com o levantamento, os entrevistados têm a intenção de presentear não apenas as próprias mães (72%), como também as esposas (17%), sogras (16%), irmãs (11%), a mãe dos seus filhos (9%) e as avós (8%).

Dia das Mães 2019: endividamento

Para fugir do endividamento, 65% vão recorrer ao pagamento à vista, mas 37% vão às compras mesmo com contas em atraso

Outra constatação do estudo é que a maioria dos consumidores pretende não se endividar no Dia das Mães. Ou seja, darão preferência para o pagamento à vista (65%). Sendo que em 45% dos casos o pagamento será em dinheiro e em 22%, no cartão de débito. O pagamento a prazo será escolha de quase metade (49%) dos entrevistados. Ademais, sobretudo no cartão de crédito parcelado (25%) ou em parcela única também do cartão de crédito (18%). Entre os que dividirão as compras, a média será de quatro parcelas, isso significa que o consumidor só se verá livre desse compromisso em meados de setembro.

“Em um momento em que as pessoas estão inseguras em seus empregos, comprar o presente à vista em dinheiro pode ser uma boa alternativa para fugir do endividamento e evitar comprometer a renda no futuro”, orienta o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli.

Dia das Mães 2019: cuidados com o orçamento

Sobre os cuidados com o orçamento, a pesquisa ainda sinaliza que muitos dos consumidores já extrapolaram o limite de endividamento. Com isso, 37% dos entrevistados declararam ter atualmente alguma conta em atraso. Este percentual sobe para 42% entre as pessoas da classe C, D e E e o público feminino.

Outro comportamento imprudente é que 34% das pessoas ouvidas admitem ter o costume de gastar mais do que podem para agradar as mães com presentes. Cerca de 16% delas reconhecem que podem deixar de honrar algum compromisso financeiro para comprar no Dia das Mães. Este é um crescimento expressivo, uma vez que no ano passado, esse comportamento estava presente em apenas 6% dos entrevistados.

O educador financeiro José Vignoli alerta para o planejamento em datas comemorativas. Especialmente para que o lado emocional não se sobreponha a realidade financeira do consumidor.

“O gasto com o presente precisa caber no orçamento. Antes de sair para as compras é essencial que o consumidor analise suas contas e seus gastos básicos. Além disso, que defina com clareza o quanto pode gastar, dentro de uma análise realista. Para evitar que uma data comemorativa leve o consumidor ao descontrole das finanças e acabe virando motivo de preocupação, ele precisa ser um consumidor planejado”, orienta Vignoli.

Dia das Mães 2019: divisão de custos com outras pessoas

Dois em cada dez consumidores vão dividir custo dos presentes com algum familiar. Pesquisa de preço é prática adotada por 77% das pessoas ouvidas.

A pesquisa ainda detectou que, em cada dez consumidores que vão gastar no Dia das Mães deste ano, dois (19%) devem recorrer a estratégia de dividir o valor das compras com alguma outra pessoa. O rateio será feito, principalmente, entre irmãos (36%), familiares (33%) e com o pai (26%). Aliviar o bolso em um momento de dificuldades econômicas é a principal razão para quem vai dividir o pagamento dos presentes. Ou seja, 22% acreditam ser uma boa alternativa para reduzir os gastos; 18% justificam o preço elevado dos presentes; e 17% estão sem dinheiro suficiente, mas não querem deixar de presentear.

Outra tática aliada para reduzir gastos é comparar marcas e os preços entre diferentes lojas. O estudo revela que a maioria (77%) dos consumidores pretende fazer pesquisa de preço neste ano. Sobretudo, as pessoas das classes C, D e E (79%) e o público feminino (81%). Os sites na internet deverão ser as principais fontes de pesquisa (62%), seguido dos shopping centers (51%). As expectativas do mercado são de inflação controlada em 2019. Contudo, mais da metade (55%) dos consumidores tem a percepção de que os preços dos presentes estão mais caros neste do ano.

“O recomendável é sempre evitar compras de última hora, pois na pressa acaba não sobrando tempo para pesquisar preços e analisar o orçamento. Ir às compras com calma e com tempo para pesquisar se o mesmo produto pode custar mais barato em uma loja concorrente incentiva compras mais saudáveis para o bolso. Nesses casos, a internet é uma grande ferramenta de pesquisa”, analisa Vignoli.

