CEO do Nubank diz que queria ajudar de maneira diferente nesta crise do coronavírus. Em entrevista à Exame, o fundador e presidente do Nubank, David Vélez, falou que há aproximadamente uma semana e meia, começou a receber comentários dos clientes, que entraram em contato com a empresa relatando que estavam passando por problemas devido à pandemia do coronavírus.

É provável que você também goste:

Coronavírus: como ganhar dinheiro na internet como freelancer.

Supermercados têm alta de preços devida ao coronavírus,

CEO do Nubank diz que queria ajudar de maneira diferente nesta crise do coronavírus

Muitos clientes disseram que estavam com problemas financeiros, como pagar contas com lotéricas fechadas ou pela redução na renda. Entretanto, outros também estavam com problemas mais amplos, como dificuldade de marcar exames médicos ou para comprar itens básicos. “Nessa crise, a gente queria ajudar e reagir de uma maneira diferente”, diz.

O Nubank criou um fundo de 20 milhões de reais para ajudar os seus clientes durante a crise do novo coronavírus. Segundo a fintech, o dinheiro veio da verba de marketing e de outros ganhos de eficiência. Com isso, poderá custear o atendimento médico e psicógico remoto via vídeo, pedidos de supermercados e farmácias, entre outros serviços.

A fintech fechou parcerias com empresas como o Hospital Sírio-Libanês, o aplicativo de atendimento psicológico Zenklub, as empresas de delivery iFood e Rappi, e ainda com o aplicativo de produtos de pet shop Zee.Dog.

Segundo Vélez, depois que o Nubank divulgou a iniciativa, outras empresas entraram em contato para participar. “Queremos que esse seja um fundo vivo e que cresça”, afirmou o empreendedor.

Confira a entrevista completa com o CEO do Nubank:

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: Beto Chagas/shutterstock.