A Via Varejo acaba de comprar 100% do banco digital BanQI. Com isso, a empresa dona das marcas Casas Bahia e Ponto Frio dá um importante passo rumo à melhoria dos seus serviços de e-commerce. Apesar da compra, as operações do BanQi continuarão ocorrendo em Boston, nos EUA.

É provável que você também goste:

OAB lança cartão de crédito que reembolsa anuidade da entidade.

Descubra 5 razões para a reprovação no Nubank mesmo com o nome limpo no SPC e Serasa

BanQi é a nova conta digital, concorrente do Nubank, com cartão de crédito e saques gratuitos

Em nota, a Via Varejo afirma que o objetivo da parceria é, principalmente, unir a fintech com a maior varejista de eletrodomésticos e eletrônicos do Brasil para beneficiar seus clientes. Além disso, a Airfox também oferecerá um centro de desenvolvimento tecnológico e de inovação em serviços digitais, a ser aplicada em várias áreas de negócio, inclusive varejo e serviços financeiros.

Em 2019, o presidente da Via Varejo, Roberto Fulcherberguer, disse que a rede já estava se preparando para a chegada do banco digital BanQi. Dessa forma, os 25 milhões de clientes ativos do crediário da Via Varejo seriam incluídos nas soluções financeiras do BanQi. As lojas, portanto, funcionariam também como uma “rede de agências” do BanQi, com a possibilidade de realização de saques e depósitos em contas do BanQi.

Atualmente, a fintech está presente em 200 unidades das Casas Bahia e a Via Varejo pretende disponibilizar o aplicativo do BanQi em todas as lojas.

Por que a Via Varejo comprou o BanQI?

Com o objetivo de enfrentar a concorrência do Magazine Luiza, a Via Varejo resolveu investir pesado em comércio eletrônico. A Via Varejo, que até junho de 2019 era controlada pelo Grupo Pão de Açúcar, voltou às mãos da família Klein. Enquanto as negociações ocorriam, a empresa foi perdendo terreno na área digital, pois não havia uma estratégia de longo ou médio prazo. Dessa forma, o Magazine Luiza conseguiu ganhar muita vantagem no segmento digital melhorando a logística de entrega de produtos e comprando a Netshoes (forte em comércio eletrônico de artigos esportivos).

Apesar da desvantagem competitiva no e-commerce, a Via Varejo ainda possui uma operação total maior do que a do Magalu. Em 2018, a rede da família Klein faturou R$ 30,6 bilhões em vendas, enquanto o Magalu faturou apenas R$ 19,7 bilhões. No entanto, a dona do Ponto Frio e das Casas Bahia teve prejuízo de R$ 267 milhões, enquanto o Magalu teve lucro de R$ 597,4 milhões. Além disso, 30% do dinheiro que o Magazine Luiza fatura vem do comércio eletrônico, enquando a Via Varejo apenas 20% do faturamento da Via Vareja vem do e-commerce.

Enfim, gostou da matéria?

Então, siga o nosso canal do YouTube, e nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.

Imagem: divulgação.

Sobre o Autor

Jadre Marques Duarte Junior

Redator-chefe

Graduado em Administração de Empresas pela UFRGS. Apaixonado por marketing, comunicação e finanças, possuo mais de 8 anos de experiência na área de T.I. aplicada a serviços financeiros.

Ver todos os artigos