Tag - fintech

Diin: guarde dinheiro e invista a partir de R$ 1,00 com rendimento maior que a poupança

Diin: guarde dinheiro e invista a partir de R$ 1,00 com rendimento maior que a poupança

É comum que tenhamos metas e sonhos durante nossas vidas. Contudo, muitas vezes esbarramos no fato de não termos dinheiro para realizar o que almejamos. Além disso, as pessoas não costumam ter o hábito de guardar dinheiro, o que dificulta ainda mais os seus problemas. Por isso conheça a fintech Diin e guarde dinheiro investindo a partir de R$ 1,00 com rendimento maior que a poupança.

É provável que você também goste:

2 empréstimos sem consulta ao SPC e Serasa do Bradesco.

Cartão Caixa Simples é zero anuidade e sem consulta ao SPC/Serasa.

Dica fundamental para aumentar o limite no cartão Nubank.

App Diin

Neste contexto, a fintech Diin quer que o simples ato de guardar um pouco de dinheiro se torne algo natural e habitual da pessoa. O Diin quer que as pessoas percam o conceito de que para poupar é preciso ter dinheiro sobrando ou juntar uma quantidade muito grande de recursos.

Tesouro Direto

Para poupar pelo Diin, basta se cadastrar pelo app e transferir o valor que o usuário deseja poupar. A transferência pode ser feita via TED ou boleto bancário. A startup financeira, portanto, aplica o dinheiro em títulos públicos, no Tesouro Direto. O investimento, segundo a Diin, dá um retorno de 89% do CDI, sendo que a poupança rende aproximadamente 71% do CDI.

Além disso, não há um valor mínimo para começar a investir. A Diin não cobra nenhuma tarifa, mensalidade ou taxa de manutenção. O que ela fatura é com o spread bancário, ou seja, a diferença entre o rendimento do título comprado pela fintech e o que é repassado ao usuário/investidor.

Desafio 21

O Diin conta com um desafio em seu app: é o desafio 21. Ele propõe ao usuário que comece com um investimento baixo, de apenas um real. Mas a medida que vai se passando os dias, se acrescenta mais um real de investimento ao valor que foi guardado no dia anterior. Ou seja, ao final de 21 dias, o quantia poupada é de R$ 231,00.

Enfim, gostou da notícia sobre o app Diin?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter, Instagram. Assim, acompanhe notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Jeitto dá crédito de R$ 30 a R$ 500 e sem juros

Jeitto dá crédito de R$ 30 a R$ 500 e sem juros

A Jeitto oferece crédito de R$ 30 a R$ 500 para moradores das periferias brasileiras. Esses moradores, no entanto, são os que ganham até 3 mil reais por mês.

Além disso, a fintech não cobra juros, mas sim uma tarifa de 3 a 8 reais por empréstimo. O crédito, no entanto, não é liberado em dinheiro, mas sim em forma de boleto bancário, para fazer a recarga de celular e pagar contas como água e luz, além de serviços como Uber. Contudo, se o usuário não pagar o boleto em 40 dias e se não pagar em dia, o nome é negativado.

Leia também:

3 cartões de crédito sem anuidade e que não exigem comprovação de renda.

Conheça os cartões sem anuidade da Credicard que concorrem com o Nubank.

Banco rendimento dobra capital e vai lançar conta digital.

“Não queremos superendividar o consumidor. Ele consome, paga, consome, paga. A ideia é ajudar no seu fluxo de caixa, sem dar um empréstimo maior do que ele precisa”, diz Fernando Silva, um dos sócios da Jeitto.

Jeitto se inspirou na África

A fintech se inspirou em empresas da África que bancarizaram pessoas de baixa renda através do celular, como a M-Pesa, do Quênia. Os africanos, assim como acontece no Brasil, precisam de pouco dinheiro emprestado e só encontram opções de empréstimos de altos valores no bancos e financeiras, a juros caros, ou não possuem o crédito aprovado devido ao risco de inadimplência.

