Com o objetivo de estimular a diminuição do consumo de energia em horários de alta demanda, foi criada a tarifa branca. Com essa tarifa, os consumidores que adotarem o hábito de consumir fora dos “horários de pico” pagarão menos na conta de energia elétrica. Segundo a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), é possível reduzir em até 20% a conta de luz com essa modalidade. No entanto, esse programa, que existe desde 2018, só é realmente vantajoso se você souber consumir energia elétrica nos horários corretos.

É provável que você também goste:

Brasileiro pretende guardar dinheiro em 2020, diz pesquisa CNDL/SPC Brasil

Confira as regras em vigor para quem vai se aposentar em 2020

Dicas para começar a juntar dinheiro hoje mesmo com pequenas mudanças na rotina

Primeiramente, quem consumia mais de 500kwh/mês estava incluído no programa. No começo de 2019, o programa foi estendido para quem gasta mais de 200kwh. Agora, todos podem aderir ao programa. Conforme a Aneel, mais de 40 milhões de residências e estabelecimentos comerciais podem participar do programa.

Entretanto, consumidores de baixa renda não estão aptos a participar do programa, pois já têm a energia elétrica subsidiada, portanto não teriam vantagem com essa mudança.

Como entrar para a Tarifa Branca

Se você tiver interesse em participar do programa, você deve solicitar à companhia de energia elétrica a troca do seu medidor de energia. Para reduzir a conta de luz, é necessário evitar o consumo no horário de maior demanda, geralmente das 17h30 às 21h30.

Para entrar na tarifa branca, o recomendável é, principalmente, não usar chuveiro elétrico, ar-condicionado, máquina de lavar e ferro de passar roupa nesses horários, pois são alguns dos eletrodomésticos que mais consomem energia elétrica.

CUIDADO: você pode acabar pagando mais caro!

ATENÇÃO: se você aderir à tarifa branca, mas concentrar seu consumo de energia elétrica no horário de pico, pagará mais caro, pois na tarifa branca, o consumo no horário de pico fica mais caro do que com a tarifa comum.

A orientação da Aneel é que o consumidor pense muito bem se a tarifa branca é vantajosa para seu padrão de consumo. Segundo o diretor-geral da Aneel André Pepitone, “aquele consumidor que conseguir mudar o seu hábito de consumo e deslocar o seu consumo para as demais horas do dia terá de fato economia. Agora, caso o consumidor não tenha essa flexibilidade, é mais interessante ele não fazer o uso da tarifa branca, ficar na tarifa convencional, porque ele corre o risco de pagar mais caro”.

Por outro lado, quem aderir à tarifa branca e não tiver vantagem pode solicitar o retorno ao sistema convencional.

Enfim, gostou da matéria?

Então, siga o nosso canal do YouTube, e nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.

Imagem: Bohbeh, via Shutterstock.