Estamos vivendo um momento em que muitas pessoas tiveram sua jornada de trabalho reduzida e estão enfrentando perdas financeiras por causa da pandemia do novo coronavírus. Com isso, qualquer dinheiro extra é válido, seja para pagar as contas ou para investir em uma nova forma de ganhar dinheiro com as pessoas em isolamento. Sendo assim, a antecipar a restituição do Imposto de Renda pode ser um alívio para muitos que já fizeram a declaração e têm valores a receber.

É provável que você também goste:

Caixa começa a pagar HOJE o saque-aniversário do FGTS. Confira o calendário

Negocie dívidas negativadas no Serasa Limpa Nome pelo WhatsApp

Projeto de Lei que prevê seguro-desemprego para MEI já foi aprovado? Veja como solicitar

Esse valor, porém, só começar a cai na conta dos contribuintes a partir do final de maio, conforme calendário de restituições abaixo:

  • 1º lote: 29/05
  • 2º lote: 30/06
  • 3º lote: 31/07
  • 4º lote: 28/08
  • 5º lote: 30/09

As declarações de imposto de renda podem ser enviadas até o dia 30 de abril e, o quanto antes você conseguir finalizar a sua, maiores suas chances de receber a restituição nos primeiros lotes.

Pensar que você pode receber esse valor em setembro, entretanto, pode não ser o melhor cenário se você precisa de um caixa emergencial agora para driblar os efeitos do coronavírus na economia. Por isso as instituições financeiras oferecem a modalidade de crédito que antecipa aos contribuintes o valor da restituição. Essa opção é válida se você está pensando em pedir um empréstimo, afinal os juros podem ser menores. O cheque especial e o rotativo do cartão de crédito, por exemplo, cobram taxas bem maiores. A antecipação também só vale se você já entregou a declaração e tem de fato valores a receber.

Além disso, existe a possibilidade do governo adiantar esse calendário de restituições, se houver um agravamento da situação econômica em razão da pandemia. Isso será avaliado quando as declarações já tiverem sido enviadas, em 30 de abril.

Vale lembrar que existem duas possibilidades: você receber um valor de volta ou ter de pagar impostos a mais. Caso você não entregue a declaração, a multa é de, no mínimo, R$ 165,74, sendo esse valor descontado na restituição. Já se você tiver algo a pagar, a multa pode ser de até 20% do valor devido.

Juros cobrados pela antecipação

Os maiores bancos oferecem empréstimos de até 100% do valor a receber da restituição, mas têm um teto de valor e as taxas cobradas variam. Confira na lista abaixo:

  • Banco do Brasil: 1,49% ao mês e até R$ 20 mil de empréstimo;
  • Itaú: 1,90% ao mês e até R$ 5 mil de empréstimo;
  • Santander: 1,69% ao mês e não informou o valor máximo de empréstimo;
  • Bradesco: 1,79% ao mês e até R$ 50 mil de empréstimo.

Para pedir esse crédito, você precisa ter conta no banco desejado, ter o comprovante de que entregou a declaração e ter informado essa instituição para receber a restituição do imposto. 

Vale a pena antecipar a restituição se a opção for pedir outro tipo de crédito, que seja mais caro. Se você tem uma reserva de emergência, use o dinheiro que tem guardado e se comprometa a repor depois que estiver em uma situação melhor. Essa é a melhor opção caso você deseje pagar as contas como o cartão de crédito, cujos juros podem ser de até 14% ao mês no rotativo.

O que aumenta a sua restituição

Você esperando receber da Receita Federal ou pedindo para antecipar a restituição, saiba que existem fatores que contribuem para aumentar o valor que você pode receber. Fique atento ao fazer a sua declaração se você ainda não a fez.

Gastos com educação, saúde, doações, previdência privada, pensão alimentícia e custos com seus dependentes devem estar na sua declaração para aumentar o valor a ser restituído. 

Se você ainda não fez, fique atento, resgate os comprovantes desses gastos que teve ao longo do ano de 2019 e não se esqueça do prazo, que é o dia 30 de abril. Essa data pode sofrer alterações em função do coronavírus, mas, por enquanto, está mantida pela Receita Federal.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: Pch.Vector / Freepik