Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Vale a pena antecipar a aposentadoria?

A antecipação da aposentadoria requer análise cuidadosa; riscos financeiros e complexidades previdenciárias exigem orientação especializada para decisões informadas.

A aposentadoria representa um momento significativo na vida dos trabalhadores, marcando o término de uma longa jornada profissional. No entanto, a decisão de antecipar esse benefício, embora atraente para muitos, é permeada por nuances complexas e implicações financeiras substanciais.

O desejo compreensível de antecipar a aposentadoria pode confrontar-se com as intricadas regras previdenciárias, exigindo uma análise cautelosa antes da tomada de decisão. Os riscos associados à antecipação da aposentadoria, especialmente no que diz respeito ao valor final do benefício, destacam a importância de se buscar orientação especializada.

Os riscos financeiros

A complexidade do sistema previdenciário exige uma análise minuciosa das opções disponíveis. Por isso, antes de tomar qualquer decisão, como pagar contribuições em atraso para antecipar a aposentadoria, é fundamental buscar o auxílio de um especialista em Direito Previdenciário.

Este profissional será capaz de proporcionar uma visão abrangente dos diversos cenários previdenciários possíveis, permitindo que o segurado tome uma decisão informada e adequada, escolhendo a opção mais vantajosa para sua situação específica.

Casal de idosos sorrindo olhando para um tablet aposentadoria.
Imagem: Reprodução/ Freepik

Como posso antecipar minha aposentadoria?

Apesar de não ser possível antecipar contribuições futuras, existem outras situações que podem auxiliar a antecipar a aposentadoria. Aqui estão algumas delas:

  1. INSS atrasado: Para aqueles que deixaram de pagar o INSS em algum momento, é possível fazer o recolhimento atrasado de até cinco anos. Entretanto, essa opção acarreta o pagamento de encargos financeiros, como juros e multas.
  2. Período de trabalho sem registro: É possível computar o tempo de trabalho não registrado formalmente se houver comprovação da atividade realizada nesse período. Documentos que evidenciam a atividade, como recibos, holerites, comprovantes bancários e registros sindicais, podem ser utilizados.
  3. Tempo de estudo em escola técnica: Certos períodos de estudo também podem contar para a aposentadoria, especialmente se o ensino foi em uma escola técnica e houve vínculo empregatício e remuneração durante o período.

Em todos os casos mencionados, a documentação que comprove o vínculo é necessária. Se você se enquadra em algum desses cenários e tem a documentação apropriada, entre em contato com o INSS para a inclusão destes períodos e, quem sabe, conseguir antecipar a aposentadoria.

Imagem: PeopleImages.com – Yuri A / Shutterstock.com