Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Congresso Nacional deve regulamentar novo adicional para os trabalhadores; saiba mais

Congresso Nacional considera regulamentar novo adicional para trabalhadores. Descubra mais e participe do debate sobre direitos trabalhistas!

Recentemente, uma decisão importante foi tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que impacta diretamente trabalhadores de setores urbanos e rurais. Dessa maneira, os ministros do STF deram um prazo de 18 meses para o Congresso Nacional regulamentar o pagamento de adicionais para atividades consideradas penosas.

O relator do caso, ministro Gilmar Mendes, destacou a necessidade urgente dessa regulamentação. Segundo ele, a falta de uma normativa clara vem impedindo que muitos profissionais recebam o que lhes é devido, conforme previsto na Constituição Federal. A decisão do STF foi unânime e veio após a análise da ADO 74, proposta pela Procuradoria-Geral da República.

O que são trabalhos penosos e por que são importantes?

Carteira de trabalho posicionada em cima de notas representando o salário do trabalhadores
Imagem: Orlando Neto / shutterstock.com

Trabalhos penosos são aqueles que envolvem não apenas a exigência de esforço físico significativo, mas também a exposição a condições que podem ser nocivas à saúde a longo prazo. Existem trabalhos que, por seu ambiente ou natureza, impõem riscos substanciais, tais como operações em temperaturas extremas, ruídos intensos ou a manuseio de materiais perigosos.

O adicional de insalubridade é concedido quando há exposição a condições que podem causar doenças. Já o adicional de periculosidade abrange situações em que o trabalhador está exposto a risco iminente de morte. Por fim, o adicional de penosidade direciona-se a trabalhos desgastantes que não necessariamente envolvem riscos diretos à vida.

Impactos da falta de regulamentação

A ausência de uma normativa específica para a penosidade tem deixado muitos trabalhadores sem a proteção adequada. Sem a regulamentação, fica complicado para os trabalhadores pleitearem seus direitos, dado que não há critérios claros ou procedimentos estabelecidos para a classificação de uma atividade como penosa.

Veja também:

Governo quer atrair mais turistas estrangeiros com projeto para novas linhas de voo; saiba mais

A decisão do STF de estabelecer um prazo fixo sugere uma pressão positiva sobre o Legislativo para que essa questão seja finalmente resolvida. Com a definição clara do que consistem os trabalhos penosos e de como os adicionais devem ser calculados e pagos, espera-se que os diretos trabalhistas sejam assegurados de maneira justa e eficaz.

Imagem: Gustavo Mello / Shutterstock.com