Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Entenda o que é o pré-cadastro no Open Banking

Saiba mais sobre o lançamento da segunda fase do Open Banking, que ocorrerá até 15 de julho.

0

O início da segunda fase do Open Banking começa daqui a pouco menos de um mês. Porém, alguns bancos, como Itaú, Santander e Banco do Brasil, já começam a enviar a seus clientes um tipo de pré-cadastro para a plataforma. O movimento, vale lembrar, é similar ao que ocorreu na fase de implantação do PIX. No Itaú, por exemplo, o banco pergunta se o cliente deseja compartilhar informações bancárias e com quais instituições financeiras, oferecendo uma lista com nomes como Caixa e Nubank. Para saber mais, continue a leitura.

É provável que você goste também:

Você já ouviu falar em Open Banking? Descubra aqui como funciona

Quais são os CDBs com as maiores rentabilidades do momento?

Desafio Santander paga até R$ 60 no seu cartão de crédito

Entenda o que é o Open Banking e para que serve o pré-cadastro

Primeiramente, é preciso saber do que se trata a plataforma. De maneira geral, o open banking é a padronização do processo de compartilhamento de dados e serviços financeiros pelas instituições autorizadas a funcionar pelo BC, por meio de abertura e integração de plataformas e infraestruturas de tecnologia. Por meio do sistema, os clientes terão poder sobre as informações levantadas pelos bancos e poderão autorizar o compartilhamento a outras instituições.

Dessa forma, a fase 2 do processo de abertura de dados bancários no Brasil pode ser entendida como o início do consentimento de clientes sobre compartilhamento de dados cadastrais e de crédito mantidos em outras instituições financeiras com o banco onde tem conta. A data para implementação é até o próximo dia 15 de julho.

Esse cadastro tem alguma validade jurídica?

Mas, afinal, fazer esse cadastro tem alguma validade para o momento em que o sistema começar a funcionar? Segundo os próprios bancos, não. Assim, quando o sistema for iniciado de fato pelo Banco Central, os bancos terão de pedir novamente o consentimento dos clientes sobre o compartilhamento de dados.

De acordo com Fábio Lins, superintendente executivo de open banking do Banco Original, em entrevista à Revista Exame, o consentimento valerá para uma instituição financeira por vez, da escolha do cliente. Por fim, o pedido oficial precisará ainda deixar claro quais informações ele está consentindo em dar e por qual período de tempo vale esse consentimento. 

Enfim, gostou da matéria?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o FacebookTwitterTwitchInstagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: atk work / Shutterstock.com

- Publicidade -

Comentários
Carregando...