O problema para esses consumidores, além da dificuldade do acesso às instituições financeiras tradicionais, é a falta de conveniência. “As pessoas passam horas em transporte público, odeiam ficar em filas e não têm agências perto da sua casa para pagar uma conta. Precisamos ajudá-las a fazer seu controle financeiro”, diz Silva.

O foco da fintech é dar crédito, mas quem não consegue aprovação do empréstimo pode usar a carteira digital pré-paga. O cliente pode carregar a carteira com dinheiro e fazer transferências, pagar boletos e realizar compras sem conta em banco, por um real por transação. Contudo, a Jeitto poderá conhecer o cliente, sendo talvez uma possibilidade em dar crédito no futuro.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhe notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto das fintechs.

Fonte: Exame.

Bradesco começa a oferecer empréstimo online para não correntista em parceria com fintech

Bradesco começa a oferecer empréstimo online para não correntista em parceria com fintech

O Bradesco começou a testar com uma fintech a concessão de empréstimo online para não correntista. A parceria foi firmada com a EasyCrédito. A startup financeira possui um aplicativo que permite que os consumidores procurem empréstimo e outros serviços financeiros em 56 parceiros, o que inclui bancos, fintechs e varejistas.

Leia também:

Conheça o cartão de crédito da Caixa sem anuidade e com superlimite.

Aposentado do INSS que ganha acima do salário mínimo receberá 3,43% de reajuste.

A forma mais rápida de conseguir empréstimo sem consulta ao SPC e Serasa.

Bradesco começa a oferecer empréstimo online para não correntista em parceria com a EasyCrédito

Com isso, o Bradesco torna-se o primeiro grande banco a aderir o serviço da EasyCrédito para oferecer empréstimo. O Banco do Brasil e Caixa, por exemplo, fornecem outros serviços pela plataforma.

A startup financeira possui método próprio para avaliar o risco do cliente não pagar o seu empréstimo. Ela usa dados não convencionais, como comportamento em redes sociais e permite o envio de documentos e assinaturas pela internet.

Contudo, o Bradesco terá uma plataforma própria, disponível neste link, algo que é diferente do que acontece com os demais fornecedores de empréstimos.

A expectativa da fintech é que a parceria leve a um aumento de 50% nas solicitações de empréstimos. Até hoje, a empresa já recebeu 1 milhão de solicitações.

Por fim, a EasyCrédito participou em 2016 do programa de relacionamento e apoio a startups, o InovaBra, espaço de coinovação do Bradesco destinado à geração de negócios baseado nas tecnologias disruptivas. Atualmente a EasyCrédito está com 20 funcionários e mantém escritório no InovaBra Habitat, prédio que foi inaugurado em 2018 concentrando startups e departamentos de inovação de grandes empresas mantido pelo Bradesco em São Paulo.

Enfim, gostou da notícia?

Então nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

BC aumenta o piso para recolhimento do depósito compulsório e isso ajudará as fintechs

BC aumenta o piso para recolhimento do depósito compulsório e isso ajudará as fintechs

O Banco Central aumentou o piso para recolhimento do depósito compulsório. Isso dará mais fôlego para instituições menores, como as fintechs, na concorrência com os grandes bancos.

Banco Central aumenta o piso para recolhimento do depósito compulsório e isso ajudará as fintechs

O afrouxamento foi relevante, pois em duas circulares, o BC aumentou o valor a partir do qual o compulsório sobre depósitos à vista passa a ser recolhido de R$ 200 milhões para R$ 500 milhões. Isso significa que os bancos passam a recolher só depósitos que serão maiores que meio bilhão de reais.

Leia mais:

Privatizações do Banco do Brasil e Caixa estão perto de acontecer?

Banco Central planeja transferências bancárias mais baratas, em 20 segundos e 24h por dia.

Será que o empréstimo sem consulta ao SPC e Serasa do Banco Inter é confiável?

