O Cade, Conselho Administrativo de Defesa Econômica, investiga as irregularidades cometidas nos mercado financeiro. Por isso, o Itaú, Banco do Brasil e Bradesco são os que mais são investigados. Outros alvos são as bandeiras e administradoras de cartões de crédito que são ligadas a eles. O Itaú, por exemplo, conta com, no mínimo, 7 processos contra ele, já o Banco do Brasil tem seis e o Bradesco mais cinco. Além disso, produtos como consignados e maquininhas também são investigados por suposto cartel para impedir crescimento das fintechs.

Leia também:

Caixa vai entrar na guerra das maquininhas com Itaú ou Bradesco.

A briga do Nubank contra bancos tradicionais brasileiros no Cade.

Maior desafio do Cade

Segundo o Uol, a regulação do mercado de pagamentos e o relacionamento entre bancos, credenciadoras e bandeiras estão tendo uma atenção maior do Cade, assim como têm se mostrado um grande desafio. Para termos uma ideia, desde 2012 já foram realizados sete acordos para acabar com condutas anticompetitivas. Entretanto, a maioria dos acordos não houve exigência de pagamentos.

O Itáu teve que pagar R$ 21 milhões para encerrar processo que estava sendo apurado. A suspeita é de que as instituições estejam firmando contratos de exclusividade com estabelecimentos comerciais. Ou seja, adotavam práticas como venda casada, retaliação e discriminação na cobrança de tarifas.

Suposto cartel para impedir crescimento das fintechs?

o Cade também terá que avaliar o impacto das novas tecnologias no setor financeiro. Até porque três processos foram abertos, desde o ano passado, no qual um banco digital, uma associação de criptomoedas e um app de finanças questionam as condutas dos bancos tradicionais.

O Nubank, por exemplo, denunciou as instituições financeiras por suspeita de impedir a atuação da startup financeira no mercado.

“Acreditamos que ter um mercado livre e competitivo garante que as pessoas tenham a liberdade de escolher os melhores serviços para elas. Confiamos que as autoridades reguladoras continuarão a proteger e a estimular a competitividade no setor, garantindo que novos entrantes continuarão a ter espaço para inovar”, afirmou o Nubank, em nota.

O BB e o Bradesco foram procurados, mas informaram que prestaram todas as informações solicitadas pelo Cade. E ainda reiteraram o compromisso de atuar com respeito à livre competição.

Gostou da notícia?

Nos siga no FacebookTwitter e Instagram para continuar acompanhando todos os artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao mundo das fintechs.

Fonte: Uol.