Estamos vivendo um momento em que as pessoas estão isoladas por causa da pandemia de coronavírus que atinge o mundo inteiro. Com isso, muitas empresas não estão em atividade e os consumidores também não estão gastando, o que sem dúvida gera impacto na economia. Enquanto muitos tentam resolver como irão pagar as contas do mês, que continuam chegando, outros agradecem por terem feito uma reserva de emergência. Ainda que seja difícil gastar um dinheiro que você guardou para usar só mais para frente, é um conforto poder contar com um auxílio sem pedir dinheiro emprestado.

É provável que você também goste:

Link no WhatsApp permite ver se você tem direito ao auxílio emergencial do coronavírus?

Projeto pode dar vagas em hotéis a moradores de rua durante pandemia do coronavírus

Confira 5 Cartões de fácil aprovação na crise do coronavírus: SCORE BAIXO E NOME SUJO

Fato é que nem todo mundo consegue ter uma reserva assim tão facilmente. Pessoas que ganham muito pouco, como um salário mínimo, precisam fazer uma renda extra para poder poupar nem que seja um pequeno valor por mês.

Mas é em momento como esse, em que ficamos sem renda, que nos lembramos da importância de ter aquela reserva para as horas de aperto. Algumas pessoas consideram a reserva o valor do custo de vida da família durante três meses, um semestre ou um ano.

Tudo vai depender das suas possibilidades e do que você considera que não poderia viver sem nesses meses que fica sem renda. Aluguel, água, luz e internet são algumas das coisas básicas que devem entrar no cálculo da reserva.

O que é afinal uma emergência?

Pode parecer óbvio é que é uma emergência. Porém, muitas vezes nos convencemos de que comprar uma roupa ou ir a um evento pode ser uma emergência para sacarmos aquele dinheiro que foi guardado meses antes.

Por isso, é importante que esse processo de resgatar a sua reserva não corriqueiro. Se você deixar na conta corrente, pode acabar gastando no débito e, quando percebe, a reserva não existe mais.

Claro que o resgate não pode ser difícil, mas deixe o dinheiro seguro de você mesmo, porque compras por impulso podem acontecer. Reserve esse dinheiro para gastos com saúde, reparos no carro e na casa, além dos gastos essenciais se você perder a sua renda. Tudo que pode esperar não é uma emergência e não vale a pena arriscar sua tranquilidade por isso.

Muitas pessoas podem também não entender que você está deixando esse valor para uma situação emergencial. Procure falar somente para quem precisa saber que você tem esse dinheiro, pois você pode acabar perdendo facilmente sua poupança por tentar resolver problemas financeiros da família ou amigos.

Onde investir sua reserva para ficar mais seguro?

Aqui não importa o seu perfil de investidor, se você é conservador ou gosta de arriscar. Quando falamos de uma reserva de emergência, dois fatores são essenciais: você poder resgatar quando quiser e ter uma segurança de que não vai perder dinheiro. Com isso, você acaba tendo que abrir mão da rentabilidade, mas esse é o melhor caminho para ter a sua reserva quando precisar sacar.

Um caminho fácil é a poupança, porém existem alternativas a ela que rendem mais e são igualmente seguras. Alguns CDBs permitem resgate a qualquer momento, como aqueles de bancos tradicionais.

A Nuconta, do Nubank, também pode ser uma boa opção por render 100% do CDI e ter a opção de poupança, que não deixa você gastar aquele dinheiro no débito. Se você preza por mais segurança se certifique, antes de investir, de que a opção escolhida é assegurada pelo Fundo Garantidor de Crédito, que lhe devolve o dinheiro integralmente ou parcialmente caso a instituição financeira vá à falência.

O Tesouro Direto é um dos favoritos dos investidores para compor a reserva. Ele é seguro porque é atrelado aos cofres públicos e permite investimentos a partir de R$ 30. O Tesouro Direto Selic permite resgate a qualquer momento sem que você perca nada do seu montante.

As ações da bolsa de valores podem não ser a melhor opção. Pode ser que a sua emergência aconteça em um dia de baixa e você acabe tendo que resgatar suas cotas com prejuízo. Prefira a renda fixa para emergência e a renda variável somente para aumentar seu capital, assumindo riscos calculados.

A importância da reserva de oportunidade

O tamanho da sua reserva é você quem decide, você pode se sentir tranquilo tendo três meses do seu custo de vida, ou achar que precisa de mais. Quando esse objetivo estiver cumprido e seu dinheiro estiver seguro e rendendo, é hora de pensar na reserva de oportunidade.

Ela não é destinada para emergências e sim oportunidades que surgem, seja de novos investimentos, abertura de uma empresa, uma viagem ou realizar uma compra importante. Às vezes, surge um desconto incrível ou baixam os preços das ações de uma boa empresa e você precisa ter dinheiro para isso.

A reserva de oportunidade pode estar no mesmo investimento que a reserva de emergência ou no próprio saldo da sua corretora de valores, para que você possa fazer investimentos com agilidade caso encontre bons preços.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: Nik Shuliahin / Unsplash