Os brasileiros que foram aprovados pela Caixa Econômica Federal -CEF, a receber o auxílio emergencial terão o valor da sexta parcela depositada automaticamente. Entretanto, isso não significa que todos receberão todas as prestações de R$ 300. De acordo com o Ministério da Cidadania, existe uma data limite para a liberação das quatro novas parcelas: dezembro deste ano.

É provável que você também goste:

Saiba como solicitar cartão de crédito online da Lojas Americanas

7 dicas para você não ficar com o nome sujo no SPC

URGENTE: Bolsonaro desiste do Renda Brasil e garante Bolsa Família até 2022

Auxílio de R$ 300: aprovados correm o risco de ficar sem todas as parcelas

Primeiramente, aqueles que começaram a receber o benefício em abril, terão direito a mais quatro parcelas do auxílio de R$ 300. Todavia, quem começou a receber os R$ 600 a partir de julho, quando também foi liberada a quarta parcela para os primeiros aprovados, terá direito a apenas uma parcela da extensão do programa, de R$ 300.

Enfim, isso significa na prática, que aqueles que receberam a primeira parcela em junho, por exemplo, receberá apenas duas das prestações de R$ 300. Aqueles que tiveram o crédito em maio, mais três de R$ 300. Entretanto, no caso das mães chefes de família monoparental, o valor é de R$ 600.

O Ministério da Cidadania também informa que os aprovados que passaram a ter vínculo empregatício, após o início do recebimento, não terão direito ao auxílio de R$ 300. Aqueles que obtiveram benefício previdenciário ou assistencial, do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal no período também não recebem.

Ademais, a concessão dos R$ 300 levará em conta a declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física de 2019. Isso significa que será diferente da primeira fase do programa do auxílio, na qual foi considerada a declaração do IRPF de 2018.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter e Instagram. Assim você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos etc.

Imagem: Brenda Rocha via ShutterStock </

Sobre o Autor

Eduardo Mendes

Cofundador

Sou um entusiasta da tecnologia, que também aprecia inovação, empreendedorismo, além de Fintechs e as suas facilidades. Graduado em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. CoFundador do site Seu Crédito Digital.

Ver todos os artigos