O Banco Inter, por exemplo, tem cerca de R$ 500 milhões em depósitos à vista, e isso, certamente se converterá numa injeção de rentabilidade. O Retorno sobre o patrimônio (ROE), por exemplo, hoje está entre 9% e 10%, mas deverá saltar 1 ponto percentual, nas contas de um acionista do Inter. Hoje, no recolhimento compulsório, os depósitos à vista do banco rendem 60% do CDI, com nova regra passarão a render 100%.

“O BC está tentando aumentar a competição”, diz um analista. “Para um banco pequeno, ele vai continuar a exigir que seja capitalizado, mas quer tornar a vida dele mais fácil”.

Os depósitos compulsórios servem como uma ferramenta para regular a liquidez do sistema bancário e a oferta de crédito. Ou seja, quanto menor for o compulsório, maior a disponibilidade de recursos disponíveis para empréstimos.

Gostou da notícia?

Então que tal nos seguir em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim continuará acompanhando artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Conheça Airfox: fintech libera empréstimo para pessoas sem conta bancária

Conheça Airfox: fintech libera empréstimo para pessoas sem conta bancária

O Brasil conta com uma das taxas de juros mais altas do mundo e os bancos brasileiros ainda insistem com burocracias desnecessárias na hora de uma contratação de empréstimo. Por isso, a fintech Airfox, empresa de serviços financeiros móveis, lançou uma alternativa no país que promete ser mais barata, fácil e mais moderna que o tradicional sistema bancário brasileiro. No entanto, o app está disponível apenas para Android.

Leia mais:

Empréstimo do Banco Agibank é sem consulta ao SPC e Serasa.

Santander e Itaú realizam feirões para renegociação de dívidas.

Justiça determina que consumidor só pode ficar com o nome sujo por até 5 anos.

Conheça Airfox

O objetivo da Airfox é revolucionar o modo como o sitema bancário é realizado no Brasil. Com uma proposta de inclusão, a instituição financeira pretende atender os consumidores não bancarizados no país. Até porque, segundo o Banco Mundial, quase metade dos brasileiros com menos de 24 anos não possuem contas bancárias.

Com isso, a Airfox proporciona aos brasileiros uma gama de soluções financeiras, prometendo eficiência e economia. E isso Independe se os usuários já possuem uma conta bancária. A única exigência da fintech é possuir um smartphone. Sendo assim, os consumidores brasileiros podem acessar facilmente a uma variedade de serviços, como empréstimos, pagamento de contas, cobranças, planejamento financeiro, entre outras possibilidades.

Empréstimo Pessoal

A Airfox não é um banco, mas oferece a opção de fazer a solicitação de um empréstimo pessoal no app. No entanto,  ela faz a gestão do capital e a intermediação entre o credor e o devedor.

“O app tem um algoritmo que analisa o comportamento do usuário – quando o mesmo cria a conta há uma aba pedindo a autorização de análise – e dependendo dos resultados libera uma quantia para o usuário usar, caso ele precise de dinheiro em algum momento de dívida”, explica Victor Santos, brasileiro de 26 anos, CEO da Airfox, em entrevista ao InfoMoney.

Entretanto, o juro do empréstimo depende da análise de comportamento realizada na plataforma e, assim, é definido um nível de taxa de juros.

Tecnologia Blochchain

O empréstimo é baseado na tecnologia de blockchain. A mesma que está por trás de transações de moedas digitais como o Bitcoin, por exemplo. Isso significa, segundo Santos, que o empréstimo tem dois tipos de usuários, o brasileiro que precisa do dinheiro emprestado e a outra pessoa que pode ser de qualquer lugar do mundo, que vai emprestar o dinheiro. A Airfox, portanto, tem a função de intermediar a transação, sendo que a própria moeda digital da fintech é utilizada, a Airtoken. É por meio dela que os usuários emprestam o dinheiro. A pessoa recebe o empréstimo em real e o credor empresta a quantia em Airtokens que são convertidos pela Airfox em real.

Gostou da notícia?

Então nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim você acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao mundo das fintechs.

Ferratum oferece empréstimo online de até R$ 3 mil, dinheiro cai em até 1 dia na conta

Ferratum oferece empréstimo online de até R$ 3 mil, dinheiro cai em até 1 dia na conta

A Fintech Ferratum foi fundada na Finlândia, em 2005, mas oferece empréstimos online no Brasil e em outros 24 países. A startup financeira disponibiliza uma plataforma 100% digital e inovadora para que o usuário consiga o empréstimo. O objetivo da fintech é ajudar que as pessoas das classes C, D e E quitem suas dívidas de forma rápida, fácil e sem burocracia.

Leia mais:

Cartão de crédito digital da Caixa pode ser lançado em breve.

Como pagar boleto pelo cartão de crédito via app PicPay.

Conheça o empréstimo do Banco Daycoval sem consulta ao SPC/Serasa.

Vantagens empréstimo da Ferratum

Obtenha crédito sem burocracia

A fintech se destaca por conceder o empréstimo para os consumidores de forma rápida, segura e não exige uma série de burocracia.

Empréstimos de R$200 a R$ 3.000

Os clientes da empresa podem pegar empréstimo com o valor entre R$200 a R$ 3000. O foco da Ferratum oferecer crédito sem burocracia e ajudar as classes C, D e E a quitar dívidas.

Custos menores que os dos bancos

Além disso, a Ferratum oferece serviços especializados para os consumidores e com custos menores que os dos bancos, sendo que o pagamento pode ser realizado em até 12 parcelas.

Como solicitar o empréstimo

A solicitação é simples: basta entrar no site, definir o valor do empréstimo, o prazo para quitação e clique no botão “Solicite seu Empréstimo Aqui“. Em seguida, preencha o cadastro, assine o contrato e espere a análise dos dados para validar as informações.

Obs: Antes do cliente fechar o empréstimo, o site disponibiliza uma simulação de empréstimo para que o consumidor saiba antecipadamente o valor que pagará em cada parcela.

Dinheiro entra em até 24 horas

Em caso de aprovação, o dinheiro entra na conta do consumidor em até 24 horas, sem cobrança de taxa ou tarifa de emissão de empréstimo.

Por fim, a Ferratum é uma das empresas líderes na revolução bancária por apps móveis. Até porque a fintech oferece soluções transparentes, rápidas e fáceis de usar para empréstimos e serviços bancários mobile.

Considerações Finais

Portanto, como o objetivo da Ferratum é oferecer crédito sem burocracia e ajudar as classes C, D e E a quitar dívidas, o valor do empréstimo não é tão alto. O cliente pode pagar em até 12 parcelas e, sobretudo, resolver a sua situação financeira, que é o mais importante. Ou seja, a fintech proporciona uma forma rápida e segura para que você quite suas dívidas. Então, achamos que se, por acaso, você esteja precisando de dinheiro, recorrer a Ferratum é uma boa alternativa.

Gostou da dica?

Então nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Para assim acompanhar artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao mundo das fintechs.

 

Fintech Social Bank permite empréstimo entre pessoas físicas

Fintech Social Bank permite empréstimo entre pessoas físicas

O Social Bank é uma fintech que disponibiliza uma conta digital inovadora e que permite abertura 100% via celular. Trata-se de uma plataforma financeira que conecta pessoas que precisam de dinheiro a quem está interessado em emprestar. Portanto, a fintech permite que os usuários emprestem dinheiro a outras pessoas sendo remuneradas por isso. Ou seja, as pessoas conseguem ganhar dinheiro com os juros do empréstimo e outras conseguem dinheiro emprestado os juros reduzidos. O principal atrativo da conta digital não-bancarizada é o Social Cash. Conheça mais detalhes sobre o Social Bank.

