Aproximadamente 3 milhões de pessoas tiveram o auxílio emergencial bloqueado por suspeita de fraude. De acordo com a Caixa Econômica Federal, quem teve a conta digital bloqueada, deverá ir até uma agência da CEF para comprovar a identidade e desbloquear o benefício.

É provável que você também goste:

Consumidores darão preferência a compras online no Dia dos Pais

Golpe do boleto falso faz novas vítimas na internet. Saiba como se prevenir

Grupo ZAP oferece antecipação da comissão imobiliária, em parceria com a Nexoos

3 milhões de brasileiros tiveram auxílio emergencial bloqueado e precisam comprovar identidade

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou, em evento virtual promovido pelo site InfoMoney na última terça-feira (21), que grande parte das contas identificadas foram abertas por hackers.

“Centenas de milhares de contas foram suspensas, temos as provas da grande maioria que foi utilizada por hackers, mas pessoas honestas foram penalizadas, já que, para salvar e defender o dinheiro público, fizemos uma medida mais forte”, ele afirmou.

A Caixa não divulgou o número de contas bloqueadas. Contudo, Guimarães afirmou que o bloqueio foi inferior 5% dos 65,2 milhões (o equivalente a 3,26 milhões). Ele garantiu que se tiver o auxílio emergencial bloqueado e se for à agência, comprovando sua identidade terá a conta liberada rapidamente.

“Tivemos filas nos primeiros dias e decidimos acelerar o pagamento digital. Nesse primeiro momento, não tivemos um aplicativo tão defendido quanto duas semanas depois, então tivemos janela de 10 dias em maio quando os hackers conseguiram sim um ou dois movimentos que foram identificados e suspensos”, alegou.

O presidente da Caixa ressaltou que todas as contas bloqueadas são por suspeita de fraude. “Pedimos desculpas, mas é a única maneira de evitar que as contas que foram criadas erradamente continuem recebendo.”

A Polícia Federal investiga as irregularidades.

“Não posso falar agora, mas teremos novidades em breve, os responsáveis já foram identificados e serão penalizados”, contou o presidente da Caixa.

A Caixa esclareceu, ainda em nota, que o aplicativo da instituição tem múltiplos mecanismos integrados de segurança, “mantendo-se inviolável e seguro”.

“O baixo percentual de fraudes observado deve-se à engenharia social, em que são utilizadas informações, documentos e acessos dos próprios clientes. Assim, recomenda-se utilizar apenas os aplicativos oficiais da Caixa e jamais compartilhar informações pessoais”, orientou.

O banco alegou que a área de segurança do banco monitora permanentemente as contas e acessos e, em caso de suspeita, realiza o bloqueio preventivo para proteger os clientes.

A recomendação é que se os usuários que receberem a mensagem “Procure uma agência da Caixa com seu documento de identidade para regularizar seu cadastro”, devem seguir essa orientação para a regularização do acesso.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o Facebook, Twitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: Brenda Rocha via shutterstock

Sobre o Autor

Eduardo Mendes

Cofundador

Sou um entusiasta da tecnologia, que também aprecia inovação, empreendedorismo, além de Fintechs e as suas facilidades. Graduado em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. CoFundador do site Seu Crédito Digital.

Ver todos os artigos