Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Correção do FGTS confirmada pelo STF: saiba como consultar seu saldo após a mudança

Após decisão do STF sobre FGTS, confira como verificar seu saldo atualizado. Não perca tempo, consulte agora mesmo!

Recentemente, uma nova diretriz em relação ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) foi estabelecida pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo a resolução, agora o reajuste do FGTS deve acompanhar pelo menos a inflação, determinada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Essa medida visa proteger o poder de compra, garantindo que seus depósitos não percam valor.

Anteriormente, as atualizações do FGTS eram realizadas utilizando a Taxa Referencial (TR), somada a juros de 3% ao ano. Acontece que, nos últimos anos, a TR registrou valores próximos a zero, o que frequentemente resultava em correções inferiores à inflação. Provocando uma desvalorização real dos saldos.

Como era e como fica a correção do FGTS?

Cofre de porquinho, calculadora, caneta e celular com logo do FGTS
Imagem: rafastockbr / Shutterstock.com

Até o presente, o cálculo para atualização dos valores do FGTS envolvia a aplicação da TR mais 3% de juros ao ano. No entanto, com a TR praticamente nula, esse método de atualização cobria raramente as taxas de inflação. O que causava uma erosão no poder de compra do saldo dos trabalhadores ao longo dos anos.

Com o ajuste estipulado pelo STF, a correção do FGTS deverá, no mínimo, igualar-se à inflação medida pelo IPCA. Isso significa que o saldo do fundo não deverá mais perder valor frente ao custo de vida, uma conquista significativa para os trabalhadores que contam com esse recurso para momentos de urgência ou para projetos de longo prazo como a aquisição de uma casa própria.

Impacto da decisão nos saldos

Os exemplos apresentados ilustram como a escolha entre rendimento pelo IPCA e pela TR mais 3% pode impactar o valor dos investimentos ao longo do tempo. Mesmo com diferenças aparentemente pequenas a curto prazo, garantir que a atualização não fique abaixo da inflação protege o poder de compra do fundo. Isso beneficia os trabalhadores, proporcionando ganhos significativos a longo prazo.

Veja também:

BC distribui R$ 8,2 bilhões via Pix para clientes com poupança, saiba quem ganha!

Ao comparar os rendimentos para diferentes saldos em 2023, fica evidente que a atualização pelo IPCA resulta em valores finais mais vantajosos. Embora a diferença entre os dois métodos possa parecer mínima inicialmente, no longo prazo. A proteção contra a perda de valor real é crucial para garantir o crescimento sustentável do fundo e proporcionar benefícios significativos aos investidores.

Imagem: rafastockbr / Shutterstock.com