Leia mais:

MFS anuncia que Conta Zuum será descontinuada.

Como funciona a máquina de cartões SumUp.

Itaú lança a maquininha Pop Credicard para concorrer com PagSeguro.

Social Cash

Social Bank

Por intermédio do app, é possível conceder ou fazer empréstimos de até R$ 10 mil em 12 vezes com juros de até 2% ao mês. O que significa que os juros cobrados são bem abaixo dos que os bancos e instituições financeiras cobram nos empréstimos pessoais.

Quem assume o risco do empréstimo?

O Social Bank, no entanto, não possui um seguro em caso de inadimplência. Portanto, caso o empréstimo não seja pago, o prejuízo, infelizmente, fica com a pessoa que emprestou o dinheiro via app. Ou seja, o Social Bank se isenta de responsabilidade e apenas intermedia a relação entre os consumidores.

Social Kids

O Social Bank também possui o Social Kids, uma ferramenta bem interessante destinada às crianças. O Social Kids é uma conta em que permite que as crianças acompanhem e justifiquem, por meio de fotos, mensagens ou áudio, os gastos feitos com o cartão disponível para elas.

No entanto, é importante mencionar que os pais que desejam usar a ferramenta para os filhos, precisam ter conta Social Bank, até porque a conta do Social Kids é atrelada à conta dos pais no Social Bank.

Vantagens Social Bank

  • Depósito de dinheiro;
  • Pague contas e boletos bancários;
  • Cartão virtual ou físico com custo único de emissão de R$ 9,90;
  • Transferência via TED ou DOC com custo de $4,90 cada;
  • Transferência entre contas Social Bank ou para o Itaú sem custo.

Importante ressaltar que o Social Bank não é uma instituição financeira e sim uma fintech que oferece uma conta de pagamento regulamentada pelo Banco Central. Portanto ela não possui a proteção do Fundo Garantidor de Crédito.

Se você está interessado em abrir a conta no Social Bank, o app está disponível para Android e para iOS.

Considerações Finais

O Social Bank é uma boa alternativa e uma empresa confiável. Portanto, vale a pena emprestar ou pedir emprestado dinheiro via aplicativo. No entanto, você terá que assumir o risco sozinho, caso a pessoa não pague o dinheiro que lhe deve. Algo bastante interessante é o Social Kids, isso porque caso você tenha filhos, poderá controlar os gastos deles via aplicativo.

Gostou da dica sobre o Social Bank?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Até porque assim você poderá continuar acompanhando artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

10 motivos para abrir conta em fintech e esquecer os bancos tradicionais

10 motivos para abrir conta em fintech e esquecer os bancos tradicionais

Sem dúvida, os bancos tradicionais tiveram o seu papel importante na história, mas os bancos digitais estão tomando conta deste mercado. Isso porque, obviamente, a facilidade em abrir conta em fintech, solicitar crédito, receber um pagamento ou ser atendido por essas startups financeiras são alguns dos diversos motivos que fazem os bancos digitais darem mais vantagens aos seus clientes. Além disso, muitos não cobram manutenção da conta, anuidade, entre outras tarifas.

A revolução digital, como estamos constatando, permitiu que o modo como lidamos com o dinheiro seja alterado substancialmente. A mudança vem ocorrendo de uma forma muito intensa, até porque, antigamente, precisávamos ir até um caixa de banco para retirarmos o dinheiro. Depois, com a inserção dos caixas eletrônicos e, posteriormente, a internet, foi diminuindo cada vez mais nossas idas e vindas de bancos. Agora chegou a vez dos bancos digitais, cujas instituições financeiras permitem que façamos qualquer operação bancária diretamente pelo aplicativo ou Internet Banking.

Leia mais:

Correios Celular terá conta e cartão de débito/crédito grátis

Conheça o Ourocard Fácil: Cartão de crédito digital do Banco do Brasil.

Abertura de conta: Fintechs levam vantagem sobre os grandes bancos.

Motivos para abrir conta em fintech:

abrir conta em fintech

Menos burocracia

Os bancos digitais não costumam exigir regras rígidas e desnecessárias para uma abertura de conta, por exemplo. Ou seja, para abrir uma conta corrente, não há necessidade de apresentar cópias de documentos ou assinaturas. Facilitando todo o processo de forma ágil e rápida.

Não há filas

Num banco digital a única fila que existe é a do atendimento em chat. Ou seja, você não precisará ficar horas em uma fila de banco para tirar alguma dúvida ou ainda fazer algum procedimento simples. Isso porque poderá fazer diretamente pelo aplicativo do banco. Isso significa que poderá fazer outras atividades enquanto espera ser atendido pelo chat.

Mais segurança

Você poderá fazer todas as transações via app, ou seja, não precisará sair de casa ou do trabalho, se arriscando a ser assaltado ou outros contratempos que por ventura poderiam acontecer. Ou seja, você estará seguro ao realizar os procedimentos bancários.

Não há greve

Como os bancos digitais precisam de internet para prestar os serviços, é praticamente impossível parar as operações devido a uma greve. O que é uma excelente vantagem em relação aos bancos tradicionais, ainda mais com essa crise financeira, na qual motiva ainda mais os funcionários a entrar em greves.

Acesso a qualquer hora

A qualquer momento é possível acessar o aplicativo ou o internet banking e fazer diversas operações que num banco tradicional você teria que se deslocar para fazer ou esperar um dia útil.

Mais transparente

As fintechs em geral possuem a prática da transparência. Vemos isso até mesmo nas redes sociais, onde essas startups financeiras cada vez se aproximam mais de seu público. O que acaba transmitindo uma confiança ainda maior, pois procuram responder ou solucionar qualquer problema que possa ocorrer na conta. Além disso, os bancos digitais não tentam ludibriar o cliente com letras miúdas, eles são mais claros e objetivos, o que permite que você se sinta mais confortável.

Economia

Muitos bancos digitais não cobram tarifas até um determinado número de operações. Existem bancos também que não cobram absolutamente nada, como o Banco Inter. O fato de não precisar ter tantos funcionários ou ainda agências físicas, faz com que diminua consideravelmente os gastos operacionais. Isso acaba gerando uma economia tanto para o banco como para os clientes.

Administração do tempo

Uma das maiores vantagens dos bancos digitais é poder fazer a administração do tempo de uma maneira mais adequada ao seu estilo de vida. Isso porque, obviamente, você não precisará se deslocar de seu trabalho ou de casa para o banco.

Descomplicado

Todos os processos de um banco digital são descomplicados. Desde abertura de conta até a troca de senha são procedimentos simples e podem ser feito a qualquer momento.

Inovador

Por ser uma startup, as fintechs estão sempre arranjando soluções financeiras que visam facilitar a vida das pessoas. Por isso, elas continuam inovando os produtos e, consequentemente, acabam facilitando a vida de seus clientes.

Considerações Finais

Além dos bancos digitais possuírem a característica de sempre visar em facilitar a vida de seus clientes, as instituições financeiras digitais ainda permitem que você economize dinheiro e tempo para realizar operações bancárias. Portanto, vale e muito a pena abrir conta em fintech, pois, com certeza, isso fará você não se arrepender em se tornar cliente de um banco digital. 😉

Gostou dos motivos para abrir conta em fintech?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram para continuar acompanhando artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Amazon pode se tornar banco e revolucionar o mercado financeiro

Amazon pode se tornar banco e revolucionar o mercado financeiro

Amazon pode se tornar banco? A empresa já vem se focando em serviços financeiros de pagamentos, empréstimos e seguros. No entanto, ela estaria interessada em entrar de fato no mercado bancário, mas, obviamente, não como um banco tradicional. A Amazon é uma empresa que vem lançando vários serviços que mostram claramente a sua ambição no setor financeiro.

