Caixa e Banco do Brasil liberam linhas de crédito emergenciais durante a crise

0

Depois de mais de um mês com linhas de crédito emergenciais anunciadas pelo Banco Central, bancos começam a atender produtores rurais que buscam o benefício. Confira logo abaixo como alguns dos principais bancos brasileiros pretendem liberar essas linhas de crédito.

É provável que você também goste:

Caixa libera 3 calendários diferentes da 2ª parcela do auxílio emergencial

Auxílio emergencial será pago exclusivamente pelo Caixa Tem, exceto para beneficiário do Bolsa Família

Auxílio emergencial em análise? Dataprev aprova mais 8,3 milhões de cadastros. Confira seu benefício

Caixa e Banco do Brasil liberam linhas de crédito emergenciais durante a crise

Desde o dia 9 de abril, produtores rurais aguardavam a liberação de crédito emergencial, frente aos impactos causados pela pandemia do novo coronavírus. Além disso, o setor agropecuário passa por um grave período de estiagem.

Agora, mais de 30 dias depois, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil informaram que estão prontos para operar as linhas de crédito emergenciais liberadas pelo Banco Central. Já o Sicredi garantiu que vai oferecer financiamentos a partir da próxima semana.

Na data de 9 de abril, o Banco Central publicou duas resoluções (4.801 e 4.802) que flexibilizaram o pagamento de dívidas e contratação de crédito para beneficiários do Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf), do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor (Pronamp) e outros setores do agronegócio como cooperativas, cerealistas e agroindústrias. 

Entretanto, na última quarta-feira (13), o Banco Central anunciou uma terceira resolução (4.816), alterando o art. 1º da resolução 4.802 publicada em abril.

Banco do Brasil

No Banco do Brasil, no mesmo dia em que as primeiras duas resoluções foram publicadas, já houve a liberação de alguns benefícios. Os correntistas produtores de hortaliças, frutas e flores/plantas ornamentais teriam condições especiais para financiamentos em vigência. Estes clientes tiveram acesso à prorrogação de parcelas das dívidas para 180 dias após o vencimento original em operações de custeio, e 1 ano nas de investimento.

No entanto, as linhas de crédito emergenciais só foram aprovadas e disponibilizadas no mês de maio. Conforme a assessoria do Banco do Brasil, todos os ajustes tecnológicos necessários para atender às resoluções do Banco Central foram concluídas. Assim, agora tanto as prorrogações quanto a oferta de crédito para Pronaf, Pronamp, cooperativas e agroindústrias estão disponíveis.

Caixa Econômica Federal

Já a Caixa Econômica Federal fez adequações para que processos e meios de atendimento sejam realizados por internet banking ou SMS. Na nota da assessoria do banco consta que “relativo às novas destinações no Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural – Pronamp e no Financiamento para Garantia de Preços ao Produtor – FGPP, informamos que estão disponíveis para contratação pelos produtores rurais com taxas a partir de 3,7% a.a.”.

Diferentemente do Banco do Brasil, a Caixa atende a beneficiários do Pronaf apenas na modalidade agroindústria.

Sicredi

O Sicredi afirmou estar realizando algumas operações de auxílio aos agricultores desde a segunda semana de abril. Sendo prorrogações de operações de custeio e oferta de linhas de financiamento para estocagem. Considerando a publicação da Resolução 4.816, o banco agora está apto a prorrogar parcelas de investimentos que envolvem recursos do BNDES.

Já sobre as linhas de crédito emergenciais, estas serão disponibilizadas a partir da próxima semana, segundo declaração da assessoria de imprensa do Sicredi.

Bradesco

A assessoria do Bradesco, entretanto, não informou se o banco está realizando o serviço de crédito emergencial para agricultores afetados pela pandemia e/ou pela estiagem.

Mas em nota enviada ao Canal Rural, o banco afirma que “o processo de prorrogação será feito de forma fácil e rápida após a solicitação ao gerente da conta através de solicitação formal”. Dessa forma, produtores prejudicados pela COVID-19 podem solicitar a postergação de financiamentos de custeio e investimento.

Por outro lado, para os casos relacionados à estiagem, o adiamento de parcelas deve passar por outras etapas. “Após o recebimento do pedido, [o Bradesco] fará uma análise detalhada pelos técnicos do banco, que irão propor o prazo mais adequado para a prorrogação da operação de crédito”, diz a nota.

Santander

Por fim, o Santander ainda não se pronunciou sobre a liberação de recursos para auxiliar os produtores rurais com a flexibilização de crédito.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o Facebook, Twitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem destacada: Tarcisio Schnaider / Shutterstock.com

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar