No último sábado (dia 15/02/2020), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que os preços dos pedágios no Brasil, em muitos casos, extrapolam o limite de razoável. Bolsonaro salientou que os contratos com as concessionárias são reajustados conforme o IPCA, porém o salário do brasileiro não acompanha a inflação.

É provável que você também goste:

Nova carteira do estudante gratuita poderá ser lançada pelo MEC

Fila de espera do Bolsa Família chega a 3,5 milhões de pessoas no 1º ano do governo Bolsonaro

Brasileiros agora poderão comprar carros sem tarifas do Paraguai

Bolsonaro critica preços dos pedágios no Brasil

“Eu tenho conversado com o (ministro da Infraestrutura) Tarcísio (de Freitas) que, muitas vezes, quase todos eles extrapolam aquilo que é o razoável para pagar”, afirmou o presidente. Além disso, complementou dizendo: “Os contratos têm IPCA e tenho conversado com Tarcísio se pode pôr no contrato um reajuste, quem sabe, né, com 90% do IPCA, ou 95% ou 80%, porque o salário não acompanha a inflação. Temos que começar a pensar no médio e longo prazos, e não no curto prazo.

Por fim, Bolsonaro criticou as agências reguladoras. Segundo ele, elas atuam “para o bem e para o mal”. O presidente também disse que tenta indicar bons nomes para ocupar cargos em autarquias, afinal elas às vezes exercem funções mais importantes do que as de alguns ministérios.

“Tem agência que é tão ou mais poderosa que um ministério. Coisa que o povo não sabe porque obviamente como é um interesse muito mais político do que técnico, isso é escondido. Espero que a imprensa comece a mostrar as agências para que a população entenda como o destino do Brasil é conduzido.

Essas declarações foram dadas durante evento de inauguração de uma obra que ligará a ponte Rio-Niterói à Linha Vermelha, no Rio de Janeiro.

Enfim, gostou da matéria?

Então, siga o nosso canal do YouTube, e nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.

Imagem: Moon Safari, via Shutterstock.