Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Vale a pena investir em ações das lojas Marisa? (AMAR3)

Descubra nesse artigo a situação atual da empresa e veja a análise os resultados obtidos.

0

Vale a pena investir nas ações das lojas Marisa (AMAR3)? Em primeiro lugar, vale lembrar que as ações das lojas Marisa foram uma das mais recomendadas para o mês passado por diversos analistas. Nesse sentido, o otimismo deles sobre a empresa tem um aspecto mais generalista, visto que as restrições por conta devido à Covid-19 devem começar a diminuir num futuro próximo. 

Dessa forma, não só a varejista Marisa, mas também todas as outras atuantes nesse mercado devem ter um aumento de suas receitas e lucro nos próximos meses.  

Sob tal aspecto, vale a pena investigar um pouco mais a situação atual da empresa e tentar descobrir se vale ou não a pena investir nos papéis da mesma.  

Antes de mais nada, é necessário frisar que este artigo não tem o intuito de indicar nenhum tipo de investimento. Sendo assim, ele tem somente o objetivo de divulgar dados dos balanços publicados pelas respectivas empresas e fornecer um panorama geral de mercado. A sua decisão de investir ou não na Marisa deve ser tomada levando em consideração outras possibilidades de investimento.

Panorama Inicial das Lojas Marisa 

A Marisa foi fundada em 1948, tendo sua primeira loja na cidade de São Paulo. Já em 2006, a empresa aumentou sua área de atuação iniciando a sua própria instituição financeira, concedendo crédito para seus clientes. Sendo assim, em 2007 teve seu IPO, que levantou cerca de R$ 500 milhões na bolsa de valores de São Paulo.  

Atualmente, a empresa é listada no mais alto segmento de governança da Bovespa, o “Novo Mercado”. Desta forma, a empresa tem 100% das suas ações sendo comuns, todas contendo direito de tag along, além de 50% dos membros do conselho serem independentes. 

Ainda assim, a empresa é controlada pela família fundadora, o que normalmente garante uma visão de longo prazo para ela. Apesar disso, a estrutura de administração passou a ser totalmente profissional em 2016. 

Modelo de negócios 

Com a finalidade de atender, como prioridade, a faixa de baixa renda de mulheres 18 e 45 anos, contudo, também mirando na classe média sem restrição de idade, a empresa se coloca como um meio termo entre roupas casuais e da moda, bem como no meio termo entre peças caras e peças mais em conta. 

Desta forma, possui 359 lojas espalhadas em todos os estados da federação, sendo a maior parte localizada na região sudeste do país. Ainda sob tal aspecto, as lojas estão organizadas como sendo 51% dentro de shoppings e 46% em ruas. 

Com o intuito de diminuir as despesas de logística, a Marisa possui 5 centros de distribuição, localizados em 4 das 5 regiões do país.  

Conforme dito anteriormente, a Marisa possui 3 negócios verticais, fora a venda de roupas e acessórios. Nesse sentido, ela comanda a concessão de cartões de crédito para compras na própria loja, bem como cartões para compras em outros estabelecimentos e ainda empréstimos para seus consumidores.  

Mudança de público-alvo 

Em meio às mudanças socioeconômicas do Brasil na última década, a Marisa viu em 2010 uma oportunidade de alcançar os clientes da classe B. Contudo, a tentativa não foi eficiente e, em 2014, os resultados da companhia foram prejudicados.  

De modo semelhante, em 2016 o país atravessou uma grande crise que ocasionou em um retrocesso de consumo na classe média.  

Deste modo, a Marisa, hoje, identifica que houve um erro de comunicação e projeção da marca para seus clientes, o que acabou influenciando em uma rejeição aos produtos da marca pelo público antes atingido. 

Porém, a Marisa correu atrás do prejuízo e voltou a focar seus esforços em atrair os compradores da classe mais baixa, o que vem gerando resultados positivos para as operações da companhia. 

Indicadores da Marisa 

Em primeiro lugar, para tomar a decisão de investir ou não em uma ação, é necessário fazer uma análise minuciosa da empresa pretendida. Desta forma, os indicadores tem um papel crucial, uma vez que, por meio deles, muitos aspectos sobre a saúde do negócio podem ser identificados. 

Ainda sob tal perspectiva, iremos utilizar alguns dos indicadores mais observados por analistas na hora de estudar uma ação. Assim, veremos alguns indicadores de rentabilidade, valuation e dívidas.  

Indicadores de Rentabilidade   

A princípio, a rentabilidade da Marisa se encontra em um estado delicado. A empresa vem apresentando prejuízo há pelo menos 6 anos, com exceção feita a 2018 onde obteve R$ 28 milhões de lucro. Apesar do plano de readequação de público alvo ter apresentado melhoras, a pandemia impossibilitou resultados positivos.  

Nesse sentido, o fechamento de shoppings, entre outras políticas restritivas adotadas por conta da covid-19, afetaram muito o balanço da Marisa, tendo em vista que a maior parte de suas lojas se encontra justamente nesses estabelecimentos.  

Sob tal perspectiva, iremos analisar o ROE da empresa. Primeiramente, o ROE fornece uma proporção entre o lucro líquido de uma empresa e seu patrimônio líquido. Ele é medido por lucro liq. / patrimônio liq. e informa o quanto uma empresa gera de caixa em comparação ao que ela já tem de ativos. 

Desta forma, o ROE da Marisa foi positivo em 2018 (único ano dentro dos últimos 6 em que a empresa obteve lucro). Porém, ainda em um patamar menor de 2,91. Ainda assim, nos anos seguintes o resultado foi negativo, sendo de –7,91 em 2019 e -43,57 em 2020.  

Em síntese, não foi apenas a pandemia que ocasionou prejuízo para empresa. Como foi visto, antes mesmo do covid-19 a Marisa já vinha apresentando déficits por conta de más decisões estratégicas.

Conclusões sobre investir na Marisa

Em resumo, a empresa está passando por um momento delicado. Em contrapartida, a retomada do público-alvo original, que vinha trazendo resultados positivos, encontrou uma situação econômica muito desfavorável por conta da pandemia.  

Ainda assim, o otimismo do mercado é justificável, uma vez que para os próximos períodos a empresa tem grandes chances de melhora significativa em seus resultados.  

Contudo, fica a critério do investidor analisar de forma mais profunda a situação da empresa e do setor em geral para, assim, poder tomar uma decisão mais concisa com seus interesses e objetivos sobre investir ou não na Marisa.  

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o FacebookTwitterTwitch e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de créditoempréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: Vergani Fotografia / shutterstock.com

- Publicidade -

Comentários
Carregando...