Metodologia

A pesquisa ouviu inicialmente 711 consumidores de ambos os gêneros. Com faixa etária acima de 18 anos e de todas as classes sociais nas 27 capitais do país. Isso para identificar o percentual de pessoas com intenção de gastar no Dia das Mães. Portanto, para avaliar o perfil de compra, foram considerados 600 casos da amostra inicial. A margem de erro no geral é de 4,0 pontos percentuais, a um intervalo de confiança de 95%. Baixe a íntegra da pesquisa em https://www.spcbrasil.org.br/pesquisas

SPC Brasil

Há 60 anos no mercado, o SPC Brasil possui um dos mais completos bancos de dados da América Latina. Ele possui informações de crédito tanto de pessoas físicas quanto de jurídicas. É a plataforma de inovação do Sistema CNDL para apoiar empresas em conhecimento e inteligência para crédito. Além de identidade digital e soluções de negócios. Oferece serviços que geram benefícios compartilhados para sociedade, ao auxiliar na tomada de decisão e fomentar o acesso ao crédito. É também referência em pesquisas, análises e indicadores que mapeiam o comportamento do mercado. Tanto de consumidores quanto de empresários brasileiros, contribuindo para o desenvolvimento da economia do país.

CNDL

Criada em 1960, a CNDL é formada por Federações de Câmaras de Dirigentes Lojistas nos estados (FCDLs), Câmaras de Dirigentes Lojistas nos municípios (CDLs), SPC Brasil e CDL Jovem. Entidades que, em conjunto, compõem o Sistema CNDL. É a principal rede representativa do varejo no país e tem como missão a defesa e o fortalecimento da livre iniciativa. Atua institucionalmente em nome de 500 mil empresas, que juntas representam mais de 5% do PIB brasileiro, geram 4,6 milhões de empregos e movimentam R$ 340 bilhões por ano.

Enfim, gostou da notícia?

Então, siga Seu Crédito Digital no Google News. Receba em primeira mão notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Saiba como negociar dívidas online e limpar o nome no SPC

Saiba como negociar dívidas online e limpar o nome no SPC

Você já deve ter ouvido falar no Serasa Limpa Nome, que é a plataforma de renegociação de dívidas da empresa Serasa Experian. Contudo, muito provavelmente você ainda não conhece a plataforma “Negociar dívida online” do SPC Brasil e CNDL – Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas. Saiba como funciona e aprenda a limpar o nome no SPC aqui neste artigo. Boa leitura!

É provável que você também goste:

C6 Bank consulta o Serasa e começa a liberar o App em lotes para C6 Beta Tester

Emissão de boletos no Nubank é grátis mas possui limite, já no Banco Inter é ilimitada.

Havan libera solicitação do seu cartão de crédito sem anuidade pela internet.

Saiba como negociar dívidas online e limpar o nome no SPC

Negociar Dívida Online é a plataforma do SPC Brasil que auxilia os brasileiros a organizarem a vida financeira e a recuperarem crédito no mercado. É uma ferramenta que facilita a negociação entre consumidores e empresas, utilizando a conveniência e a rapidez da Internet.

No Negociar Dívida Online, o consumidor pode limpar o seu nome em uma lista de empresas. Além disso, vai ter acesso a informações de seu interesse como Cadastro Positivo e Educação Financeira. Portanto, dessa forma, as transações são realizadas de forma segura e confiável.

A plataforma funciona de forma muito semelhante a do Serasa. Ou seja, basta você entrar aqui neste link e consultar seu CPF gratuitamente e conferir se possui eventuais dívidas. Caso afirmativo, você pode conferir as opções de negociação e fazer um acordo, tudo dentro da plataforma.

Com isso, você vai conseguir limpar o nome no SPC e voltar a ter crédito no mercado novamente. Tudo muito rápido e fácil de fazer.

E então, o que achou da dica? Deixe seu comentário logo abaixo.

Enfim, gostou do artigo?

