Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Banco Central: greve dos servidores pode deixar Pix parcialmente fora do ar

O sistema de pagamentos instantâneo não é um serviço essencial.

0

Segundo o presidente do sindicato dos servidores do Banco Central (BC), Fábio Faiad, a greve da categoria deve continuar por tempo indeterminado, já que o governo, na reunião da última terça-feira, 6 de abril, não apresentou proposta oficial alguma para a reestruturação da carreira e aumento de salário. 

Diante disso, a greve será reforçada, o que pode ocasionar a interrupção parcial do funcionamento do Pix, além da distribuição de moedas e cédulas para as instituições financeiras do país.

É provável que você também goste:

Pix supera transações em cartão pela primeira vez, aponta Banco Central

Pix: mulher recebe R$ 100 mil por engano

Reivindicações dos servidores do Banco Central

A reunião foi realizada nesta terça com a presença de Leonardo Sultani, secretário de Gestão de Pessoas do Ministério da Economia, e representantes dos servidores do Banco Central.

Além da reestruturação da carreira, os servidores reivindicam um reajuste de 26,3%. Todavia, segundo dados do próprio Banco Central, grande parte dos funcionários têm salário mensal entre R$ 7 mil e R$ 35 mil.

Paralisações do Banco Central

Cerca de 1,6 mil servidores participaram da votação, sendo que 82% deles escolheram pela paralisação total das atividades, começando no dia 1º de abril.

As paralisações de menor período, cerca de quatro horas, começaram no dia 17 de março, mas a greve por tempo indeterminado teve início na sexta-feira, 1º de abril.

“Como não houve proposta oficial, a nossa resposta vai ser a manutenção e a intensificação da greve”, disse Faiad.

A greve já abrange 60% dos servidores do Banco Central e 725 dos que têm função comissionada entregaram seus cargos, segundo o Sinal. Porém, as exonerações ainda não foram divulgadas no Diário Oficial da União, isso acontece, porque, de acordo com o sindicato, a diretoria do Banco Central tenta segurar o movimento.

“O Pix e outras atividades do BC não se encontram dentro do escopo da lei dos serviços essenciais. Portanto, a greve poderá interromper parcialmente o Pix e a distribuição de moedas e cédulas. E poderá interromper, parcial ou totalmente, a divulgação do boletim Focus e de diversas taxas, o monitoramento e a manutenção do Sistema de Pagamentos Brasileiro e da mesa de operações, o atendimento ao público e outras atividades”, afirmou Faiad.

O uso do Pix

Segundo dados divulgados no site do Banco Central, são efetuadas pelo menos 40 milhões transações por dia com o Pix, uma média diária de R$ 49 milhões negociados.

Em dias úteis, o valor médio das transações chega a aproximadamente R$ 600,00, já nos finais de semana R$ 150,00.

Em nota divulgada pelo Banco Central, a instituição afirmou que tem planos de contingência para evitar instabilidades no Pix, contudo, não detalhou como se dará.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal no YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Instagram, e Twitch. Assim, você acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: Jo Galvao / Shutterstock.com

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar

Fechar