O foco da empresa de fato está sendo na criação de produtos de serviços financeiros. Entretanto, não podemos afirmar que ela realmente está se tornando um banco. Algo que estamos vivenciando é que a startup está aumentando a participação de mercado no ecossistema com muito sucesso.

Leia também:

Amazon vai lançar uma loja online completa no Brasil em breve.

Mercado Livre vai interferir nos preços dos produtos.

Rumor: PagSeguro pode estar próximo de lançar o seu próprio banco.

Agindo dessa forma, ela já lançou ferramentas para aumentar o número de comerciantes e permitir que eles aumentem as vendas; aumentar o número de clientes na Amazon de modo que eles gastem mais e reduza o atrito no processo de compra e venda.

Paralelamente, a Amazon vem investindo em fintechs de mercados emergentes. Esses investimentos, portanto, denotam que o desenvolvimento de produtos não está sendo feito para a construção de um banco tradicional que serve para todos. A empresa vem, na verdade, experimentando e oferecendo os principais componentes de uma experiência bancária moderna e ajustou-se para atender os diferentes perfis de clientes. A Amazon conta com mais de 300 milhões de clientes ativos e mais de 100 milhões de assinantes prime.

Com tudo isso, a Amazon está mostrando que pretende dominar o mundo, desde o varejo até carros autônomos e exploração espacial. Por isso que estaria construindo um banco próprio, mas a pretensão da empresa pode não ser simplesmente um banco para todos. Confira algumas das iniciativas da Amazon que fornecem serviços similares aos de bancos:

Considerações Finais

A entrada da Amazon no setor bancário seria extremamente positivo para o mercado financeiro. Até porque a empresa é voltada para inovação e prestação de serviços de qualidade. Significa que ela pode sim revolucionar o mercado financeiro lançando produtos que realmente possam trazer benefícios para o setor.

Será que a Amazon pode se tornar banco?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim continua acompanhando artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Fontecbinsights.

Pag! pode estar prestes a lançar cartão de débito e conta com investimentos

Pag! pode estar prestes a lançar cartão de débito e conta com investimentos

Rumor: Pag! terá cartão de débito e conta com investimentos. A fintech pode estar muito próxima de lançar uma conta digital em que terá cartão de débito e conta com investimentos. Este rumor veio à tona depois que a fintech atualizou o faq do app em que deixou a entender que isso pode estar próximo de se tornar realidade. A conta digital, atualmente, pode ser adquirida apenas se o consumidor for aprovado no cartão de crédito.

Leia também:

Mais Retorno: Conheça o “Nubank” dos investimentos.

Pag! adiciona recurso do Nubank: antecipar faturas e parcelas com desconto.

Vantagens e desvantagens do cartão de crédito Pag!, vale a pena?

Com a iniciativa de lançar o cartão de débito, a Pag! poderá aceitar também os clientes que estão negativados no SPC e SERASA. Além disso, os correntistas da conta digital poderão realizar saques no caixa eletrônico e, obviamente, compras na função débito.

Pag! terá cartão de débito e conta com investimentos?

Pag! terá cartão de débito e conta com investimentos

Pag! terá cartão de débito e conta com investimentos? Fintech atualizou o faq do app dando a entender isso.

Em relação à conta de rendimentos, ela atrairá investidores para a fintech, pois eles teriam incentivo financeiro para deixar o dinheiro na conta.

Outro ponto em que a Pag! deve solucionar nos próximos meses é o recebimento de transferências de outros bancos. Hoje a fintech até permite transferência para outros bancos via TED, mas só é possível adicionar dinheiro na conta por intermédio de depósito via boleto bancário.

Mesmo que o Pag! não seja um banco, uma resolução do Banco Central já permite que contas não-bancarizadas recebam transferências via DOC ou TED. A partir de julho deste ano, as contas não-bancarizadas poderão receber até mesmo portabilidade de salário.

Gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram para continuar acompanhando artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.