Então, siga Seu Crédito Digital no Google News. Receba em primeira mão notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

CNDL/SPC: inadimplência das empresas tem a menor alta em 18 meses

CNDL/SPC: inadimplência das empresas tem a menor alta em 18 meses

A inadimplência das empresas cresce 3,30% em março. Contudo, trata-se da menor alta em 18 meses, apontam CNDL/SPC Brasil. O aumento de empresas inadimplentes é o mais moderado desde setembro de 2017; já o volume de dívidas em nome de pessoas jurídicas cai pela primeira vez desde 2011. Cenário de baixa atividade econômica tem limitado capacidade de endividamento das empresas.

É provável que você também goste:

Metrô Rio agora aceita pagamento por aproximação de cartão de crédito e celular.

Atenção: saiba quais são os golpes de cartão de crédito mais comuns, e evite-os.

CNDL/SPC Brasil: inadimplência das empresas tem a menor alta em 18 meses

O número de empresas com contas em atraso e registradas nos cadastros de devedores cresceu 3,30% em março. Isso na comparação com o mesmo mês do ano passado. Portanto, trata-se da menor variação desde setembro de 2017, quando a alta fora de 2,62%. Na passagem de fevereiro para março de 2019, sem ajuste sazonal, a alta foi de 0,69%. Os dados foram calculados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

CNDL/SPC: inadimplência das empresas tem a menor alta em 18 meses

Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, a inadimplência das empresas tem crescido de forma mais moderada do que no auge da crise. Ela sinaliza um cenário de acomodação para os próximos meses de 2019.

“Mesmo com a lenta retomada da confiança, os empresários seguem cautelosos para investir. Com isso, há menos custos e menos tomada de crédito, consequentemente, há menos endividamento. Além disso, o crescimento econômico segue em ritmo abaixo do que era esperado do início do ano, com o mercado de trabalho demorando para reagir e a capacidade ociosa das indústrias em níveis elevados”, afirma Pellizzaro Junior.

Inadimplência das empresas cresce mais na região sudeste; dívidas de pessoas jurídicas caem pela primeira vez desde 2011

Os dados regionais mostram que o Sudeste lidera o crescimento da inadimplência nas empresas. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o número de empresas inadimplentes na região cresceu 4,60%, a maior alta entre as regiões pesquisadas. Em seguida aparece na ordem a região Sul, que registrou avanço de 3,29%. Na mesma base de comparação, Centro-Oeste (1,99%), Nordeste (1,53%) e Norte (0,47%).

Entre os segmentos devedores, destacam-se as altas apresentadas pelos ramos de serviços (5,74%) e comércio (1,55%), seguidos pelas empresas que atuam no setor das indústrias (0,93%). Entre os setores credores, o setor de serviços, que engloba bancos e financeiras, responde por 70%. Por fim, em seguida aparecem estabelecimentos comerciais (17%) e indústrias (12%).

Outro indicador também mensurado pelo SPC Brasil e pela CNDL é o de dívidas em atraso. Neste caso, houve a primeira retração desde janeiro de 2011, início da série histórica, com uma queda de -0,11% na comparação com março do ano passado. Na comparação mensal, na passagem de fevereiro para março, a variação foi positiva, de 0,44%, um resultado que denota estabilidade.

“Para os próximos meses, espera-se a atividade econômica ainda se mantenha pouco aquecida, o que deve manter o crescimento da inadimplência das empresas em patamares ainda discretos”, afirma Pellizzaro Junior.

Metodologia

O Indicador de Inadimplência das Empresas sumariza todas as informações disponíveis nas bases de dados da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito). Ademais, as informações disponíveis referem-se a capitais e interior das 27 unidades da federação. Portanto, se quiser saber mais, baixe o material completo aqui neste link.

SPC Brasil

Há 60 anos no mercado, o SPC Brasil possui um dos mais completos bancos de dados da América Latina. Com informações de crédito de pessoas físicas e jurídicas. É a plataforma de inovação do Sistema CNDL para apoiar empresas em conhecimento e inteligência para crédito, identidade digital e soluções de negócios. Oferece serviços que geram benefícios compartilhados para sociedade, ao auxiliar na tomada de decisão e fomentar o acesso ao crédito. É também referência em pesquisas, análises e indicadores que mapeiam o comportamento. Tanto do mercado, quanto de consumidores e empresários brasileiros, contribuindo para o desenvolvimento da economia do país.

