Como funciona o pagamento mínimo do cartão de crédito? Vale a pena?

0

Quem nunca passou por um perrengue de dinheiro, aquele momento desesperador que você não sabe como vai fazer para pagar todas as suas contas do mês? E nessas horas, é comum começar a analisar as possibilidades. E eis que surge a ideia de fazer o pagamento mínimo do cartão de crédito. Mas será que vale a pena? Quais as alternativas?

É provável que você também goste:

Projeto libera FGTS para trabalhador QUITAR suas dívidas.

Cartão Bahamas Cred Elo aprova fácil pelo WhatsApp, mesmo com score baixo.

Nova ação do Santander libera cartão de crédito mesmo para quem tem score baixo.

Como funciona o pagamento mínimo do cartão de crédito?

Antes de mais nada, precisamos entender como funciona o pagamento mínimo do cartão de crédito. O pagamento mínimo, também chamado de rotativo, é uma maneira do consumidor não ficar inadimplente, ou seja, com o nome sujo no SPC e Serasa.

Para isso, o cliente precisa pagar pelo menos 15% do valor da sua fatura do mês, somados a 15% das compras que ficam em aberto na fatura passada e 100% de qualquer lançamento, como juros, IOF, multa de atraso e/ou saque. O restante da dívida que não foi paga é cobrada no mês seguinte, com juros.

Até 2017, era possível que no mês seguinte, o consumidor pagasse novamente um mínimo de 15% da sua fatura, incluindo os valores pendentes do mês passado e os juros. Porém, o Banco Central mudou as regras. A ideia era evitar a chamada “bola de neve”, em que a dívida ia tendo juros sob juros e acabava ficando gigantesca.

Desde então, não é possível fazer o pagamento mínimo no cartão de crédito mais de um mês consecutivo. No caso do cliente não poder pagar a fatura integral no mês seguinte, é necessário realizar outra forma de negociação, como o parcelamento da fatura.

E isso beneficia o próprio consumidor, pois as taxas de parcelamento são menores do que os juros do rotativo.

Parcelamento da fatura: A melhor alternativas ao pagamento mínimo do cartão de crédito

Como mencionamos anteriormente, os juros do rotativo são bastante altos. Por isso, muitas vezes vale mais a pena atentar-se à outras maneiras de negociação do seu cartão de crédito, para não ficar inadimplente e ainda assim pagar um valor que caiba no seu bolso.

A maneira mais comum é o parcelamento da fatura. Com essa modalidade de negociação, você vai pagar em parcelas de iguais valores a fatura atual, como se fosse uma compra parcelada. Os juros dessa modalidade são menores do que as do pagamento mínimo do cartão de crédito, e na maioria dos casos, é mais vantajoso tentar essa opção desde o início, evitando o pagamento mínimo do cartão de crédito.

Quando o pagamento mínimo da fatura vale a pena?

Embora o pagamento mínimo da fatura possa parecer algo assombroso, afinal, pode causar um abola de neve financeira, as vezes ele pode ser interessante. Um caso especial é quando você não tem todo o valor da fatura na data do vencimento, porém, ao decorrer do mês, você pode pagar a fatura integralmente. Neste caso, vale a pena pagar uma parte, e depois o restante.

O motivo é que se você não fizer isso, ficará inadimplente. E a outra alternativa é fazer o parcelamento da fatura. Porém, se você pagar o mínimo no começo do mês, por exemplo, e o restante ao longo do mês corrente, você não pagará juros. E o parcelamento é algo que você não pode voltar atrás.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o FacebookTwitter e Instagram. Assim você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos etc.

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar