Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Caixa vai usar o Caixa Tem para pagar o seguro-desemprego nesta terça-feira (20/04)

Movimentação é feita por meio do Caixa Tem.

0

Na intenção de deixar mais fácil o pagamento do seguro-desemprego, o Governo Federal deve começar nesta terça-feira (20/04) a realizar depósitos do auxílio em contas poupanças sociais digitais, que foram abertas de forma automática para todos que são trabalhadores e não possuem conta na Caixa Econômica Federal.

É provável que você também goste:

Número de clientes que se tornaram MEIs aumentou na pandemia, de acordo com o Nubank

Carteira digital Bitz, do Bradesco, supera marca de um milhão de clientes

A Caixa vai fazer novas antecipações de saques do auxílio emergencial?

A abertura também ocorreu para aqueles que não indicaram outra conta para receber o valor, em um banco distinto, ao requerer o benefício.

A poupança aberta é gratuita e designada para maiores de 18 anos que possuem CPF com situação regular. Além disso, não é preciso apresentar documentos ou comparecer a uma agência bancária. Toda a movimentação deve ser realizada por meio do app Caixa Tem (iOS | Android).

Essa é apenas mais uma opção destinada a quem possui direito de receber o seguro-desemprego. Dessa forma, as outras maneiras para recebimento permanecem disponíveis. Aqueles que contam com algum impedimento para que a conta seja aberta não poderão acessar.

Como vai funcionar o pagamento de seguro-desemprego através do Caixa Tem

Pelo Caixa Tem, os trabalhadores conseguem gerar tokens para que o valor do seguro-desemprego seja sacado, além de realizar pagamentos de contas e transferências. Não existe uma tarifa de manutenção na poupança social digital. Contudo, há limite mensal de transações no valor de R$ 5 mil.

Primeiramente, têm direito a esse benefício os trabalhadores que possuem carteira assinada e foram demitidos sem justa causa. O valor de cada parcela é calculado de acordo com a média salarial dos três meses antes da data de demissão, com o custo do benefício impedido de ser inferior a um salário mínimo.

O pagamento normalmente é realizado de três até cinco parcelas, com valor máximo de R$ 1.911,84 em cada uma delas. Por fim, para conseguir acessar o crédito, o trabalhador formal precisa realizar uma entrada, que seria no pedido do 7º até o 120° dia, logo depois da data de dispensa.

No caso de empregados domésticos, a data conta do 7º até o 90° dia, que são contados depois da data de demissão. 

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitterInstagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: Alison Nunes Calazans / Shutterstock.com

Comentários
Carregando...