CNDL

Criada em 1960, a CNDL é formada por Federações de Câmaras de Dirigentes Lojistas nos estados (FCDLs), Câmaras de Dirigentes Lojistas nos municípios (CDLs), SPC Brasil e CDL Jovem. Entidades que, em conjunto, compõem o Sistema CNDL. Enfim, é a principal rede representativa do varejo no país e tem como missão a defesa e o fortalecimento da livre iniciativa. Atua institucionalmente em nome de 500 mil empresas, que juntas representam mais de 5% do PIB brasileiro, geram 4,6 milhões de empregos e movimentam R$ 340 bilhões por ano.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Acompanhe nossos artigos e notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto das fintechs.

App SPC Consumidor não funciona? Veja como consultar seu CPF

App SPC Consumidor não funciona? Veja como consultar seu CPF

Desde a última sexta-feira (15) os consumidores brasileiros têm mais uma opção para consultar a situação dos seus CPFs na base de dados de um dos bureaus de crédito. O App SPC Consumidor é resultado de uma parceria entre o SPC Brasil e a Comissão de Valores Mobiliários – CMV. O App já existia, mas foi lançada uma nova versão ontem (15), disponível para Android e iOS. A proposta era a de liberar consulta grátis ao CPF. Entretanto, são inúmeras as reclamações na Google Play Store, e o aplicativo não está funcionando em vários dispositivos. A avaliação do app neste momento caiu para 2,1, com 700 avaliações negativas de apenas 1 ponto. Testamos também na App Store e o aplicativo simplesmente não funciona.

Leia também:

Como sair da lista negra dos bancos e voltar a ter crédito novamente?

Será que a NuConta é segura mesmo sem a garantia do FGC?

Como consultar o número do PIS pelo CPF (rápido e fácil)

App SPC Consumidor não funciona? Veja como consultar seu CPF

Dentre as reclamações dos usuários, consta a impossibilidade de concluir o cadastro, travamento, instabilidade e demora no funcionamento. Outras reclamações referem-se a divergências entre restrições. Uma usuário menciona que possui restrições e elas não aparecem. Contudo, uma minoria consegue baixar e efetuar as consultas.

Caso estivesse em perfeito funcionamento, o aplicativo disponibilizaria todas as informações necessárias sobre os débitos existentes. Ou seja, de maneira similar ao Serasa Consumidor, mostrando o valor, data de vencimento e informações da empresa que está cobrando.

Além da consulta grátis ao CPF o App possui outras funcionalidades, como a ferramenta de autoavaliação chamado de “teste de bem-estar financeiro”, que auxilia os consumidores a equilibrarem as finanças. A intenção é incorporar novas funções ao app SPC Consumidor ainda em 2019.

Entretanto, como o app SPC Consumidor não está funcionando, entramos em contato com os responsáveis pelas informações à Imprensa, e até o momento não temos nenhuma informação adicional quanto a regularidade do aplicativo. Assim que tivermos maiores informações estaremos atualizando este post.

Atualização em 18/03/2019 às 20h11:

De acordo com as informações de Luiz Pedrosa (responsável pela comunicação com a imprensa), foi o alto volume de acessos que ocasionou a instabilidade:

“Devido ao alto volume de acessos simultâneos em virtude do lançamento do SPC Consumidor tivemos uma instabilidade temporária do aplicativo. Portanto, o SPC Brasil adotou as medidas necessárias, restabelecendo a performance da ferramenta. Contudo, caso sejam identificadas novas ocorrências, podemos acioná-los novamente.”

Como consultar seu CPF grátis pelo seu Smartphone?

Uma dica para consultar seu CPF através de um aplicativo Android e iOS grátis, é o app SerasaConsumidor. Ele está funcionando perfeitamente, e através dele você consegue consultar gratuitamente o seu CPF a qualquer momento e descobrir se existe alguma dívida em seu nome. Além disso, você também pode acompanhar a pontuação do Serasa Score, monitorar seu CPF contra fraudes em tempo real, e ainda receber ofertas de crédito feitas especialmente para você.

Enfim, gostou da notícia?

Siga-nos em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Acompanhe tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.